Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

SORAIA SILVA E SOUZA

Soraia Silva e Souza é uma daquelas pessoas especiais: além de linda mulher, também é poeta, graduada em Letras pela FAFI/Universitas e pós-graduada em Dinâmicas Corporais pela Faculdade SENAC/SP.

Por culpa da minha compulsão de pesquisa, fiquei zanzando na rede na maior surfada e me deparei com esta linda mulher, por meio do seu blog, onde se encontram publicadas suas poesias.

Foi aí que fiquei sabendo que ela havia lançado recentemente um cd, Vida, em parceria com o compositor Uiles Morais, onde ela escreveu todas as letras.

Tive oportunidade de degustar todo o cd e fiquei tão maravilhado que me tornei assíduo visitante do seu blog, coisa de tiete mesmo e estreitamos nossa amizade.

Dia vai, dia vem, numa das curtidas no blog e no cd, resolvi peitá-la para uma entrevista. Fiquei na minha aguardando a resposta. Mas como ela é encantadora e gentil, concedeu na hora.

Com vocês: Soraia Silva e Souza:

LAM: - Soraia, vamos à pergunta de praxe: como foi o seu encontro com a arte, com a poesia?

Eu não sei se houve um encontro. Acho que eu nasci com a poesia entranhada em mim. Eu sou de família muito simples, fui criada em sítio, sem nenhum contato com as artes, somente com a natureza. As letras sempre me envolveram; qualquer pedaço de revista me encantava desde muito cedo. Mas foi na adolescência que tudo aflorou. Na minha casa nunca houve livros, até os didáticos eram escassos. Mas eu devorava a biblioteca do colégio público. Criei paixão por Drummond, meu primeiro mestre. E transformava meus conflitos da idade em versos. Tenho alguns deles ainda hoje, mas a maioria se perdeu.
Quando entrei para a faculdade deixei de escrever. Aí vieram casamento, vida profissional, filhos... A vida era muito séria e muito consumista para sobrar tempo para devaneios. (Será isso?).
Em 2000, após iniciar um processo intenso de auto-conhecimento e busca de significado para a vida, descobri que identificar e exercer o dom é fundamental para a realização pessoal, para se sentir útil e para a verdadeira felicidade. Resolvi desenterrar meu dom e voltei a compor. Escrever poemas é algo natural em minha vida, prazeroso, sai, flui, brota, as letras se acasalam em versos, as rimas se amontoam, se aconchegam, meu corpo se expressa, dança, minha alma transcende. Sinto-me inteira, completa, íntegra.

LAM: - A sua opção pelo curso de Letras contribuiu para a sua formação poética?

Sinceramente eu não escolhi o curso de letras por causa da poesia. Com toda a sinceridade, foi falta de opção. Meu interesse era jornalismo, mas a vida não me proporcionou tal oportunidade.
A minha formação poética se deu muito mais no colégio, com influência de um professor chamado Wander Moallem. O curso de letras no qual eu me graduei (não posso dizer por todos), limitava-se a análises poéticas, regras, fórmulas. E terminou por me bloquear muito mais do que me abrir portas pra criação.
Ofereceu-me boa base, bom fundamento teórico, apesar de que eu sempre tive uma tendência nata para a boa gramática. A minha boa escrita gramatical é muito mais intuitiva do que teórica. Muitas vezes me recorro à gramática pra confirmar ou me dar os conceitos da regras.
Mas a criatividade, a essência poética é dom. Artista nasce artista, poeta nasce poeta, músico nasce músico. O estudo aprimora, dá ferramentas, dá lapidação, mas não necessariamente precisa ser a formação acadêmica. Muitos fatos colaboram para o crescimento e aperfeiçoamento artístico. A prática de novas leituras, novos experimentos, estudo de artistas consagrados, contatos com novos artistas, a música, a filosofia, a psicologia... me dão embasamento, subsídio, inspiração, condições de tomar contato com meu Eu e me levar a experimentar, descobrir novas formas de versar , de rimar, de criar...

LAM: - Para conhecer o seu trabalho, você dispõe de duas fontes: o cd Vida e o seu blog. Então, vamos falar primeiro de Vida. Como se deu a experiência para a realização de Vida?

O CD VIDA foi uma grande surpresa na minha vida. Eu nunca sonhei, nem intencionei desenvolver esse trabalho. Eu ainda estava numa fase de camuflagem, de timidez poética e o Cd veio para me divulgar, para mostrar meu trabalho de uma forma sem meu controle. Foi uma experiência linda, foi como parir um filho. Cada verso cantado era uma emoção absurda. Uma coisa é nascer o poema, outra é você ouvir esse poema cantado, com melodia, com notas adornando... é uma emoção indescritível.

LAM: - Vamos falar de Uiles Morais, seu parceiro no Vida. Como foi o processo de criação do projeto? como se deu a reunião da música de Uiles com a sua poesia?

Uiles é um músico consagrado no Sul de Minas, com 3 cds já gravados na época.
Ele leu meus poemas e me pediu permissão para musicar alguns. Eu concordei levando na brincadeira e terminou nessa lindeza. Eu não fiz as letras para as músicas, foi ele quem fez as músicas para os meus poemas. O mérito é todo do Uiles porque eu não entendo de música, eu só amo música, tenho-a na alma. Mas sou totalmente leiga. Talvez a cadência dos versos tenha ajudado, não sei... Só sei que ele se identificou com os poemas.

LAM: - Como está a receptividade do público com relação à Vida?

Tenho recebido muitos elogios ao Cd. As pessoas gostam, curtem, acham que são melodias bem diversificadas e não enjoa ouvir. Mas a minha grande surpresa foi o retorno do público infantil. As crianças gostam de ouvir, pedem pra tocar, cantam juntos, decoram, e principalmente a música SONHO. Pra mim esse é o maior retorno positivo que possa existir. Criança é muito crítica, muito sincera, então, se foi aprovado pelo público infantil, pra mim está aprovado. O que falta é divulgação. O Uiles optou por compor e abandonou os palcos. Mas eu ainda alimento um projeto de regravar o CD numa voz feminina. Acho que as músicas e as letras casaram muito bem, mas sinto falta da interpretação feminina. Várias pessoas já me sugeriram isso. E eu não descarto. Sei que essa cantora certa irá aparecer no momento certo. Eu acredito que tenho um tesouro guardado pronto pra ser distribuído.

LAM: - Agora vamos falar do seu blog. Nesse espaço você divulga seus poemas. A Internet tem contribuído para a difusão da sua poesia?

A Internet está sendo o maior, senão o único, veículo de divulgação dos meus poemas. Toda a divulgação e contatos que eu consigo é pela net, seja pelo blog, pelo site, pelo orkut ou por e-mail. Mas sempre pelo veículo Internet.

LAM: - Em termos de formação, intercâmbio e troca de experiências, a Internet tem, a seu ver, colaborado com a amplitude de espaços, democratização e a possibilidade de uma alternativa?

Com certeza, a Internet foi um bem pra humanidade e pra cultura. É um fortíssimo veículo de comunicação e não duvido que em breve ultrapassará a TV. A grande vantagem que vejo na net é a gama de escolhas que temos. Claro que como qualquer meio de comunicação existe de tudo.
Nesse país onde editar um livro é difícil, comprar um livro é caro; gravar um Cd é uma luta, comprar um Cd original é pra poucos; a Internet veio democratizar a cultura. Veio nos fornecer um espaço pra levar a nossa arte pra quem quiser. Está tudo aí na telinha é só dar um clic. E acho aplausíveis e admiráveis pessoas como Luiz Alberto Machado, que abstrai talentos na net, que fuça, procura e divulga. E acho que o bem maior não é para o artista, para o escritor, o poeta, o bem é para o mundo. Eu já ultrapassei a fase de recear que me copiem, que me plagiem. Já deletei da minha intenção viver de literatura nesse país. Tenho-a mais como uma missão de vida. Enquanto a idéia está na minha mente é minha, quando foi pra tela ou papel é do mundo. Se me reconhecerem e divulgarem meu nome, ótimo, vou adorar, me realizar, sim. Senão, que minhas palavras acalentem algum coração. Mas, muito além de divulgar meu trabalho, a internet me proporcionou muitos contatos com artistas novos, sensacionais, dignos e grande amigos. E isso é o que há de mais lindo na arte e comunicação.

LAM: - Como você vê a poesia, a literatura contemporânea? Há algum destaque possível?

Eu acho que existem milhares de destaques possíveis. Por entre as páginas da net, tenho lido muita porcaria, mas certamente também tenho conhecido, descoberto, muita gente boa, muito talento maravilhoso. Tenho me deslumbrado com alguns poetas que me surpreendem, que me encantam. Eu não vou citar nenhum porque seria no mínimo injustiça da minha parte. Mas é uma pena tanto talento por aí camuflado. Nos resta acreditar numa mudança de mentalidade e nós artistas, nos apoiar, incentivar, admirar, valorizar uns aos outros.

LAM: - É possível falar de poesia no Brasil?

É possível, mas muito difícil falar de poesia no Brasil. Já tive muitos conhecidos que me pediram pra não mandar poesia por e-mail porque não tinham tempo de ler e não gostavam de poesia. E ainda, a maioria das editoras não edita livro de poesia.
Brasileiro não está acostumado a ler em versos. Não temos uma cultura que valorize a poesia. Isso deveria ser feito desde muito cedo nas escolas. Professores deveriam fazer cursos de interpretação de poemas. Não falo de declamação, declamar é pouco. Poesia não é pra ser declamada, muito menos lida, poesia é pra ser interpretada, sentida, interiorizada, comida, devorada.
Mas o que é poesia? A vida é poesia. A natureza é poesia. Os olhos são poesia. O choro é poesia. As letras são poesia. Mãe é poesia. O trânsito é poesia. Nascer, viver, sofrer, rir é poesia. Tudo é poesia. Está nos olhos de quem vê. Nos ouvidos de quem ouve. O poeta é só um codificador da poesia.
O mundo não mudará, a paz não reinará, as pessoas não serão gente, a beleza não existirá enquanto as crianças não forem educadas pra sentir a poesia da vida.
Mas ainda creio nisso. Não sei se verei. Creio que não. Mas acredito. Por isso sou poeta.

LAM: - Que projetos você está desenvolvendo? Quais as suas perspectivas para o futuro?

Eu sou uma pessoa cheia de sonhos e transformo sempre meus sonhos em projetos. Alguns vingam, outros não, naturalmente. Mas eu tento sempre. Os projetos me impulsionam a viver. Eu sempre brinco com Deus que Ele tem que me deixar viver muitos anos com muita saúde pra eu conseguir desenvolver a metade dos meus projetos.
Atualmente eu estou desenvolvendo um projeto de produção de uma comédia musical, "Curso de Porte e Postura", que está a caminho.
Estou revisando um livro que está sendo escrito em versos, uma verdadeira "Odisséia", e que dá um parecer bastante interessante e audacioso sobre os ensinamentos de Jesus, louvando e polemizando; de um poeta que conheci na net, Herivelto Luiz Corrêa. Pretendo montar um espetáculo, um monólogo, baseado nesse livro tão logo ele seja editado.
Vou tentar, em breve, uma edição independente do meu primeiro livro de poemas.
E como disse anteriormente, ainda quero regravar o CD Vida em voz feminina e montar uma banda para apresentar shows por aí.
São muitos sonhos? Mas eu sou poeta!
Muitos viram projetos executáveis porque adoro ser produtora. Acho que é o maior casamento. Poesia concreta.
Minhas perspectivas são de um caminho árduo e desafiador. De prazer é muita luta.
E acima de tudo de esperança, porque é o que move um coração sonhador e crente nas armas e na guerra da arte e da cultura.

Veja mais de Soraia no http://soraia.bigblogger.com.br./
E veja mais entrevistas acessando:
http://www.luizalbertomachado.com.br
LUIZ ALBERTO MACHADO
Enviado por LUIZ ALBERTO MACHADO em 31/08/2007
Código do texto: T632759

Copyright © 2007. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
LUIZ ALBERTO MACHADO
Maceió - Alagoas - Brasil
19 textos (13147 leituras)
6 áudios (256 audições)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 20/08/17 12:52)
LUIZ ALBERTO MACHADO