CapaCadastroTextosÁudiosAutoresMuralEscrivaninhaAjuda



Texto
                    
         
             A ABREVIATURA DA PALAVRA PROFESSOR

 
      O costume de abreviar as palavras surgiu da necessidade de facilitar o árduo trabalho de copiar longos textos a mão. Foram tantas as abreviações surgidas ao longo dos séculos, que, para o leigo, muitos escritos antigos são praticamente ilegíveis. Quem já viu um pergaminho sabe do que estou falando. Felizmente, o surgimento da imprensa, da máquina de escrever e, moder­namente, do computador reduziu consideravelmente a necessidade das abre­viações, muitas delas criações pessoais, que só têm sentido aos olhos do autor.

       A criação de abreviações é livre. Todos podemos lançar mão desse prático recurso em nossas cópias e anotações.

        Existe, porém, ao lado da abreviação, uma forma de redução de pala­vras que se chama abreviatura. Enquanto a abreviação, por se destinar, antes de tudo, ao uso pessoal, não possui forma fixa, a abreviatura, por ser oficial, normatizada, não pode ser alterada e atém-se a algumas regras, das quais a principal é a exigência do ponto (ponto abreviativo).

        Vejamos o caso da palavra professor.

        Existe coisa mais fácil do que cortar a palavra após a quarta letra e acrescentar-lhe o ponto abreviativo?

    Há pessoas, no entanto, que gostam de complicar. E, não contentes com um procedimento tão simples, inventaram outra palavra, que só teria lugar no Livro das Aberrações Ortográficas. E o erro está em toda parte, até mesmo na fachada de um conhecido colégio de Macapá, para confirmar o que já sabemos: o des­conhecimento da língua portuguesa começa na escola.

       Mas que erro é esse?

       O erro é este:

       Escola Estadual Prof.º Gabriel de Almeida Café.

      A “bolinha” (º) que aparece ao final da errada abreviatura da palavra professor, nesse (mau) exemplo de descaso com a língua pátria, chama-se letra superior ou letra sobrescrita e, na ortografia oficial do Brasil, re­pre­senta, por clareza gráfica, a última letra da palavra original. Assim, temos:
 
     N.º = número     1.º = primeiro        Eng.º = engenheiro
     Dr.ª  = doutora      Ex.ª = excelência        Prof.ª = professora
 
      O que está  fazendo, então, aquele o sobrescrito numa palavra que termina em r?

       A meu ver, ele está aí por influência da palavra professora, que, por terminar em a, recebe, ao ser reduzida, um a sobrescrito (ª) após o ponto abreviativo.

     A invencionice Prof.º (ou, pior ainda, Profº) estaria, portanto, correta para uma suposta palavra "professoro", que só existe na pronúncia de um japonês iniciante em língua portuguesa.

      Não complique, não erre.

      Escreva sempre:

      Prof. João Fernandes
      Rua Prof. Daniel dos Santos
      Escola Estadual Prof. Gabriel de Almeida Café
 
 
 
Loro Martins
Enviado por Loro Martins em 24/08/2011
Reeditado em 24/08/2011
Código do texto: T3178610

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.

Comentários

Sobre o autor
Loro Martins
Amapá - Amapá - Brasil
11 textos (41503 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 19/09/14 10:51)