CapaCadastroTextosÁudiosAutoresMuralEscrivaninhaAjuda



Texto

DICIONÁRIO MINEIRÊS-PORTUGUÊS - Expressões regionais populares de MG.
DICIONÁRIO MINEIRÊS-PORTUGUÊS


Procêis qui móra nuistadimínas e procêis qui vencá asvêiz:
Ói qui bão sô… procês intendê mió o minêro, uai!

PRESTENÇÃO – é quâno eu tô falano iocê num tá ovíno.

CADIQUÊ ? – assim, tentânu intendê o motivo.

CADÍM – é quãno eu núm quero muito… só um poquím.

RETRATO – foto.

DEU – omez qui ‘di mim’. Ex.: Larga deu, sô!!

SÔ – fim de quarqué frase. Qué exêmpro tamêm? : Cuidadaí, sô!!!

DÓ – omez qui ‘pena’, ‘cumpaxão’ : ‘ai qui dó, gentch…!!’

NIMIM – omez qui ni eu. Exempro: Nòoo, ce vivi garrado nimim, trem!… Larga deu, sô!!…
NÓOO – Num tem nada a vê cum laço pertado, não! omez qui ‘nossa!’ Vem de Nòoosinhora!…

PELEJÂNU- omez qui tentânu: Tô pelejânu quesse diacho né di hoje, qui nó! (agora é nó mez!)

MINERÍM – Nativo duistadiminnss.
UAI – Uai é uai, sô… uai!

ÉMÊZZZ ?! – minerim querêno cunfirmá.

NÉMÊZZZ ?! – minerim querêno sabê si ocê concorda.

ÓIAQUÍ – Minerim tentâno chamá atenção pralguma coizz…

PÃO DI QUÊJU – Iosscêis sabe!… Cumída fundamentar qui disputacomo tutú a preferêca dus minêro

TUTÚ – Mistura de farinha di mandioca (ô di mio) cum fejão massadim. Baum dimais da conta, gentch!!

TREM – Qué dize quarqué coizz qui um minerim quizé! Ex “Já laveius trem!” , Qui trem bão!!

NNN – Gerúndio du minerêis. Ex: ‘Eles tão brincãnnn’, ‘Ce tá ínnn, eu tô vinnn…’

BELZONTCH Capitár duistado.

PÓ PÔ – umez qui pó colocá.

POQUIM – só um poquim, prá num gastá muito.

JISGIFORA – Cidadi pertín du Ridijanero. Cunfúnde a cabêss do minerim qui si acha qui é carioca.

DEUSDE – desde. Ex: ‘Eu sô magrelín deusde rapazín!’

ISPÍA – nome da popular revista ‘VEJA’.

ARREDA – verbu na form imperativ (danu órdi), paricído cum sái. ‘Arredaí, sô!’

ÍM – diminutivo. Ex: lugarzím, piquininím, vistidím, etc.

DÊNDAPÍA – Dentro da pia.

TRÁDAPÓRTA – Atrás da porta.

BADACÂMA – Debaixo da cama.

PINCOMÉ – Pinga com mel.

ISCODIDÊNTCH – Escova de dente.

PONDIÔNS – Ponto de ônibus.

SAPASSADO – Sábado passado.

VIDIPERFUME – Vídru de perfume.

OIPROCÊVÊ (ou OPCV) – óia procê vê.

TIISSDAÍ – Tira iss daí.

CAZOPÔ – Caxa disopô.

ISTURDIA – Ôtru dia.

PROINÓSTÁÍNU? – pronde nós tâmo ínu?

CÊSSÁ SÊSSE ONS PASNASSAVAS? – ocê sabe se esse ônibs passa na Savassi?

REMÉDA – imita arguêm.

ONCOTÔ – onde que eu tô

PRONCOVÔ – pra onde que eu vô

PRONQUECÊ VAI? ou ONQUECÊ VAI? – pra onde que ocê vai?

CÊ TÁ INO PRA ONDI? – pra qual lugar ocê vai?

VAICATÁCOQUIM – é igual a saipralá sô!

Fonte:
Internet e viagem a MG - cidades históricas.


Publicado por Beckhauser em 22/12/2009 às 19h57
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.

Versão 2

Aprendendo a falar qui nem qui u povu de Minsgerais.



A
Antisdonte: Em algumas regiões de Minas pronuncia-se ÃNSDIONTI .- o mesmo que “antes de ontem” . “Antisdonte eu vi a Lindauva. Tava uma belezura, a minina”.

Arreda: v.i. 1. Verbo na forma imperativa (dânnu órdi), paricido cum “sair”: Arreda prá lá, sô!

B

Belzont: s.p. 1. Capitar das Minas Gerais.

Beraba e Berlândia: s.p. 1. Cidades famosas do Triângulo Mineiro. Diz qui tem uma ôtra famosa que cumeça cum “B” e acaba com “raguari”, lá prá ‘quelas banda! O pessoar da capitár nunca sabe se a turma de lá é minerin ou não. Daí fica dizendo que é terra dos triangulinos.E óia que o povo di lá inté acha bão...


C

Cadiquê: Na forma erudita: CAUSDIQUÊ - mineirin tentânu intendê o pruquê d’arguma coisa... 'Por causa de quê?',

Confórfô eu vô: p.q.p. 1. Conforme for, eu vou.

D

Dendapia: dentro da pia. Ex: “ Muié, o galo tá dendapia”.

Deu: o messs qui "di mim". Ex : " - Larga deu, sô !"

Deusdi:o messs qui “desde”. Ex: " - Eu sou magrilim deusdi rapazín !"

Deusdiqui: prep. 1. Desde que: Eu sou magrilin deusdiqui eu era muleque!

Dó: o messs qui "pena", "compaixão" : "Ai qui dó, gentch...!!!"

Dôdestombago - o mesmo que DODESTONGO. (dor de estômago) “Essa danada da minha úrsera dá uma baita dôdestombago.”


E

Embadapia: Debaixo da pia. Ex.: Muié, ele agora tá embadapia.

Émezzz: adj. 1. Minerin dimirado do que contaro pr’ele. Podi tá querêno tamém cunfirmá arguma coisa.

Espia: s.p. 1. Nome da popular revista VEJA quando chega na distante e pequena cidade do minerin.

Estaçã: s.m. 1. Onde desembarcam os minerin com suas malas cheias de queijo.


I

I: conj. 1. E: Minino, ispecial, eu i ela, vistido.

In: v.t.i. 1. Forma diminutiva: Piquininin, lugarzin, bolin, vistidin, sapatin etc....

Intorná: g.g. 1. Quando não cabe na vasilha. 2. Derramar.


J

Jizdifora: p.d.s. 1. - Cidade minera pertín do RidiJanero, lá prás banda da Vinida Brasil nº 500.000. O pessoar da capitár nunca sabe se a turma de lá é minerin ou carioca. Daí fica dizendo que é terra dos carioca du brejo.


K

Kidicarne: medida empregada na comercialização de carne - quilo de carne - quinze kidicarne = uma arroba

Kinem: k.b.lo 1. Advérbio de comparação - igual: Ela saiu bunita kinem a mãe.


L

Lidileite: Litro de leite.


M

Magrilin: p.d.v. 1. Indivíduo muito magro.

Mastumate: Massa de tomate

Minerin: (pop.) ou MINEIRIN (forma clássica) - Nativo duistádimínass. Típico habitante das Minas Gerais.

Montes Claros: p.d.s. 3. - Cidade minera pertín da Bahia, lá prás banda do Norte das Minas Gerais. O pessoar da capitár nunca sabe se a turma de lá é minerin ou baianin. Daí fica dizendo que é terra dos baianos cansado, sabe... Aqueles qui num deram conta de chegá em SumPaulo, daí pararo no mei do caminn.


N

Negocin: p.ludo 1. Qualquer coisa que o minerin acha pequeno.

Némêss: - Minerin quereno qui ocê concordi c'ás idéia dêle...

Nimim: o messs qui "em mim". Exempro: "- Nóoo, cê vive garrádu nimim, trem !...Larga deu, sô !!...

NNN: p.o.p. 1. Gerúndio do minerês: Brincannno, corrennno, innno, vinnno.

Nóoo: num tem nada a ver cum laço pertado, não ! É o mess qui "nossa!!" ...Vem di: Nóoossinhora !...

Némermo: z.bra. 1. Minerin procurando concordância com suas idéias. Os cariocas aproveitaram a expressão para criar o famoso “Né mermo, irmão?” com variação para o “Né mermo, brother?”.

Num: NÃO ã.h. 1. Advérbios de negação usados na mesma frase: Num vô não. Num quero não. Num gosto não.


O

Óiaí: x.x. 1. Olha aí, ó, toma...

Óiaqui: a.b.c. 1. Minerin tentando chamar a atenção para alguma coisa.

Oncotô: - .h.j. Expressão de dúvida. Empregada constantemente quando o mineirim vai pra capitar, ou intão pra SumPaulo. (Onde que eu estou?)

Onquié: br. Int. .É quan nois num sabe pronde é qui nóis vai. (Onde que e?)

Óprocevê: (!) - j.t..Mineirin dimirado cum arguma coisa! (olha pra você ver!)

Ostrudia: n.x. variação: ASTRUDIA . É quan um mineirim num qué fazê arguma coisa hoje (outro dia). “Ostrodia nóis vai, cumpadre!”


P

Pão di queijo: k.h.1. - Ísscêis sabe ! Cumida fundamentar na mezz minêra e que disputa c'o tutú a nosss preferênça

Pelejânu: O mess qui tentânu: " - Tô pelejânu qü' esse diacho né di hoje!

Pincumel: pinga com mel “Si ocês tá cumeçano a constipá, toma logo uma pincumel que é prá mode sarar”

Pópôpó: - h.xá 1. A mineirinha ajudando ao marido fazer café.

Pópôpoquin: o.d.d. 1. Resposta afirmativa do marido.

Prestenção: é quan’um mineirin tá falano mais cê num tá ouvino.

Proncovô: - É quan nóis inda num discubriu pronde é qui nóis vai e tá quainahora. (para onde que eu vou?)


Q

Quainahora: t.p. Expressão que indica que o mineirm está ficando atrasado: Si nois num apertá a marcha nóis vai chegá dispois do casório.(quase na hora)

Qui Belezura: p.d.t. 1. Expressão que exprime aprovação; quando gostou de alguma coisa.

Quiném: advérbio de comparação. Ex: "É bunita qui dói. Quiném a mãe !"


S

Sapassado: m.p.b 2 - Sábado Passado.

Secetembro: Dia em que se comemora a independência do Brasil.

Sô: fim de quarqué frase. Qué exêmpro tamém ? : Cuidadaí, sô !!...


T

Tirisdaí: É quan um trem tá travessado bem in frente di nóis: Ex Tirisdaí minino! Tá travancando o caminho. (tira isso dai)

Tradaporta: atrás da porta – Receita mineira: “Si a visita si isqueceu de tomá rumo de casa, cês põem a vassora tradaporta qui num instantim ela vaimbora”.

Trem: s.b.p. 1. Palavra que não tem nada a ver com transporte, e que quer dizer qualquer coisa que o minerin quiser: Já lavô us trem? Eu comi uns trem. Vamo lá tomar uns trem? Qui trem é esse atrás d’ocê?

Triango minero: m.p.b. 1. Triângulo Mineiro.

Trosso: s.b.p. 1 É quiném trem

Tutu: t.u.m. 1. - Mistura de farínn di mandioca cum feijão massadím e uns temperin lá da horta. Bão dimais da conta !...

Tii: v.i.g.i. 1. O irmão do pai ou da mãe: Mulher do tii é a txiiiiaa.


U

Uai: u.a.i. 1. - Corresponde a "UÉ", dos paulistas. Melhor Definição: "Uai é uai,...uai !"


V

Varge: e.l.a. 1. - Aquele legume verde rico em fibras. Serve tamém pra dizê daquelis lugar nos pé de morro ondi fica chei d’água no chão e que o pessoar usa pra prantá arroz: (Várzea)

Varginha: p.d.s. 2. – Né Varge piquinininha não, viu gente? É uma cidade minera pertín de Sum Paulo. O pessoar da capitár nunca sabe se a turma de lá é minerin ou paulista. Daí fica dizeno que é terra dos parlista frustrado.

Vidiperfum: . s.b.p.3. É donde se guarda aquelas água de chero. (vidro de perfume)

 
Ouro Preto - MG - Brasil

Beckhauser
Enviado por Beckhauser em 22/12/2009
Reeditado em 22/12/2009
Código do texto: T1991420

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.

Comentários

Obras à venda

Sobre o autor
Beckhauser
Joinville - Santa Catarina - Brasil
1009 textos (864249 leituras)
1 e-livros (1202 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 20/09/14 02:56)

Site do Escritor