Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Gramática - Frases,Orações,Sujeitos e Predicados

          Conforme podemos perceber na Gramática de Evanildo Bechara, a gramática apresenta diversos enunciados que nos ensinam o domínio da Língua Portuguesa. Toda língua parte de enunciados como:
          O Brasil é o país do futuro.
          Aquela casa é espaçosa.
          O cantor cantou no salão.
          Bom dia!
          Boa noite!
          E outros mais.
          Alguns enunciados não apresentam verbos e são chamados de frases e outros que apresentam verbos, além de frases, também são chamados de orações. Existem as orações independentes e as orações dependentes, as coordenadas sindéticas e as coordenadas assindéticas, as subordinadas substantivas, adverbiais e adjetivas que são dependentes de uma oração principal.
          Para analisarmos as frases, deveremos partir de enunciados simples, como no exemplo:
          .Pedro comeu a banana, na qual Pedro é o sujeito, comeu a banana é o predicado e este será verbal, o seu núcleo será comeu e a banana será o objeto direto. Para descobrir se é objeto direito ou não, eu pergunto o que ou quem ao verbo.
          Analisando uma outra frase, como no exemplo: A perseverança é fundamental estaremos diante de um enunciado, no qual para se localizar o sujeito, usaremos os mesmos procedimentos do exemplo anterior, só que dessa vez o predicado será nominal, por termos um verbo de ligação e um predicativo do sujeito. Os verbos de ligação são: ser, estar, permanecer, continuar, andar (em alguns casos) e outros que indicam ligação.
          Nessa outra frase: O homem dirigiu embriagado, teremos uma frase completamente diferente das duas anteriores. Por exemplo: O homem dirigiu e estava embriagado. Teremos um predicado, no qual englobaremos os dois tipos de predicados mencionados anteriormente. Será um predicado verbal por conter ação e também ao mesmo tempo um predicado nominal por conter uma qualidade: embriagado, ou seja, será um predicado verbo nominal. Terá dois núcleos: dirigir e embriagado.
          As outras classes gramaticais presentes na análise sintática são o adjunto adverbial que expressa as circunstâncias de lugar, tempo, modo, companhia e outros; os adjuntos adnominais que na maioria dos casos são os artigos: o, a, os, as, um, uma, uns umas, os adjetivos e as locuções adjetivas, daí a necessidade de se conhecer e estudar cada classe gramatical individualmente, para que não tenhamos dúvida na hora de classificar sintaticamente cada elemento proposto na oração.
          As classes gramaticais são 10: artigo, substantivo, adjetivo, pronome, numeral, interjeição, verbo, advérbio, preposição e conjunção. Há vários tipos de sujeitos: simples (quando só há um núcleo), como nos exemplos anteriores mencionados; compostos (quando há dois núcleos), como se eu dissesse: Pedro e João gostam de bananas. Oculto ou elíptico: Gostamos de maçã, Ando de bicicleta, Invalidaste a oração; indeterminado, quando estamos diante da terceira pessoa do plural, como em: cantaram de noite, na qual eu não sei quem cantou de noite e na terceira pessoa do singular acompanhada da partícula se, como no exemplo: partiu-se de manhã.
          Em verbos que exprimem circunstâncias de tempo, como em chover, relampejar, trovejar, temos orações sem sujeito e também em casos do verbo haver com sentido de existir são os chamados verbos impessoais.


2-Aposto e Vocativo
 
          O aposto é quando um termo está explicando um termo anterior:

          Brasília, capital do Brasil, foi inaugurada em 1960.

          Nessa frase, capital do Brasil é o aposto, pois está explicando o que é Brasília: a capital do Brasil.
          Quando estamos diante de enunciados que chamam outras pessoas, por exemplo: Meninos, por favor, venham aqui! Turma, por favor, faça silêncio! Temos um caso de Vocativo que no caso são: meninos e turma. Eu estou pedindo algo e o verbo deverá vir no imperativo.


3- Orações Subordinadas Substantivas, Adverbiais e Adjetivas

            As orações subordinadas substantivas, adverbiais e adjetivas são orações que exercem a função de substantivos, advérbios e adjetivos, respectivamente e são termos dependentes de uma oração principal. As orações subordinadas substantivas são classificadas em: subjetivas (quando exercem a função de sujeito da oração), objetivas diretas, quando exercem a função de um objeto direto; objetivas indiretas, quando exercem a função de um objeto direto; predicativas: quando exercem a função de um predicativo do sujeito; completivas nominais: quando exercem a função de um complemento nominal; e apositivas, quando têm a função de um aposto.

          Alguns exemplos de orações subordinadas substantivas:

          É necessário que o Brasil cresça.
          Que o Brasil cresça será uma oração subordinada substantiva subjetiva, pois exerce a função de sujeito da oração: Que o Brasil cresça é necessário.

          Desejo que sejas feliz. Que sejas feliz tem o valor de um objeto direto, tem o valor também de um substantivo e é uma oração, pois contém verbo; por isso ela será classificada como uma oração subordinada substantiva objetiva direta.

         Lembro-me de que tu me amavas. Exemplo que eu tirei do site: http://www1.folha.uol.com.br/folha/fovest/oss.shtml nos mostra um exemplo de oração subordinada substantiva objetiva indireta, pois tem o valor de um objeto indireto, apresente preposição e eu tenho que perguntar ao verbo: Lembro-me de que? A resposta: de que tu me amavas. É uma oração subordinada substantiva objetiva indireta.

         A verdade é uma só: ela não me ama. Nesse caso, temos um exemplo de Oração Subordinada Substantiva Apositiva. Normalmente, as orações subordinadas substantivas apositivas vêm após dois pontos e apresenta verbo.

          Ela tem necessidade de ser amada. Nesse caso, temos um exemplo de oração subordinada substantiva completiva nominal.

           


         







Harlei Cursino Vieira
Enviado por Harlei Cursino Vieira em 02/10/2009
Reeditado em 06/10/2009
Código do texto: T1844872

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Harlei Cursino Vieira
Taguatinga - Distrito Federal - Brasil, 37 anos
9 textos (18472 leituras)
2 áudios (31 audições)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 25/10/14 14:45)
Harlei Cursino Vieira



Rádio Poética