CapaCadastroTextosÁudiosAutoresMuralEscrivaninhaAjuda



Texto

Entendendo a Língua Portuguesa - Sintaxe - Aula 20

Olá, amigo leitor.

Antes de inciciarmos nossa Aula 20, vamos fazer uma síntese das Orações e Períodos estudados até aqui.

Observe:

PERÍODO SIMPLES - Oração Absoluta.

PERÍODO COMPOSTO -

                Por Coordenação               Por Subordinação
                          |                                     |
       Orações Coordenadas Aditivas                 ?
       Orações Coordenadas Alternativas
       Orações Coordenadas Adversativas
       Orações Coordenadas Conclusivas
       Orações Coordenadas Explicativas

Iniciaremos agora o Estudo do "Período Composto por SUBORDINAÇÃO".

"Aula 20"

"A Subordinação"

Já sabemos que, em uma SUBORDINAÇÃO, haverá necessariamente uma "Hieraquia", em que uma Oração será necessariamente mais importante que as outras.

Chamamos esta Oração mais importante de ORAÇÃO PRINCIPAL, que determinará FUNÇÕES para que as Orações SUBORDINADAS executem.

Vamos pensar um pouco:

1. No Período Composto por Subordinação, temos dois tipos de orações: A ORAÇÃO PRINCIPAL e as Orações SUBORDINADAS a ela.

2. Como Subordinadas, essas Orações não são completas em si, portanto, não são FRASES.

Observe este Período Composto:

                          Oração 1             Oração 2
                               |                       |
                        Maria disse     /    que iria embora.
                               |                       |
                 (Oração Incompleta)   (Oração Incompleta)

Temos, portanto um Perído Composto por SUBORDINAÇÃO com todas as Orações Incompletas.

Observe outro Período Composto:

                          Oração 1             Oração 2
                               |                       |
                 Maria irá ao baile    /  quando Pedro chegar.
                               |                       |
                 (Oração Completa)     (Oração Incompleta)

Temos, portanto um Perído Composto por SUBORDINAÇÃO com uma Oração Completa e uma Oração Incompleta.

Para que haja SUBORDINAÇÃO, basta que "UMA" das Orações seja Incompleta.
A COORDENAÇÃO só ocorre quando todas as Orações são Completas.

Continuemos.

Até aqui, seguimos uma "sequência" para distinguirmos a COORDENAÇÃO da SUBORDINAÇÃO, iniciando pela identificação das orações: se são completas ou não.

Por vezes, entender se "uma oração" é realmente completa ou não torna-se um pouco mais complicado.

Vamos então nos concentrar nos CONECTIVOS, pois serão "eles" que realmente nos indicarão se um Período é Coordenado ou Subordinado.

Observe:

                           Maria saiu, mas Pedro entrou.

Vamos estudar este Período Composto:

                             Oração 1          Oração 2
                                  |                     |
                           Maria saiu, mas Pedro entrou.
                                            |
                           (Conectivo: Conjunção "mas")

Pensemos juntos:

1. Temos duas orações completas de fácil visualização.

2. Atente ao fato de que este conectivo, a conjunção "mas", apenas liga duas orações, dando a elas uma "relação específica", neste caso, uma Adversidade. Isso já sabemos, mas agora, o mais importante é perceber que esta conjunção não se "une" a nenhuma oração específica, fica no meio, fazendo apenas a "ligação".

3. Devemos, portanto, estudar o Período COORDENADO desta forma:

                        Oração 1                   Oração 2
                            |                              |
                      Maria saiu,   / mas  /    Pedro entrou.
                                            |
                           (Conectivo: Conjunção "mas")

Observe que a CONJUNÇÃO COORDENATIVA não faz parte de nenhuma das orações. Somente depois de estudarmos o Conectivo devemos nos perguntar: Esta Oração é Completa ou não?

Atente ao fato de que Dividimos o Período Composto por Coordenação em 3 partes: Oração 1 + Conectivo + Oração 2... e assim por diante.


Observe outro Período Composto:

                            "Maria disse que não iria embora."

Estudemos o período:

                        Oração 1                   Oração 2
                            |                              |
                      Maria disse       / que não iria embora.
                                               |
                             (Conectivo: Conjunção "que")

Pensemos juntos:

1. Neste caso, o Conectivo "que" não apenas liga duas orações, ele se "adere" ou se "une" à oração seguinte, integrando-se a ela.

Não podemos dizer:

                             Maria disse, não iria embora.

Percebam a "falta" que este conectivo faz.

Este "conectivo" faz deste Período Composto uma SUBORDINAÇÃO, temos então uma CONJUNÇÃO SUBORDINATIVA.

Devemos, portanto, estudar o Período SUBORDINADO desta forma:

                         Oração 1                   Oração 2
                            |                              |
                      Maria disse       / que não iria embora.
                                               |
                             (Conectivo: Conjunção "que")

Observe que dividimos o Período em 2 partes, integrando a Conjunção à oração seguinte, pois esta Conjunção é INTEGRANTE, ou seja: integra realmente uma oração, além de fazer a ligação entre as orações do período.

Recapitulando:

Conjunções Coordenativas - apenas ligam orações COORDENADAS, estabelecendo uma "relação" entre elas.

Conjunções Subordinativas - Integram a oração seguinte, além de ligar ambas as orações do Período.

Agora sim podemos estudar as Orações Subordinadas...
(Ufa!)

"O Periodo Composto por SUBORDINAÇÃO"

1. Já sabemos que, neste período, pelo menos uma oração deve ser incompleta.

2. Sabemos também que haverá, na Subordinação, uma Hierarquia presente: Oração Principal - a mais importante - e a(s) Oração(ões) Subordinada(s).

Vamos lá...

As Orações Subordinadas derivam necessariamente de "nomes": Substantivos, Adjetivos ou advérbios.

Observe:

                                     Pedro está feliz.
                 (Período Simples - Uma única Oração: Absoluta)

Suponhamos que Pedro seja um rapaz muito estudioso. Temos uma igualdade:

                                 Pedro = rapaz estudioso

Posso eu querer trocar o Substantivo "Pedro" por uma Oração que corresponda ao mesmo que  "Pedro" significa.

Observe:

                                     Pedro está feliz.
                                Pedro - rapaz estudioso

                            "O rapaz que estuda está feliz."

Observe o Período criado:

                                Oração 1             Oração 2
                                     |                        |
                         O rapaz que estuda  /   está feliz.

Ou seja: Transformamos um "Substantivo" (Pedro) em uma Oração Subordinada (O rapaz que estuda...).

Temos, portanto, uma ORAÇÃO SUBORDINADA SUBSTANTIVA.

ORAÇÃO SUBORDINADA SUBSTANTIVA é a Oração que ocupa o lugar de um Substantivo, exercendo funções típicas do Substantivo.

Observe a tabela das Funções que o SUBSTANTIVO pode exercer:

   Funções Exercidas           Oração Subordinada Correspondente
              |                                             |
          SUJEITO                                 SUBJETIVA
       PREDICATIVO                            PREDICATIVA
     OBJETO DIRETO                        OBJETIVA DIRETA
    OBJETO INDIRETO                      OBJETIVA INDIRETA
 COMPLEMENTO NOMINAL              COMPLETIVA NOMINAL
          APOSTO                                    APOSITIVA
  AGENTE DA PASSIVA                   DE AGENTE DA PASSIVA

(Lembrando que o Vocativo é exercido por um SUBSTANTIVO, mas não forma uma oração Vocativa, por não pertencer à oração.)

Estudaresmo cada "Uma" das ORAÇÕES SUBORDINADAS SUBSTANTIVAS nas aulas seguintes.

Continuemos.

Observe:

                    O rapaz inteligente passou no concurso.
                 (Período Simples - Uma única Oração: Absoluta)

                                 inteligente = Adjetivo

Posso eu querer trocar o Adjetivo "inteligente" por uma Oração que corresponda ao mesmo que  "Inteligente" significa.

Observe:

                    O rapaz inteligente passou no concurso.
                                Inteligente - que estuda

                        O rapaz "que estuda" passou no concurso.

Observe o Período criado:

                                Oração 1                Oração 2
                                     |                           |
                  O rapaz / "que estuda"  /   passou no concurso.

Ou seja: Transformamos um "Adjetivo" (Inteligente) em uma Oração Subordinada ("que estuda").

Temos, portanto, uma ORAÇÃO SUBORDINADA ADJETIVA.

Atente ao fato de "O rapaz" pertecer à ORAÇÃO 2, sendo sujeito do verbo "passar" Quem passou no concurso?  - O rapaz!

A Oração Subordinada Adjetiva se encaixou no "meio" da Oração Principal como um "Adjetivo", dando uma qualidade ao Substantivo "rapaz", modificando ele- Não é "qualquer" rapaz, mas sim o rapaz "que estuda".

ORAÇÃO SUBORDINADA ADJETIVA é a Oração que ocupa o lugar de um ADJETIVO, exercendo funções típicas do ADJETIVO, que é ser um ADJUNTO ADNOMINAL (se juntar ao nome - Substantivo e modificá-lo).

Estudaremos aprofundadamente as Orações Subordinadas Adjetivas mais adiante.

Observe este outro exemplo:

                             Maria saiu de casa à noite.
                 (Período Simples - Uma única Oração: Absoluta)

                       à noite = Advérbio (Locução Adverbial)

Posso eu querer trocar o Advérbio "noite" por uma Oração que corresponda ao mesmo que  "à noite" significa.

Observe:
                             Maria saiu de casa à noite.
                             á noite - quando anoiteceu

                        Maria saiu de casa quando anoiteceu.

Observe o Período criado:

                                Oração 1                Oração 2
                                     |                           |
                       Maria saiu de casa   /    quando anoiteceu.

Ou seja: Transformamos um "Advérbio" (à noite) em uma Oração Subordinada ("quando anoiteceu").

Temos, portanto, uma ORAÇÃO SUBORDINADA ADVERBIAL.

Atente ao fato de A CONJUNÇÃO "quando" pertencer à segunda oração, o que faz com que a oração "quando anoiteceu" não ser Coordenada, mas sim Subordinada, por não apresentar um sentido completo.

A Oração Subordinada Adverbial funciona como um Advérbio, lingando-se a Adjetivos, Verbos ou outros Advérbios.

Observe que a oração "quando anoiteceu" se refere ao VERBO "saiu".

                                    Saiu quando?
                                 - quando anoiteceu!
                        (Circunstância de TEMPO = Advérbio)

ORAÇÃO SUBORDINADA ADVERBIAL é a Oração que ocupa o lugar de um ADVÉRBIO, exercendo funções típicas do ADVÉRBIO, que é ser um ADJUNTO ADVERBIAL (se juntar a Verbos, Adjetivos ou Advérbios para dar-lhes "circunstâncias: tempo, modo, finalidade, conformidade etc.)

Estudaremos aprofundadamente as Orações Subordinadas Adverbiais mais adiante.

Vamos recapitular:

PERÍODO SIMPLES - Oração Absoluta.

PERÍODO COMPOSTO -

                Por Coordenação                        Por Subordinação
                          |                                               |
       Orações Coordenadas Aditivas                 SUBSTANTIVAS
       Orações Coordenadas Alternativas               ADJETIVAS
       Orações Coordenadas Adversativas             ADVERBIAIS
       Orações Coordenadas Conclusivas
       Orações Coordenadas Explicativas

Na aula 21, aprenderemos a diferenciar uma Oração SUBORDINADA de sua Oração PRINCIPAL e iniciaremos o estudo das Orações Subordinadas Adjetivas, seguidas das Adverbiais. As Orações Subordinadas Substantivas serão vistas por último, pois conta com um maior número de subdivisões.

Revise muitas vezes esta aula, pois é imprescindível à continuidade do nosso curso.

Bons estudos.

Ed Borges
Enviado por Ed Borges em 09/04/2011
Código do texto: T2898685

Copyright © 2011. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.

Comentários

Sobre o autor
Ed Borges
Salvador - Bahia - Brasil, 41 anos
56 textos (77550 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 28/07/14 05:18)