Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

CAVALO DE PEDRA (ensaio)

CAVALO DE PEDRA
Pelas escadarias do palácio
O sol já adormecera
Jogado pelos degraus
Como um adolescente
As estátuas sonhavam
Um sono leve de sábio
Quando ao sopro do vento fascinado
Acordam com cara de loucas
Mescladas ao aroma do passado
Agora semi-acordadas
Só se acalmam pela sombra
Que os caminhos arborizados dão
Porque os lagos, esses
Em cujo fundo se refestelava o céu azul
Brilhavam como olhares
E contavam toda a verdade
Como a brisa que se desprendia
Era incenso que perfumava
Alimentado do sol fraco
Que nascia pelos vasos
Repletos de ardor de primavera
E as colunas nobres, graciosas
Coravam como meninas apaixonadas
Que suspiravam despidas
Sob um céu que a tudo assistia
E revelava, segredando
Que de um galope doido
Lançaram as coxas fortes
Em pés de mármore
O cavaleiro-estátua
Que não saía do lugar


Miguel Eduardo Gonçalves
Miguel Eduardo Gonçalves
Enviado por Miguel Eduardo Gonçalves em 17/11/2005
Código do texto: T72843
Classificação de conteúdo: seguro
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Miguel Eduardo Gonçalves
São Paulo - São Paulo - Brasil
909 textos (30712 leituras)
1 e-livros (38 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 11/12/16 06:10)
Miguel Eduardo Gonçalves