Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

UM DIÁLOGO PARA REFLETIR

Um jovem vai à casa de um amigo e encontra-lhe muito bravo e nervoso, ao cumprimenta-lo, pergunta-lhe:
- o que aconteceu com você amigo? Porque estás nervoso desse jeito?
O mesmo responde esbravejando:
- Foi  aquela maldita pedra de mármore que tem lá na área de serviço; tropecei, cai e o meu relógio de estimação, que foi do meu avô espatifou-se no chão; olhe aqui, não serve mais para nada. Eu não acredito que isso está acontecendo comigo, logo eu que sempre tenho muito cuidado com  minhas coisas.
O jovem  interrompeu a falação do amigo, e perguntando com preocupação:
- Amigo! Você caiu? Machucou-se? Deixa-me ver  seus pés,  seu dedo está ferido!
Mas seu amigo parecia surdo e cego:
- Eu estou  falando que uma herança valiosa de família foi destruída, e você não dá a mínima?
- Amigo! Eu estou falando de uma pessoa que está machucada; e que é mais importante do que um relógio valioso que foi deixado por seu avô. Sinto muito, pelo seu relógio; mas para mim, neste momento é mais importante cuidar do ferimento do seu pé, que poderá ser infeccionado e lhe causar sofrimento maior; do que lamentar ou tentar juntar os fragmentos de um objeto que não tem mais jeito, e mesmo que tivesse, poderia esperar o conserto, sem causar maior dano.
Com os braços nos ombros do amigo, o jovem andou com ele até o sofá, e acalmando-o convidou-lhe para sentar, foi até a caixinha de primeiros socorros que sabia onde ficava, levou-a para junto do amigo e limpando com cuidado o dedo ferido, o qual estava sagrando muito lhe falando:
- Amigo,  acho legal você ter esse carinho especial pelo objeto que lhe foi deixado como herança de família, mas é só um objeto; mesmo que seja de grande valor sentimental e  esteja destruído, você não pode deixar ti causar tanta revolta e sofrimento. Do jeito que você estava quando cheguei aqui, fiquei com medo de você ter um enfarto. E se isso acontecesse, valia a pena morrer por um objeto? Amigo, desculpe-me por falar essas coisas para você, talvez se estivesse em seu lugar não seria tão fácil assim, mas quero que reflita, e veja que mantendo a calma e serenidade diante de qualquer problema, poderá evitar maiores sofrimentos e proteger sua saúde. PENSE COMIGO:
- Ao tropeçar na pedra de mármore e ver o relógio destruído no chão, você poderia dizer: Pôxa! Que pena! Quebrou meu relógio de estimação; mas ainda bem que não quebrou meu pé, apenas fez um ferimento  leve, vou limpar logo para não infeccionar; depois junto os fragmentos do relógio e vejo se ainda tem como arrumar; se não tiver mais jeito guardo de lembranças algumas peças que conseguir juntar. É uma pena que quebrou, mas é assim mesmo. Nada dura para sempre.
- Pensando desta maneira, você está valorizando sua vida. Os sentimentos de raiva e revolta não irão se manifestar. Chamamos isso de autocontrole emocional, é preciso que seres humanos sejam dotados desse comportamento, para sempre obter saúde física, mental e espiritual.
COMO ESTÁ MEU AUTOCONTROLE?

Carminda NSantos
Enviado por Carminda NSantos em 20/05/2012
Código do texto: T3678271

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Carminda NSantos
Porto Velho - Rondônia - Brasil, 52 anos
93 textos (4376 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 23/11/14 13:50)
Carminda NSantos



Rádio Poética