Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

amor não é pecado

Sent: Monday, May 22, 2006 10:04 PM
Subject: OUVE AMOR

AMOR NÃO É PECADO
________OUVE AMOR
________Ângela Maria Crespo

DESCULPA SÓ ESTAR PRESENTE
Ouve amor, mostre-me que me amas,
DEPOIS DE TE OUVIR EM CHAMAS
Por que me fazes viver tão descontente,
ASSIM COMO QUEM DESEJA SENTE
Arranca-me deste dossel em chamas,
ATÉ DIZERES QUANTO ME AMAS...
Adorna de paz meu coração descrente.

NESTAS HORAS MEUS OLHOS VÊM
Por isso te julgo um ser inconsciente,
SENTIR UM DESTINO DE FONTES,
Enigma cuja chave está só com Deus,
EU CHORANDO ELES NADA VÊEM
Entretanto amor, meu sonho finalmente,
ATÉ OS ABRIR NOS HORIZONTES...
É que nunca consigas dizer-me adeus.

ONDE A DESCRENÇA TERMINA FÉ
Peço perdão se te presumo um misto,
PRA MESMO SEM SABER EU SINTO
De horror e sedução, de noção ausente,
QUANDO ESCREVENDO VOCÊ LÊ...
Continuas a errar, que eu te perdôo nisto.

COISAS MESMO SEM O EXPLICAR
És homem, um ser que não se explica,
ONDE UM DIZER DITO NÃO MINTO
Criatura fraca, e também falso demente,
CONFUNDE-SE, FEITO PRA FICAR...
Isto é o que te condena e o que te justifica!

{São versos entrelaçados, para quem ama o amor em versos sonhados, aqui dedicados pela atenção e ternura a uma poetisa que tinge de tristeza a beleza fazendo-nos felizes!
Juntos deixo-nos subir ao palco..., na resposta exposta de + uma cor_respondência...
São palavras frescas, a crescer na horta, ainda aqui... na Hora!}
direitos autorais reservados
Ângela Maria Crespo
htpp://www.angela.amorepaz.nom.br

________OUVE AMOR
________Ângela Maria Crespo

Ouve amor, mostre-me que me amas,
Por que me fazes viver tão descontente,
Arranca-me deste dossel em chamas,
Adorna de paz meu coração descrente.

Por isso te julgo um ser inconsciente,
Enigma cuja chave está só com Deus,
Entretanto amor, meu sonho finalmente,
É que nunca consigas dizer-me adeus.

Peço perdão se te presumo um misto,
De horror e sedução, de noção ausente,
Continuas a errar, que eu te perdôo nisto.

És homem, um ser que não se explica,
Criatura fraca, e também falso demente,
Isto é o que te condena e o que te justifica!

AMOR NÃO É PECADO

DESCULPA SÓ ESTAR PRESENTE
DEPOIS DE TE OUVIR EM CHAMAS
ASSIM COMO QUEM DESEJA SENTE
ATÉ DIZERES QUANTO ME AMAS...

NESTAS HORAS MEUS OLHOS VÊM
SENTIR UM DESTINO DE FONTES,
EU CHORANDO ELES NADA VÊEM
ATÉ OS ABRIR NOS HORIZONTES...

ONDE A DESCRENÇA TERMINA FÉ
PRA MESMO SEM SABER EU SINTO
QUANDO ESCREVENDO VOCÊ LÊ...

COISAS MESMO SEM O EXPLICAR
ONDE UM DIZER DITO NÃO MINTO
CONFUNDE-SE, FEITO PRA FICAR...
Francisco Coimbra
Enviado por Francisco Coimbra em 23/05/2006
Reeditado em 23/05/2006
Código do texto: T161198
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Francisco Coimbra
Portugal
785 textos (310483 leituras)
37 áudios (39565 audições)
1 e-livros (148 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 06/12/16 17:50)
Francisco Coimbra