CapaCadastroTextosÁudiosAutoresMuralEscrivaninhaAjuda



Texto

Entendendo a Língua Portuguesa - Sintaxe - Aula 19

Queridos leitores:

Estou à disposição através do msn superborg@hotmail.com para quaisquer dúvidas ou exercicios não entendidos.

Continuemos nosso curso.

"Aula 19"

"O Período Composto por COORDENAÇÃO"

Recapitulando:

O Período Composto por COORDENAÇÃO - apresenta todas as orações com sentido completo (FRASES).

Observe:

                               Maria saiu e Pedro entrou.

Vamos estudar o Período:

                            Oração 1              Oração 2
                                |                         |
                           Maria saiu     e     Pedro entrou.

1. Temos um Período (conjunto de orações) Composto (mais de uma oração) por Coordenação (todas as orações são completas.)

2. Separando as orações, temos:

                                           Maria saiu
                                         Pedro entrou.

3. Temos um elemento que liga as duas orações: "e".

4. As orações deste período são, portanto, unidas através de termo que estabelece uma ligação entre elas, são as CONJUNÇÕES ou SÍNDETOS (Conectivos).

5. SÍNDETOS são termos que ligam uma oração coordenada à outra.

Voltemos ao exemplo:


                            Oração 1              Oração 2
                                |                         |
                           Maria saiu     e     Pedro entrou.
                                             |
                                        (Síndeto)

Qaundo as Orações Coordenadas se ligam umas às outras através de um SÍNDETO (Ou conectivo), chamamos de ORAÇÕES COORDENADAS SINDÉTICAS.


Observe outro exemplo:


                               Oração 1      Oração 2
                                     |              |
                              Maria saiu, Pedro entrou.

Atente ao fato de que, neste Período Composto, as Orações não apresentam SÍNDETO (Ou conectivo) entre elas; uma sucedendo a outra de forma cadenciada.

   " Pedro dormiu cedo, Maria dormiu tarde, Pedro nem dormiu ainda."

As Orações Coordenadas que se sucedem sem o uso de SÍNDETOS são chamadas de ORAÇÕES COORDENADAS ASSINDÉTICAS. (Assindética = sem síndeto ou conectivo.)

Temos, assim, dois tipos de Orações Coordenadas:

1. ORAÇÕES COORDENADAS ASSINDÉTICAS - que não apresentam SÍNDETOS ou conectivos.

2. ORAÇÕES COORDENADAS SINDÉTICAS - que se ligam através de um SÍNDETO ou conectivo.


Passemos então ao estudo mais aprofundado das

"ORAÇÕES COORDENADAS SINDÉTICAS"

Observe:

"Orações      Coordenadas        Sindéticas"
     |                  |                      |
Orações       completas     ligadas por um conectivo.

O termo que caracteriza uma Oração SINDÉTICA é o "Síndeto".

Os síndetos são conjunções coordenativas que ligam orações de mesma importância, estabelecendo entre elas uma relação específica.

Observe:

                     Maria saiu.          Pedro entrou.

Temos duas orações completas. Podemos então formar com elas Períodos Compostos por Coordenação.

Sabemos que o Síndeto ou Conectivo estabelecerá uma relação entre as orações. Essa "relação" determinará a mensagem do período como um todo.

Observe:

Temos no exemplo dois fatos, duas orações, dois verbos:

                           Maria saiu.    Pedro entrou.

Temos, isoladamente duas mensagens, duas orações completas. Cada uma com seu significado próprio, seu "fato" particular.

Quando fromamos um período com estas duas orações, criams uma "terceira realidade", que é a combinação das duas mensagens.

Atente para as possibilidades:

Caso 1.
Queremos dizer que ambos os fatos aconteceram um após outro, como uma sequência, em que os fatos fossem "um se somando ao outro".

                               Maria saiu "e" Pedro entrou.
                                              |
                                  (Sindeto - Conjunção)

Observe que, neste exemplo, um fato se "adiciona" ao outro, ou seja: ambos acontecem. Temos uma "ADIÇÃO" de fatos, portanto as Orações são chamadas de ORAÇÕES COORDENADAS SINDÉTICAS ADITIVAS.

Observe:

                               Maria saiu "e" Pedro entrou.
                                              |
                                  (Conjunção Aditiva)

    ORAÇÕES      COORDENADAS      SINDÉTICAS      ADITIVAS
         |                     |                      |                     |
     (Verbos)     (São completas) (Possuem Síndeto) (Indicam Adição)

São Conjunções Aditivas: e, nem, não só… mas também, não só… como, assim… como.


Caso 2.
Queremos dizer que dos dois "fatos" descritos, apenas um aconteceu. Ou seja: ou ou outro ALTERNADAMENTE, não ambos.

                               Maria saiu "ou" Pedro entrou.
                                               |
                                  (Sindeto - Conjunção)

Observe que, neste exemplo, ocorre apenas um dos fatos. Um ou Outro.  Temos uma "ALTERNÂNCIA" de fatos, portanto as Orações são chamadas de ORAÇÕES COORDENADAS SINDÉTICAS ALTERNATIVAS.

Observe:

                              Maria saiu "ou" Pedro entrou.
                                              |
                                  (Conjunção Aditiva)

  ORAÇÕES     COORDENADAS     SINDÉTICAS      ALTERNATIVAS
       |                   |                      |                       |
  (Verbos)   (São completas) (Possuem Síndeto)  (Indicam Alternância)

São Conjunções ALTERNATIVAS: ou… ou; ora…ora; quer…quer; seja…seja.


Caso 3.
Queremos dizer que os fatos se conflitam, que um "diverge" do outro. Neste caso, os fatos são "Adversários". Como se você esperasse por um outro fato, "mas" aconteceu o que lhe era "Adverso".

                               Maria saiu, "mas" Pedro entrou.
                                                 |
                                   (Sindeto - Conjunção)

Observe que, neste exemplo, o fato de Pedro "entrar" não era o esperado, "mas" ele entrou. Temos uma "ADVERSIDADE" entre os fatos, portanto estas Orações são chamadas de ORAÇÕES COORDENADAS SINDÉTICAS ADVERSATIVAS.

Observe:

                               Maria saiu, "mas" Pedro entrou.
                                                |
                                (Conjunção Adversativa)

 ORAÇÕES      COORDENADAS    SINDÉTICAS     ADVERSATIVAS
      |                     |                      |                     |
     (Verbos)   (São completas) (Possuem Síndeto) (Indicam Oposição)

São Conjunções Adversativas: mas, contudo, todavia, entretanto, porém, no entanto, ainda, assim, senão.


Caso 4.
Queremos dizer que um fato é a conclusão do outro. Ou seja: em sua semelhança de função, podemos "Concluir" um, a partir do outro.

                               Maria saiu, "portanto" Pedro entrou.
                                                   |
                                    (Sindeto - Conjunção)

Observe que, neste exemplo, o fato de Maria ter saído, nos leva à "Conclusão" de que Pedro entrou. Estas Orações são chamadas de ORAÇÕES COORDENADAS SINDÉTICAS CONCLUSIVAS.

Observe:

                        Maria saiu, "PORTANTO" Pedro entrou.
                                              |
                                  (Conjunção Conclusiva)

  ORAÇÕES     COORDENADAS     SINDÉTICAS       CONCLUSIVAS
       |                   |                      |                       |
  (Verbos)   (São completas) (Possuem Síndeto)  (Indicam Conclusão)

São Conjunções CONCLUSIVAS: logo, portanto, por fim, por conseguinte, conseqüentemente.


Caso 5.
Queremos dizer que um fato "transmite a idéia" do outro. Ou seja: apresentam uma relação em que um "Explica" o outro.

               Maria comeu tudo, "ou seja" Pedro ficou com fome.
                                             |
                               (Sindeto - Conjunção)

Observe que,  o fato de Maria ter comido tudo implica no fato de Pedro ter ficado com fome, ou seja: Pedro ficou sem comer, e a "explicação" é que Maria já havia comido tudo. Estas Orações são chamadas de ORAÇÕES COORDENADAS SINDÉTICAS EXPLICATIVAS.

Observe:

               Maria comeu tudo, "ou seja" Pedro ficou com fome.
                                             |
                          (Sindeto - Conjunção Explicativa)

  ORAÇÕES     COORDENADAS     SINDÉTICAS       EXPLICATIVAS
       |                   |                      |                       |
  (Verbos)   (São completas) (Possuem Síndeto)  (Indicam Explicação)

São Conjunções EXPLICATIVAS: isto é, ou seja, a saber, na verdade, pois.

Muito Cuidado!

Ao longo desta aula eu citei exemplos de conjunções, como:

"São Conjunções EXPLICATIVAS: isto é, ou seja, a saber, na verdade, pois."

Algumas conjunções, senão todas, podem facilmente mudar suas características e estabeler outras relações. Não decore: A conjunção "ou" é alternativa, a conjunção "e" é aditiva e assim por diante. Um bom escritor pode manipular qualquer palavra e a transformar.

Tudo depende do contexto.

Observe:

              Maria comprará uma casa "ou" fárá uma viagem.
                                                   |
                                            (Conjunção)

Observe que, neste período, a conjunção "ou" determina que apenas um dos fatos ocorrerá: ou Maria comprará uma casa ou Maria fará uma viagem. Não os dois. Portanto, neste período, a conjunção "ou" é ALTERNATIVA.

Mas, observe:

        Este moderno veículo flutua na água "ou" mergula no oceano.
                                                           |
                                                     (Conjunção)

Observe que, neste período, a conjunção "ou" determina que ambos os fatos ocorrem. O tal veículo é capaz de "flutuar" ou "mergulhar. Percebam que se trata de um "ou" ADITIVO. Portanto, neste caso, a Conjunção "ou" é ADITIVA.

Fique bastante atento a isso: As conjunções por si mesmas não possuem esta ou aquela relação específica. Somente dentro de um contexto, podermos avaliar que tipo de relação uma conjunção estabelece.

Observe:

                     Pedro estudou, "e" não passou na prova.
                                           |
                                   (Conjunção)

Observe que a conjunção "e", neste período, indica uma relação de ADVERSIDADE. Ele estudou, era de se esperar que passasse na prova, "mas" não passou.

Atente para o uso da vírgula. Nas Orações Adversativas, fazemos uma pausa na leitura para dar a idéia de ADVERSIDADE. Sendo assim, sempre haverá uma vírgula entre elas.

Observe:

                            Maria chegou e não entrou.
                               (Aditiva - sem pausa)

                           Maria chegou, mas não entrou.
                             (Adversativa - com pausa)


Aqui finalizamos o estudo dos Períodos Compostos por Coordenação.

Na próxima Aula, estudaremos o Período Composto por Subordinação.

Bons estudos.



















Ed Borges
Enviado por Ed Borges em 09/04/2011
Código do texto: T2897943

Copyright © 2011. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.

Comentários

Sobre o autor
Ed Borges
Salvador - Bahia - Brasil, 41 anos
56 textos (77579 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 28/07/14 23:34)