Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

FONÉTICA (parte I)

     Eis que vos apresento um dos assuntos mais complexos de se estudar na gramática do português brasileiro: a fonética. É sabido que muitos concursos elaboram questões de fonética e os candidatos, por acharem o assunto fácil, não dão real importância a esta área do português que, para mim, é uma das melhores.
     A explicação abaixo visa apresentar os principais conceitos fonéticos e as classificações mais utilizadas, bem como descontruir ideias erradas a respeito dos sons da linguagem humana. Espero que eu possa atender às expectativas de vocês, ávidos leitores.

CONCEITO DE FONÉTICA

     A Fonética é a parte da gramática que se preocupa em estudar os sons da linguagem humana. Gramaticalmente, esses sons são chamados de fonemas.

O QUE É UM FONEMA?

     O Fonema é a menor unidade sonora de uma língua. Ele é simplesmente um som, responsável pela distinção de palavras. Na gramática, para fazer o registro escrito de um fonema, usam-se barras ( /  / ). Veja um exemplo:

gato / g / a / t / o /
mato / m / a / t / o /

     O que se vê de diferente nas palavras acima? Certamente, houve uma troca de letras, não? Aparentemente sim, mas o que mudaram foram os fonemas. Por que se diz que o G é um fonema? Simples: ele é um fonema, porque é um som distintivo, ou seja, é diferente dos outros, da mesma forma que o M é, da mesma forma que o A, o T e o O são diferentes entre si. Para deixar bem claro: TODAS as letras são fonemas, pois cada uma é diferente da outra (em termos de som, é claro).

O QUE É UMA LETRA?

     Letra é a representação gráfica do fonema. Na gramática do português, temos 26 letras, que correspondem aos principais sons (fonemas) de nossa língua. Esse conjunto de letras é o que todo mundo conhece como alfabeto.

CLASSIFICAÇÃO DOS FONEMAS

     Os fonemas do português classificam-se em três tipos: vogais, semivogais e consoantes.

VOGAIS
     As vogais são fonemas pronunciados com total liberdade da passagem do ar pela boca. Querem a prova? Pronuncie num mesmo impulso as cinco vogais do português sem fechar a boca. Conseguiram? Se sim, ótimo. Eis a comprovação. Os fonemas que não apresentam obstáculos na passagem de ar são chamados de vogais. Gramaticalmente, conhecemos 5 vogais, certo? Na realidade, se formos analisar foneticamente, temos 12 vogais. Não tenham medo, é fácil. Vejam*:

a - aqui é o A como o conhecemos normalmente, como em “água”.
ã (com til) - aqui o A está nasalizado, como em “canto”.
e - aqui é o E fechado, como em “deixo”. É o famoso “ê”.
e - aqui é o E aberto, como em “égua”. É o famoso “é”.
e (com til) - aqui o É está nasalizado, como em “mentira”.
i - aqui é o I como o conhecemos normalmente, como em “igreja”.
i (com til) - aqui é o I nasalizado, como em “injetar”.
o - aqui é o O fechado, como em “sogro”. É o famoso “ô”.
o - aqui é o O aberto, como em “cipó”. É o famoso “ó”.
õ (com til) - aqui é o O nasalizado, como em “homem”.
u - aqui é o U como o conhecemos, como em “uva”.
u (com til) - aqui é o U nasalizado, como em “chumbo”.

* Não deu para colocar o til (~) em cima de algumas vogais porque este site não deixou... rs

SEMIVOGAIS
     As semivogais são fonemas vocálicos que se juntam a outras vogais para formarem, juntas, uma sílaba. As semivogais são somente duas: o I e o U. Veja um exemplo:

                   pai                      mau

     Nos exemplos acima, as vogais I e U são classificadas como semivogais porque elas estão unidas a outras vogais na mesma sílaba. Aposto que você, leitor, deve estar se perguntando: e se fosse, por exemplo, a palavra “mãe” ou “enjoo”? Temos aí duas VOGAIS na mesma sílaba, certo? Aparentemente sim, mas na realidade, temos uma VOGAL e uma SEMIVOGAL, pois no caso de “mãe”, o E tem som de I (mãi); no caso de “enjoo”, o segundo O tem som de U (enjou). Você, leitor, deve estar dizendo: Hã? Que diabo é isso? Não se preocupem. Vai ficar pior! Kkk E uma outra informação: na fonética, o I assume a forma de Y (pay); o U assume a forma de W (maw).

CONSOANTES
     As consoantes são fonemas pronunciados com algum obstáculo na passagem do ar pela boca. Sempre que houver um obstáculo, o fonema será uma consoante. Quer uma prova disso? Tente pronunciar o fonema B sem unir os dois lábios... Não conseguiu? Eu sabia que não. Conseguiu? Parabéns, você não é deste planeta! Creio que ninguém consegue, pois esse fonema sempre encontrará este obstáculo (os lábios se tocam). Querem outros exemplos? Ok. Tente pronunciar o fonema D sem que a ponta da sua língua toque os dentes de cima... Tente pronunciar o fonema F sem os seus dentes de cima encostarem em seus lábios de baixo... Conseguiram? Eu sabia que não! Esses fonemas são consoantes. Na gramática do português, temos 21 consoantes; porém, fonologicamente, temos mais, é claro. (No outro artigo explico melhor!)

     Bem, espero que tenha esclarecido algumas coisas para vocês, caros leitores, a respeito da fonética. Este artigo não resolve tudo, é claro, mas queria apenas rever alguns conceitos e pô-los de forma mais simples para vós. Em meu outro artigo, explico melhor os tipos de fonemas, pois isto aqui é só a ponta do iceberg. Até mais!
Rafael Füller
Enviado por Rafael Füller em 19/07/2012
Código do texto: T3786038
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Rafael Füller
Itapipoca - Ceará - Brasil, 25 anos
11 textos (45264 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualizaçăo em 23/10/14 01:48)
Rafael Füller



Rádio Poética