Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

O Sujeito do Discurso na Dimensão Enunciativo-Discursiva da Linguagem

       O ser humano é determinado naturalmente a viver em comunidade, posicionando-se sobre o que há no mundo físico e social no qual se encontra; agindo assim de forma mútua, numa eterna dialogicidade. E isso ocorre devido à construção necessária de sentido para a existência humana, que se dá mediada e executada pelo fenômeno da linguagem.
Dessa forma, a língua é uma maneira de materialização de ideias, visões de mundo, ou seja, pontos de vista sobre algo ou alguma coisa. Sendo assim, os indivíduos usam-na para se comunicarem devido à necessidade de compreensão de uns aos outros, na construção de sentido para suas vidas. Consequentemente, uma língua somente existe em função do processo interacionista entre os sujeitos falantes, situados sociohistoricamente em um espaço e tempo determinados; expressando-se assim, numa vertente comunicativa que se realiza efetivamente através de gêneros discursivos diversificados expressos em enunciados materializados em textos orais ou escritos.
Destarte, a concepção de língua enunciativo-discursiva advoga um sujeito do discurso constituído na/pela linguagem detendo uma subjetividade perpassada por várias vozes discursivas na sua consciência por ele ser interacional, por conseguinte dialógico. E isso é corroborado até memo num monólogo, onde se percebe a voz do outro, ideológica e potencialmente imbricada na consciência de um indivíduo por este ser social, sendo a consequência da evolução de valores, ideologias, culturas, ou seja, visões de mundo recebidas do passado e que contraditoriamente orientarão o seu futuro através de suas reações e atitudes potenciais como sujeito. Portanto, a subjetividade de um indivíduo qualquer é expressa por um “eu” inacabado necessitando eternamente da inter-relação de um “outro” para a formação de uma unidade subjetiva; tornando-se dessa maneira, um indivíduo completo na sua incompletude.
Assim sendo, quando um enunciado é emitido por um sujeito falante, este não exerce total controle sobre aquele; pois o sentido linguístico-discursivo construído numa enunciação, é passível de plurissignificação devido às várias vozes coexistirem socialmente num mesmo contexto discursivo. No entanto, isso não implica um indivíduo passivo não sendo sujeito de seus atos, pois dialeticamente e portanto numa eterna contradição, o mundo objetivo, determinado historicamente, interage com a subjetividade individual, mediado principalmente pela linguagem provocando nos sujeitos atitudes responsivas ativas numa dialogicidade ininterrupta.
Isnel
Enviado por Isnel em 27/04/2012
Código do texto: T3636666

Copyright © 2012. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Isnel
Floriano - Piauí - Brasil, 33 anos
52 textos (1687 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 27/11/14 13:53)
Isnel



Rádio Poética