Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Boa Madrugada

Estava já de bobeira depois de tanto correr, me dei esse tempo pra matar saudade da conversa frouxa, sem compromisso.
Já não sei mais qual a hora de dormir, só sei que não importa a hora que eu deitar, é bem cedo que vou levantar.
Não sei mais qual o tempo que me sobra pra poetar, mas entre a cama e o micro há de sobrar um pedaço de papel e uma caneta bic, pra eu rabiscar o que me ferve pelas veias, o que borbulha na minha cabeça. Roubo alguns minutos da tela implacável que me chama sem cessar e dos tantos alienígenas que não se cansam de chegar por aqui,  pra respirar um pouco da vida que anima meu corpo e sacode a minha existência. E quando não sobrar nem uma fresta, ou a mínima chance, escrevo no meu travesseiro, que diferença fará uma hora a menos de sono?
É  bom esse silêncio, quando até os carros são raros na rua, não ouço mais burburinhos de gente, e os cães da vizinhança dormem. Bom para se pensar e fazer planos, rabiscar segredos na tela, num papel, pensar naqueles passeios quase programados que incluem cochichos ao pé do ouvido e coisinhas que deixam a cabeça toda atrapalhada.
Um friozinho chato começa a incomodar, e aquela blusa a mais ainda tem cheiro de confort, nos pés ainda consigo ficar sem meia, mas até quando? Apesar da hora entrar pela madrugada discretamente, o reloginho interno pisca no vermelho acusando que já está na hora de ir para os braços de Morpheu; olho daqui (estou na direção da porta do meu quarto) e vejo a cama estendida o abajour aceso, essa luzinha tênue e o cobertor felpudo com uma dobra me convida. Por mais que eu goste das minhas letras, o apelo da cama é mais forte, ficar sozinha aqui ou lá; tanto faz, melhor mesmo é ficar quentinha.
A vida deve me convidar para mais um dança, amanhã, quiçá eu encontre um par...
Angélica Teresa Almstadter
Enviado por Angélica Teresa Almstadter em 16/06/2005
Código do texto: T24908

Copyright © 2005. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Angélica Teresa Almstadter
Campinas - São Paulo - Brasil, 62 anos
1054 textos (55629 leituras)
25 áudios (3274 audições)
1 e-livros (247 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 04/12/16 01:58)
Angélica Teresa Almstadter