Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Não era o momento

Não era o momento de despejar cortesias, a tarde morria nos braços da noite fria. Quem haveria de se preocupar somente com palavras se não aquecia mais que uma taça de vinho, se não envolvia tanto quanto abraços reais.
Ficou perdido entre o meio fio e o cinza do dia, cortado pelas horas caladas; o empenho das palavras, nem o colo sereno da mansa fala podia sugerir atenção, algum grito talvez pudesse ser ouvido, mas nada que pudesse tirar os olhos da realidade.
Assim ficou um rabisco sem nexo; em preto e branco, com as digitais gravadas em cada palavra, o que não passaria de mais um ensaio bobo guardado no fundo de uma gaveta. Outra gaveta abarrotada de ensaios e palavras, de verbetes especiais, esquecidos como outros tantos; só lembranças nada  mais para deitar na rede em tardes de verão e reler sem pressa.
Os olhos cravados detectavam cada passo, e quase se podia auscultar a respiração, quando o desfile de linhas bêbadas feriam o papel; era um pandemônio, não se perdoava a pouca inibição, nem o desatinado desejo que sempre vinha crivado de emoções, e cada gesto havia de ser meticuloso, e quase sempre se perguntavam; qual a direção?
Ficou estreito o chão e apertada nos lábios a vontade de gritar, mas não era realmente o momento...
Angélica Teresa Almstadter
Enviado por Angélica Teresa Almstadter em 07/06/2005
Código do texto: T22704

Copyright © 2005. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Angélica Teresa Almstadter
Campinas - São Paulo - Brasil, 62 anos
1054 textos (55639 leituras)
25 áudios (3274 audições)
1 e-livros (247 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 09/12/16 11:37)
Angélica Teresa Almstadter