Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

POESIA PARASITA

A poesia nasce, se alimenta e vive da dor do poeta. Ele morre e ela permanece. Só ela é imortal.
Sal
Enviado por Sal em 24/02/2006
Código do texto: T115577
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Sal
Marília - São Paulo - Brasil, 78 anos
507 textos (44862 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 24/01/17 15:24)
Sal