Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

TOP "40" Recantistas (parte I)



TOP 40 RECANTISTA (Parte I )

PS - Amigos: Descobri que não conheço a grande maioria dos escritores 
deste Recanto.Então iniciei um trabalho de colheitadeira, e ler...ler...e ler...
Resolvi publicar, ainda que uma pequena parte, o que mais gostei, de quem li, 
muita gente boa ficou para trás, mas voltarão em outros capítulos...
se gostarem deste.

Se Alguém, não quiser seu texto aqui divulgado, por favor, é só me avisar,
 e retiro-o.


Beijos a todos! MALU





CONVITE À LUA

Ó lua tão plena e bela,
A voce um pedido faço agora,
Venha e me ilumina com tua luz,
Que a tantos poetas sabes como seduz,
E mistura o frescor do mar e a luz prata,
Que de ti emana, e eu quero nela me banhar.

Conta-me se possível qual o teu segredo,
Ao ficar brilhando para mim com teu fulgor,
Vem anda logo e inuda minh`alma com o amor.

Depois acaricia a minha tez nua,
Que a ti clama só amor e é só tua,
Pode ser aqui mesmo nesta praia deserta,
E pode ser também quando eu estiver na rua.

Outro pedido a ti hei de fazer,
Clareia todas almas que são escuras,
Acalenta o doce sono do pequeno inocente,
Dá com o teu brilho o lenitivo para o doente.

E ainda te faço o mesmo convite,
Que voce já atendeu ao Gilberto Gil,
Quando em sua bela canção, ele cantou,
Que a gente precisa ver o luar e encantou.

Afranio Garcez (Poláris)


»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»



SONHADORA

Uma mulher na janela
Se debruça a sonhar
Contempla as pessoas que passam
Esperando o seu amor.

Brilha o sol ardente
As nuvens do céu sumiram.

Passam os rapazes cantando
Não sabem que estou esperando
O amor apossar em mim.


AFONSO SILVA

»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»

MEU SEGUNDO FILHO!


Hoje, está mais sorridente do que nunca,
Parece uma deusa encantada, sendo projetada de uma flor,
Peguei ela pela mão...
Senti um amor tão grande,
Que mais parecia luz de explosão,
Disse-me ao ouvido,
"Os chutes do nosso segundo filho,
Já estou sentindo"
Menina ou menino, tanto faz,
O que esteja dentro do seu ser,
E muito sublime, essa espera, na luta do amor pelo viver.

Acredito na força vital da vida, no segundo fruto do nosso amor,
Com alegria e emoção, minha querida,
Suavizo a mão bem de mansinho, canto uma linda canção,
Que se encontra no seu ventre ninho.

Cantando ainda eu pensava, nessa outra vida que brotava,
Continuava acariciando, com paciência e mansidão,
Desse pedacinho de gente, que tanto me irradia,
Alimentado pelo coração de mãe,
Doce mistério, linda magia.

Fito o horizonte, fazendo uma reflexão.
O que estará ocorrendo nessa gestação?
O médico me informou com ternura e bastante compreensão;
"Se esse bebê vier ao mundo, há de sofrer tormenta desilusão.

Segundo diagnóstico; far-lhes-ei uma revelação,
Peço que olhem o fato com a cabeça,
Não, com o sistema do coração,
Aconselho o aborto, essa, como médico é minha opinião,
Sei que não é uma boa; digo com convicção,
A ciência não erra e nem perdoa,
Três fatos negativos, mãe!
Ocorreram com você, com certeza já colocou em risco
A formação de seu bebê.

O primeiro é claro e evidente, são os trinta e sete anos,
Seus já vencidos,
Mas, contesta o casal amigo:
"Para quem ama não se consideram envelhecidos".

O segundo pior ainda, foi quando na Santa Casa,
Em Niterói, submeteu-se a uma cirurgia,
Não sabendo que estava grávida, foi sub-metida a uma
Sonoplástia, tomando, geral anestesia.

O terceiro fato veio a se ratificar,
Foi tão angustiante que começou a chorar;
O fator RH, incompatibilidade total,
Pensou que fosse o fim,
Mas, convincente, exclamou:
"Meu filho, vai ser arrancado de mim?

Neste momento exato, veio a nossa mente,
Tantos irmãos nossos, não lutam pela vida,
São fracassados, doentes, deprimidos, cegos, surdos
E até dependentes, são paralíticos, desesperados e,
Atormentedos, cada qual leva a sua cruz,
Quanto a nos, continuaremos...
Sempre confiantes...
- Meu filho, meu tesouro, defendê-lo-ei até o fim,
Não desejo olhar para traz, confiar nos ensinamentos
Que o Senhor Deus NOS faz.
Assim, concerteza, sempre carregaremos a paz.

Vou fazer um desafio,
Tão imenso e não disperso,
Meu filho, virá ao mundo,
Nessa riqueza de universo.

Nesse contexto divino, devo aumentar a fé,
Nessa infinita abundância, não há barreira e nem distância.
Firmo o pensamento, meu filho respire confiante,
Falta quase nada... somente alguns momentos,
Prá anunciar sua chegada, registrar seu nascimento,
Não será a minha idade que o inpedirá de nascer,
Esta feliz meu coração, desafiarei a medicina,
Mas nunca o autor do perdão, que perduou-nos numa cruz,
Pois desde que fui fecundada, havia um próposito,
"Você verá a luz".

Não será o fator RH,
Positivo ou negativo, que tirará você de mim,
E, por isso eu bendigo, Você estará sempre comigo.
Se, por acaso, alguém lhe disser algum dia,
Você é feio, mudo, cego, sem jeito e sem valor,
Vou sofrer ou sorrir com você,
São sorrisos para vida, fé e explendor,
E, não de assassina, de mau hu8mor.

Nem a anestezia que me aplicaram,
Na realização daquela operação,
Vai-me impedir que um dia, ouça
O tic-tac de seu coração, Não tenha medo, pois eu lhe digo
Creiamos no amor Divino, Ele esteve sempre comigo,
Com certeza, também estará ainda mais conosco.

O tempo passou, passou,
Meu filho, você nasceu,
Demos graças satisfeitos,
Meu bebê o contemplamos,
Você vê-io todo perfeito.

Alci Santos Vivas Amado

»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»


Sem título


Quando rapaz
Metido a fazer poesia
Consultei o Livro do Destino:
Serei famoso algum dia?
Quando obtive a resposta
Fiquei muito satisfeito.
O oráculo dizia:
Não insistas sem a sorte!
Fui cuidar dos meus fracassos
Satisfeito com mim mesmo.
Me elegi meu próprio algoz
Confiante em meus requintes
De um bom sadomasoquista.
Sofro pelas próprias mãos.
Não me dou em holocausto
A nenhum filho-da-puta.
Por isso fiquei satisfeito:
Tenho em mim minha tragédia.
Se os deuses me abandonaram
Por que satã me adotaria?



Aldo Guerra


»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»


Duas almas

Olhem para o prado, lindo verdejante
Sintam no ar o cheiro, a capim molhado
Vejam ao fundo o rio, fresco ondulante
E dois corações batendo lado a lado

Uma égua correndo, e relinchando
Com seu potro branco, sempre á sua beira
Felizes, alegres sem dono, saltitando
Sentindo o mundo, livres, desta maneira

Eis que o homem, um bicho inteligente
Sem saber quanto mal ao mundo vai fazendo
Tenta agarrar, separar, indiferente...

Estes corações, que se amam com coragem
Porque o faz e destrói, eu nunca entendo ...
Porque quando alguém nasce, nasce selvagem !


Alma Lusíada

»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»

Perdão


Eu sei,
Que em cada perdão que te peço,
Meu amor sepulto ainda mais ...
Que nas declarações que faço e falo,
Me distancio cada vez mais...

Mas,
Se pedir perdão é o modo mais sublime de se levantar,
Perdoar é o modo mais sublime de crescer...

Sendo assim,
Perdoa meu jeito de ser,
Perdoa por te magoar,
Perdoa por te querer...

Ana Katerine

»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»


Único Poema




Queria ter escrito um único poema

E nele retratar a minha dor.


Queria ter amado um único homem

Com toda a certeza do meu amor.


Queria ter deitado numa única cama

E em volúpias, parir meu sentimento.


Queria ter chorado uma só lágrima

De ventura pela vida inteira.


Queria ter sofrido apenas uma perda

E que fosse pela morte derradeira.


Queria ter gritado de alegria

Ao ver a sorte me abraçando inteira.


Queria ter sentindo uma saudade,

Para logo, ser acolhida nestes braços.


Queria contemplar uma única face

Tendo certeza da recíproca verdadeira.


Queria acreditar numa só verdade,

Sem esta traça das paixões interrompidas.


Queria a cumplicidade de um segredo

Sem dividir sempre esta agonia.


Ângela Lara

»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»


EU QUERIA APENAS...


Eu queria ter, apenas um lar
um bosque para passear...
e muita paz, nos meus dias.

Queria ter, a mulher que amo
um Anjo, que oriente os meus planos,
e um outro Anjo, para ser o meu guia.

Ah! Eu queria, andar nas ruas sem medo
não precisar ter nenhum segredo,
e que os sorrisos fossem, só de alegria.

Poder amar, na certeza de ser amado
fazer amor sem ter medo do pecado,
dizer só sim; era o que eu mais queria.

Mas infelizmente...o comando é dinheiro
não se sabe mais, quem mente, ou é verdadeiro,
onde está o bom senso, e a sabedoria?...


António Hugo



»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»


TALVEZ POESIA

(aO Poeta GUIDO PIVA, in memorian)


O inusitado “mocanhês” da tua língua
Tem cheiro e sabor daquela fértil mocitude
A Rua Coronel Bento Pires, ainda
Era macarrônica e de felicidade amiúde.

Tão longe do bairro da “Mooca” nasci
Sou semente que germinou ao relento
Transplantado para o jardim do porvir
Ergui uma selva de ferro e cimento.

Na parede guardo lembranças da revolução
Em amarelecidos fotogramas do passado
São Habitantes do casarão da doce ilusão
Onde gentis moçoilas cultivam amor imigrado.

Tudo era, tudo mudou
A terra, a vegetação, o ar,
A praça, a rua, o cortiço
O dedo de prosa na mesa de bar.

Hoje, sou passarinho na gaiola
Sem trino, sem rumo ou direção
O futuro definha na fragrância da cola
Aconchego apartado na construção.

Nas patas do caminhão corre o progresso
Banhando o azul anil de fuligem cinza
A Mooca escreve seu protesto
Em prosas, versos e rimas do GUIDO PIVA.


Antonio Virgilio Andrade


»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»



ARRITMIA

Enquanto o teu corpo se insinua
Caminhando faceiro em minha direção
Vestido de azul turqueza
Destaque entre as cores da multidão
Meu olhar te chama
Meu coração se entrega
- Arritmia de paixão


Assírius


»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»



PONTO DE INTERROGAÇÃO

Por que fazer planos?
Por que cometer tantos enganos?
Em que momento me perdi?
E por que isso aconteceu e não senti?
Por que essa necessidade de olhar a mesma lua?
Por que não consigo controlar essa dor tão nua?
Por que você se ausentou?
Por que não mais me procurou?
Por que nada mais sei do seu viver?
E por que não consigo lhe esquecer?
Será que vou ficar sempre nessa indagação?
Terei que andar constantemente na contramão?
Por que será que o meu amor não o traz para mim?
E por que essa incerteza não tem fim?
Quando conseguirei dar uma trégua ao meu coração?
Será que tudo que fiz foi em vão?
Ou será ainda que, por muitas noites,
Esse sentimento vai me dilacerar a alma como um açoite?
Por que será que não tenho força de vontade
Para afugentar de vez essa saudade?
Por que tenho que sofrer tanto?
Por que não consigo cessar meu pranto?
Por que não consigo deixar de olhar o relógio do tempo,
Achando que assim terá fim o meu tormento?
Afinal, será que vou ficar nessa aflição,
Como se minha vida fosse um ponto de interrogação?



Baby


»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»


TU ÉS MEU



Tu és meu

porque tua é minha vida

e teus são meus desejos

calma e suavemente

na alma que por ti anseia

tenho teu nome gravado

para sempre serei tua

em versos coloridos de paixão

no encontro dos amantes

das bocas que se procuram

em duetos de beijos e carícias

no prazer de sentir-te meu

provar o teu sabor

sem culpa, nem medo

Em sinuosos movimentos

Entregando-me a ti...


Bandyda


»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»


O Poeta e a Poetisa

Tudo o que desejo ter,
Não cabe na mágica,
De um fugaz momento,
Em que minhas asas partidas,
Voam devagar até você.

Tudo o quê nós amamos,
É a poesia nossa de cada dia,
Como um plano de fundo,
Para vidas insípidas e mornas,
Aonde o pecado desejado,
Não é só um beijo no escuro...

O encantamento do luar,
Envolve-nos em silhuetas
Que formam corpos ou rostos,
Dos homens ou mulheres,
Que desejamos amar para sempre.

Mas aonde a alma branca vê,
E o corpo transparente sente,
O poeta vive com lágrimas nos olhos,
A espera do beijo etéreo e insano,
De uma musa feita de areia.



Betha M. Costa


»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»


Medusa

Olho-a
com surpresa
e sinto-me
a nova presa
do seu coração


Ela chega
de mansinho
Promete-me carinho
Eu, assustado
digo: -"Não"


Então ela olha-me
e deixa-me
com duas taças
na bandeja
Petrificado
rente ao balcão.

Bhall Marcos


»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»



Frenesi


Você que me envolve em doce carícia
Percorre todo o meu corpo
Afaga e libera minha alma
E encontra você dentro de mim

Luzes que nos acariciam
E nos provocam frenesi
Nossas almas bailam na dança das cores
Do Amor que envolve a mim e a ti

Somos entes criados da mesma luz
Que ao encontro reluz
Espíritos envoltos em amor
Encontro de luzes, na Luz

Percebemos que o mundo que conhecemos
Está logo ali
Numa dimensão diferente
Daquela a que nos levou o nosso frenesi

A relatividade de tempo, espaço e corpo
Altera de acordo com a nossa percepção
Podemos ser grandes e pequenos
Tudo depende de nossa visão

E nos conhecendo por inteiro
Sabemos que não somos isolados
Precisamos de luzes e cores diferentes
Sempre ao nosso lado

A união de luzes provocam faíscas
Que atingem diferentes alvos
Emanando amor em nossos raios de luz
Toda luz nos será favorável


Cacaubahia


»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»



Sol & Lua

Que em serena solidão
Olha a lua que em versos tristes
Chora e lamenta a completude
De amor que é não

Afeto que é miragem
Que em cada porto segue
Onde a vida passa
E ninguém vê

Vê os teus olhos baços
Com a paixão que não vingou
Porque é saudade e luz
Onde brilha o astro rei

Rei de sua lua, tão cheia
Bela em seu lamento
Que no vento volta
A emitir seu som

Som que é coragem
Em cada pensamento
No sotavento da luz
Que se traveste em fêmea

Fêmea, cuja mensagem
É amar ao sol que brilha
Lentamente sobre as cachoeiras
Nos sonhos que lua buscou

Sol e lua seguem no universo
Vivendo e completando-se
Brilhando e refletindo-se
Em carruagens de amor

E no porto...
A caravela espera e anseia
A vela que ondeia e vela
O mar...
Que no sol se pondo
Reflete a luz do seu olhar
De encontro ao meu

Calaf


»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»



Onde foi parar a paixão?


Onde foi parar a paixão que estava aqui?
Procuro e não acho
Mas juro que vi
Parece que foi ontem
Desembrulhávamos sonhos
E teu olhar estava tanto em mim
Vivaz e risonho
Que me deixei levar
E nos perdemos completamente
Na confusão de sentidos
Nesta fraterna comunhão
És paz na minha vida
A estender-me a mão
Divido contigo
O pueril brincar nesta fusão
Tratado que não se rompe
E não consegue se quebrar
E no confuso casar
De ternura feita de pedra
Responda-me agora a palavra secreta
Onde a paixão foi parar?


Camila


»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»


Agora

Quero fascinar-te com as curvas
do meu pescoço
Ao sentir teu agre beijo em minha nuca
Sem pensar no por vir

Quero que sejas quem és,
Sem disfarces
Sem sofreguidão

Quero enredar-me
nas paisagens de tua cultura
Enriquecendo-me
Para sempre

Quero ceder-me como teu presente
Sem lembrar do passado
Beijar-te a boca
E aconchegar-te em mim

Quero sentir tua alma
Sem máscaras
E agradecer aos deuses
Por te permitir

Quero velar teus segredos
Dispensar-te os medos
Ensinar-te a viver
Agora


Catia Schneider



»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»


Ainda há tempo

Todos reunidos em volta de uma enorme mesa,
coberta por linda toalha alva de linho puro
Iguarias deliciosas, são devoradas pelo prazer
dos olhos, da gula!
Música, alarido, mistura de vozes, gritos.
Falou-se em política, drogas, sexo na adolescência,
poder econômico do País, etc.
Ninguém falou NELE...
Depois da sobremesa, um cafezinho fresco,
quentinho.
A mesa fica vazia, com as lembranças
do fausto banquete.
ELE estava nessa mesma mesa.
Crianças saem correndo à procura dos ovos de
chocolate, na certeza de encontrá-los.
Quem sabe atrás de alguma árvore ou
perto do lago...
Carros saem enfileirados, e mãos acenam como
que dizendo:
- Até a semana que vem!!!
Mas, não era apenas mais um dia virado na
folhinha do tempo.
Era um dia especial .
O Domingo de Páscoa!
Anoitece e sequer SEU nome foi lembrado...JESUS!
E você, lembrou?


Ciça


»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»


Lendas
_____________________________________

Como em lendas antigas
Abrimos janelas para o impossível.
Pensamentos percorrem
Essa seda fina quase intransponível
Num passeio errante....
Parecemos, então, ler o silêncio
Um céu azul de tristezas líquidas
...E o reconfortante fascínio
De um sentimento leve
Que habita todas as sendas
desse mundo de pequenos sinais
Que somos.
...E lá estamos nós
Olhar fragmentado,
Pois sem o olhar do outro nada somos.
Parecemos sem rosto
Sem vontades...
E para fugirmos do naufrágio,
Nos deixamos apenas escapar nesse vôo
Remoendo saudades eloqüentes...
Sentimento estilhaçado no ar
Proferindo palavras
que de tão leves não parecem servir de prisão


Claude Bloc


»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»


Sempre Perco


Perco as vestes de meu mar
Nesse seu falar lacônico
Perco favos de alegria
E o passo dessa dança
Perco o auge da sinfonia
Perco o riso de criança
E a alma ensolarada
No seu tom baixo-irônico
Perco esquadros e compasso
E o lindo projeto de estrada
Esboçado no meu olhar

Perco você todo dia
A cada minuto e instante
Perco a certeza brilhante
nos labirintos de mim
Perco meu sim luzente
Perco o ar de repente
na sua ausência baldia
Perco o canto do bem-te-vi
Perco a colheita da hora
Perco aquilo que vive
no filho que não nasci

E se perco o que nunca tive
que me falta perder agora ?


Claudia Gadini


»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»


Falando de amor

Vou falar de amor
Do amor que do nada nos toma e nos faz loucos
Aquele que tem cheiro, cor e sabor
Amor que é quente e saliente
Que tira o juízo da gente
Abala os sentidos
Amor que não pede passagem
Chega sem aviso
E se apodera de nós
Incendiando o corpo e alma
Aquele nos faz rir feito bobos
E achar tudo lindo e maravilhoso
Mas também nos faz chorar como uma criança mimada
E por capricho traz com ele o ciumes que nos faz brigar
Amor que não tem lógica nem nexo
Mas que une o concavo ao convexo
E nessa união explode a emoção
Ah! Esse vírus louco que nos faz delirar
Que faz o sangue nas veias pulsar
Que nos torna insanos e pervertidos
Por ele até guerreamos
Amor, Amor, Amor...
Que delicia que tu és
Tu temperas a vida
Tu és a vida
Sem ti nada faz sentido
Quem nunca te sentiu não está vivo
Tu amor é quem moves o mundo
Sem ti nada somos
Nada sabemos
Sem ti a vida não se faz!

DAMA DE NEGRO


»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»


Mãe
©Daura Brasil

Mãe!
Uma palavra meiga, tão sublimada,
Símbolo de um amor incondicional,
Na alegria, de viva voz, é exaltada,
Na tristeza, é um suavizar fraternal.

Mãe!
Mulher de um admirável altruísmo,
Na sua simplicidade, se põe a doar,
Com sabedoria, pranteia o egoísmo,
E o mundo de esperança, faz brotar.

Mãe!
No teu coração há sempre o lugar,
Para mais um caricioso aconchego,
Com envolvente gesto, faz retratar,
O alentar de o venturoso sossego.

Mãe!
Doce rosto a revelar serenidade,
Algumas vezes, preocupações...
Mas, sempre afável, transparece,
Segurança e nobres expressões.

Mãe!
Universo singelo e cheio de graça,
Com mimos de muita Paz e Amor,
Junto de você, eu sou a feliz criança,
Com o sagrado presente do Criador.

DAURA BRASIL



»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»



NÃO DIGO MAIS QUE TE AMO

Não digo mais "eu te amo"
porque não quero "eu também"
o que eu quero é o "eu te amo"
que você solta sem voltas
nos olhos meio molhados
de uma ameaça de lágrima
depois de todo vai e vem.
Não te digo mais "te amo"
vou deixar que a tua pele
que é mais que a tua cabeça
espere que se distraia,
e que quando mas se esqueça,
libere geral "eu te amo"
daquele jeito gostoso,
escorregado e maroto
que você sabe tão bem...

Débora Denadai


»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»


POETANDO A ILUSÃO DE MIM

Pensou que sou, mas não sou
Um pouco daquilo que já fui
Quero ser algo mais daquilo que fui
Não esquecendo de tudo que serei
O que eu fui já foi
Mas ainda continua sendo
Porque o ontem
Ainda está tatuado no meu pensamento
O que eu sou
É o agora
E este passa sem demora
Voltando ao ontem que deixei
O que serei
É um misto irreal
Um pouco do ontem
E essência do hoje
A incerteza do amanhã
O tempo passa depressa
Mera ilusão minha
Que iludida
Pensa ver a vida passar
Quando na real
Sou eu que passo pela vida


Denise de Souza Severgnini


»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»


Mareando...

Horizonte matizando mar azul, sol ardente
Chegando. Osculando vagas ondas. Lábios rubros
Lasciva a língua ,braço-de-mar a areia quente.
Despertam grãos e corpos em arrecifes escuros...

Espumas brancas, mareiam corpos nas ondas frementes
Indo e vindo vem e vão, lambem desvendando rumos
Nas fendas lousas, mar a areia oscula. Caricias pungentes
Nas brancas espumas como gozos nos sexos fortuitos...

Mareio... Desvairo ansiando amor, de amor eloqüente
Ser um grão de areia somente ! Grãos amantes pungidos
Em pélagos, profusões eu grito! Balouçada descrente...

Desperta esputar o silencio, amargor entre meus dentes
Mareando alvitre. Colossal oceano no infinito refletido
Na brisa dessecada doidos, eclodi no corpo as sementes.



Deth Haak


»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»


Contradição

Quando você perceber a loucura
de se deixar envolver por mim,
será tarde demais:
você já estará perto do fim.
Quando você sentir a solidão
que está chegando por minha causa,
você estará com um triste coração.
Quando sentir a tristeza de amar,
você estará incrivelmente envolvido.
Terá a voz selada,
o sonho desfeito
e uma enorme sensação de
contradição.
Verá o quanto foi tolo,
e sentirá raiva de mim,
de você e do mundo.
Mas apesar de tudo,
você estará feliz,
pois sabe que eu,
mesmo te fazendo sofrer
sou o melhor para você.
E que não adianta
tentar me esquecer,
pois sou o que você quer
e que vai eternamente querer.

Deusa Indiana


»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»


P A L A V R A S


Planto palavras no solo
Que dão frutos... às vezes, espinho
Adormeço com elas no colo
Quase sempre desperto sozinho.

Algumas palavras são rochas
Inertes...adormecidas... duras
Palavras, também podem ser tochas
Alumiando alcovas escuras.

Caço palavras ao vento
Como se caçam borboletas
Pousadas no firmamento
Ou na esteira de novos cometas.

Palavras aladas... velozes
Mudam de cores e formas
Transmutam-se em bichos ferozes
Recusam as jaulas das normas.

Agora... vejo-me perdido
Numa floresta de letras
As palavras perdem o sentido
Escapam por fendas e gretas.

Fugir, já é impossível
Uma algazarra frenética
O som tornando-se terrível
O apocalipse da estética.

Palavra ética...
Palavra eclética...
Palavra hermética...
Palavra fonética...
Palavra cética...
Palavra poética...



Dionisio Teles


»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»



Pensando em Você


Acordei pensando em você,
E senti uma imensa fome,
não de pão nem de cafe.
fome dos beijos que me levam ao ceu
e do seu delicioso gosto de mel.

Lembrei do azul deste mar calmo,
que são teus olhos,quando me beija
E do brilho que começa a refletir
logo depois de me amar...


EDI DINIZ


»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»


farol




essa luz

que destilas

no olhar


que reluz

e me faz

desejar


me seduz

e me diz

pra te amar


me conduz

feito a um barco

no mar...


Edimo Ginot


»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»


Meu amor!

Quero adentrar em seu mundo,
Sentir-te,
ouvir-te,
estar todo envolto
em todo o seu pensar...
E ser tudo o que há em ti!
E em seus gemidos,
Quero ver reunidos, todos os seus desejos...
Para quando o eco deles,
Morrer sublimes em mim,
Saber profundamente, que fui eu que os matei!
Há! Meu amor quando isto acontecer, quero seu rosto mirar,
Quero ver no brilhar de seu olhar,
O reflexo do meu olhar...
Nós nos amamos, afinal...
Num gozo profundo,
teremos inundado o nosso mundo,
com nosso amor tão especial!

Edvaldo Rosa


»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»



Flores teimosas
================ErdoBastos

A semente desta flor
brotada no asfalto ao acaso
caiu das que eu levava
quando não te achei em casa.

Joguei-as fora, na volta!
Mas elas não desistiram,
te esperam lá, até hoje.
Há tanto, que já brotaram...


ErdoBastos


»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»



VIAGEM



Quando viajo na poesia, das horas esqueço
Faço do amor um mensageiro da esperança
Mesmo não sabendo do teu coração o endereço
Entrego-te a ternura que te envolveu ao ser criança.

Vejo-te levitando ao leres o poema
Que a inspiração de minha alma te ofereceu
Porque o amor será sempre um lindo tema
A luz divina que o Criador nos concedeu.

Ao ler teu generoso comentário
Dando retoques de carinho à poesia
Ergo em peito um lindo santuário
Para acolher tua amizade e alegria.

Essa luz a quem devo tanta felicidade
Resguardando-me da tristeza e nostalgia
Não me permite saber na realidade
Onde termina o amor e começa a poesia.

FalcaoSR



»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»



Amar

Ah, amar é tão bom!
Em noites quentes, em noites frias
amar faz tão bem pro coração!

Deixar de amar
Impossível se falta o ar
se não consegue andar
se não tem voz pra falar

Deixar de amar
mesmo que cair
mesmo que sair
mesmo que partir

Deixar de amar
mesmo que perder
mesmo que esconder
mesmo que sofrer

Amar
mesmo que viver
mesmo que crescer
mesmo que nascer

Fátima Batista


»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»


DESPEDIDA


Um bom emprego, hoje em dia, é difícil de conseguir e, quem tem o seu que trate de conservá-lo.
Aí entra competência, atualização, responsabilidade, empreendedorismo e, cada vez procurar executar melhor suas tarefas.
Em certas ocasiões, você pode até virar "maria vai com as outras", no caso de uma greve geral, Cuidado! Se correr algum risco de receber bilhete azul, é melhor seguir sua própria cabeça. Seja você mesmo!
Pode acontecer também que perca o emprego sem qualquer culpa. Foi o que aconteceu comigo em 2003. Recebi um e-mail que me dizia de uma maneira curta e grossa:
“Compareça no local de trabalho até dia 1º de março, de uniforme, às 8 horas. Ao não acatamento a esta ordem, considere-se DESPEDIDA”.
Como eu não tinha o uniforme, não fazia a menor idéia de como era o modelo, e nem trabalhava em qualquer empresa, considerei-me DESPEDIDA!


fernanda araújo


»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»


BAHIA, MINHA BAHIA

Bahia, minha Bahia
De muito sol, muita praia
Muita festa noite e dia
E muito rabo de saia

Queria uma coisa pedir
Mas não sei, pedir a quem?
Se o meu verbo quer fluir
Vou pedir a quem convém

Pra Aquele que manda lá
E não tem outro, meu bem
Eu falo do Pai Oxalá
Que nos proteje do Além

Meu Pai, de sua colina
Protejei com sua seta
Essa gente muito fina
Que se apelida poeta

Iluminai nossas penas
Nossa pluma, nossos papéis
Inspirai-nos muitas cenas
Pra descrever em cordéis

Bahia dos grandes santos
De muita fé e magia
Bahia de amores tantos
É onde nasceu a poesia

Fernando Tanajura


»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»


FALTA VOCÊ

Não suportaria a vida sem você
Aguentaria o mundo sobre mim
Mas, não sua falta.
Angustiante saber que demora
Necessito da sua presença
Do seu abrigo, do seu carinho
Meu amor por você é pleno e sincero
Um amor prá toda vida
Amo demais, eu sei
Sempre fui assim
Coração na frente de tudo
E o resto que se exploda
Viver e amar intensamente
Injusto sentimento
De amar sem ser amada
De desejar e não ter
Eu sei de você
Mais do que de mim
Decorei seu gosto
Calculei meu risco
De me apaixonar
E não ser correspondida
Errei o cálculo
Sofro com isso.
Agora aqui
Falta você.


Flavinha


»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»



AMIGO DE TODAS AS HORAS

Pode ser noite, pode ser dia ,
ou, até mesmo uma madrugada fria ,
a hora em que chegares à minha porta ,
meu coração e minha alma se encherão de alegria.

Tua presença amiga ,
será sempre uma linda e abençoada surpresa ,
e, um lugar especial, meu grande amigo,
estará eternamente reservado à minha mesa.

Mesmo estando distante ,
se por mim chamares, te ouvirei ,
pois o doce som da tua voz, ecoa no meu coração,
e, rapidamente, meus passos apressarei.

A minha amizade e o meu carinho ,
eu te doarei a vida inteira ,
e, na hora em que me pedires uma flor,
amigo, eu te darei uma roseira.

Se um dia, decidires ir embora ,
eu sei , meu coração vai chorar ,
mas , jamais te deixarei partir sozinho ,
partirei também contigo ,
e, vou ao teu lado caminhar.

Se , em algum momento tu caíres ,
os meus braços te estenderei ,
as minhas mãos se abrirão ,
e , depressa , eu te levantarei.

Pois um amigo de verdade,
é abrigo , é amor , e , é luz ,
e, ver no teu rosto, a face,
do nosso Cristo Jesus,
e, quando sentir teu cansaço,
carrega contigo tua cruz.


Florzinha


»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»



Dia da Poesia

eu, te, ti, tigo... até te ter comigo!

Meu fado vive e não tem guitarras,
é das borboletas aos malmequeres,
é como uma alma das guitarradas,
bebendo do vinho e das mulheres

Batendo no peito é o meu coração,
chamando por ti até ao pé de mim,
tudo música a procurar inspiração,
dizendo-me estar por onde vim!...

Comemorar um dia este dia, Dia,
de intensa felicidade em palavras
onde venho agarrar esta alegria!...

Até suave compasso muito lento,
quase devasso onde a ler agarras
fantasia que com alento te tento

{Não será impunemente que se nasceu Coimbra em Coimbra, fica-se ligado ao Fado!}

Francisco Coimbra

»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»


Amor em ti


Se amar
for destino
então esse amor
é meu

Se amar
for razão
então esse amor
é nosso

Se amar
for estrela
então esse amor
é luz

Se amar
for oceano
então esse amor
é mar

Se amar
é ser parte de ti
então sou amor
em ti

Francisco Marques


FIM DA PARTE I


Malubarni
Publicado no Recanto das Letras em 09/07/2006


Malubarni
Enviado por Malubarni em 09/07/2006
Código do texto: T190561

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Citar nome do autor). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Malubarni
Vila Nova De Gaia - Porto - Portugal
595 textos (118378 leituras)
2 áudios (277 audições)
3 e-livros (397 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 05/12/16 22:55)
Malubarni