Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Uma caminhada na Lagoa

 
Duas horas e tanto de caminhada ao redor da lagoa...
os pensamentos borbulhando...os olhos pregados
na céu...como é belo o cair da noite...
as primeiras estrelas sempre parecem que nos sorriem...quando acendem seu brilho, é como se adentrassem a um grande salão prontas para
começararem o maior espetáculo...
A lua estava acanhada e não quis mostrar
a sua face...talvez ela estivesse a espreita atras
de alguma daquelas nuvens...ameaçava chover...
Nada a me acompanhar senão a minha solidão...
um silêncio reconfortante...uma paz que há
muito eu busco...
A desobrigação de sorrir...de responder a perguntas...a liberdade de cantarolar...de deixar os pensamentos vagarem sem interrupções...
Mais de duas horas de profundo silêncio e
introspecção...e como é bom ficar só...perdida nos
meus pensamentos...acalentando meus sonhos... me  fazendo mil perguntas, mesmo sem encontrar respostas...porque o beneplácito da
dúvida acaba por amenizar as dores...ou acentuar as esperanças...
A solidão concedida...procurada... não dói...
é a liberdade dos pensamentos...dos atos...
é encontro...é reflexão...é um egoísmo
que não nos acusa...
Fiz dos meus passos o desenho firme que começou a marcar os meus rumos...redescobri que me gosto e me senti gostada pelo acariciar da brisa noturna...me achei e me perdi diversas vezes
dentro de mim, nesse percurso...
me senti completamente só...e me senti dona de mim...dos meus caminhos...
Me senti frágil e forte...quando o ar começou a faltar--me...eu ali...diante de um caminho imenso para percorrer...um e outro transeunte esparso, não era a hora dos "atletas " não havia nada a fazer...só ir em frente...
A superfície da lagoa refletia a solidão da noite...
e brilhava calma como o silêncio dos meus passos
leves...a melodia das folhas secas sopradas pelo vento gelado...sempre denuncia o inverno...que contrariamente hoje não me desagradou...
Senti um desejo imenso de que jamais terminasse
essa caminhada...senti a proximidade com a vida
que não assisto acontecer todos os dias...
a confidência muda com a natureza
 que quieta acompanhou os
meus passos...primeiramente medrosos...
preocupados...pensativos...e aos poucos...livres...
soltos...graciosos...
Ao final...sorri e me prometi voltar...
Angélica Teresa Almstadter
Enviado por Angélica Teresa Almstadter em 25/06/2005
Código do texto: T27803

Copyright © 2005. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Angélica Teresa Almstadter
Campinas - São Paulo - Brasil, 62 anos
1054 textos (55627 leituras)
25 áudios (3274 audições)
1 e-livros (247 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 03/12/16 04:56)
Angélica Teresa Almstadter