Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Ócio do povo.

Respeito o futebol por apenas três motivos: 1) é um traço cultural de nosso país; 2) organizações se utilizam dele para ocupar e trabalhar com crianças e adolescentes com poucas perspectivas; 3) ele promove fluxos econômicos e leva certa prosperidade a algumas famílias. Ele ainda é fonte de entretenimento e socialização para quem joga e para quem assiste. Fato aceitável.

Óbvio que se eu comecei escrevendo dessa forma, tinha a intenção de criticar. E aqui começo.

Acho tolice comemorar um gol. Quase ridículo. O que um gol muda na minha vida, ou na de quem comemora? Esse comportamento é perfeitamente compreensível para o jogador que o marca, pois ele acaba de executar a função a que se destina. Mas, e para os demais? Qual a justificativa? O torcedor passa a ser melhor que o do time adversário? Recebe algum tipo de indulgência que, acumulada com outras, permitirão que ele ingresse no Céu? Sua família ou amigo recebe algum tipo de gratificação financeira? Mesmo que recebesse algum benefício, o torcedor do time adversário deixaria de recebê-lo e, portanto, comemorar gol continua sendo algo sem sentido para mim.

Outra tolice: torcer por um time. Nasci em Campo Grande. Na infância, meus coleguinhas torciam para Flamengo, São Paulo, Corinthians, Santos... Em meu caso, particularmente, escolhi (e escolhi apenas pela pressão social para se fazer alguma escolha) o Flamengo porque gostava de pronunciar o nome desse clube (hoje acho cacofônico). Mas será que meus outros coleguinhas, agora quase adultos, tiveram outros tipos de motivos para efetuarem essa escolha, que perdura por toda a vida? Creio que não. Para aquele que nasce nas imediações da Vila Belmiro até é plausível torcer pelo Santos. Mesmo para qualquer paulistano pode ser plausível torcer pelo Santos. Mas por que um campo-grandense nato deveria torcer pelo Santos??? Será que existe alguma translocação no braço curto do cromossomo 5 que imprime o gene s-ANTOS? Será que existe alguma explicação metafísica para que um filho de pai corinthiano nasça santista? Será que os times emanam vibrações que são convertidas em ondas cerebrais capazes de “pescar” mais um torcedor?

Uma tolice menor: dizer que o futebol é uma arte. Concordo com veemência. Eu nunca seria capaz de chegar perto de realizar aquelas acrobacias com uma bola. Mas em meu ver, a arte acaba quando se comemora o gol. Ainda se os dois times comemorassem a execução da dita obra de arte, esta estaria preservada. Mas comemorando... Argh.

Bah. Não é mau humor. Juro que não. Simplesmente não vejo muitos motivos para apreciar futebol.
Honda
Enviado por Honda em 10/09/2006
Reeditado em 10/09/2006
Código do texto: T236866
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Honda
Londrina - Paraná - Brasil, 31 anos
10 textos (1983 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 06/12/16 08:26)
Honda