Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Zelisa Camargo

                 
                     CIRANDA IN MEMORIAM  À  ZELISA CAMARGO!

****>>>18<<<****

 - Com imenso prazer me junto a esta justa homenagem a nossa
 querida Zel, tomando a liberdade de glosar um mote de seu poema
 "À minha sana loucura".

     Que seria desse imenso universo sem a nossa sana loucura
     que inspira todos os poetas em sua magistral candura
     de dizer livremente e sem medo de ser censurado...

     Que seria desse imenso universo sem a nossa sana loucura
que nos leva a entretecer em versos, as tantas quimeras
que a nossa alma anseia, em busca de abrir a porta escura,
deslizando no desconhecido da existência ou em doce espera.

Que viver seria esse, sem o mágico fascínio da hora santa,
   que inspira todos os poetas em sua magistral candura,
que mergulham nas profundezas, protegidos em manta
do mais puro labor, no dedilhar das letras em urdidura.

Mas só aqueles de coração puro, que trazem na bagagem,
uma persona impecável e única, como a Loba do Cerrado,
entram na batalha da verdade e da justiça, com a coragem
   de dizer livremente e sem medo de ser censurado...
 
Guida Linhares - Santos/SP - 11/09/07
 
***1***

ZELISA CAMARGO
MÃE DO CORAÇÃO

Surgindo das nuvens
 quinta grandeza estrela talento
 perspicácia grande poeta
 perfeição da criação
 escuto o tempo
lágrima desce dia amanhece
  exalando essência pena de jasmim
saudade Loba do Cerrado
 Águia Dourada Mainha Zelisa
Deus levou
imagem da flor imaculada
 pureza materna grande amiga
bendita seja imortalidade
 Jesus liberta alma
Águia voando dimensão pouso maior
arco-íris paraíso do anjo
sopro do pensamento campo astral
sentimento cristalino elevando Deus Pai
 concentração do espírito
 caminho da evolução espiritual.
Jesus te abençoe mãe do coração
Lucia Trigueiro
Juazeiro do Norte - Ceará
19.08.2007
 
**2**

Zelisa, Que Saudade de Você!!
 
Voltasse o tempo, amiga
e eu pudesse discar o telefone
e estar mais perto de você,
não sei bem o que diria,
mas, certamente,
quando eu desligasse
uma certeza só, eu queria:
a de que não deixei passar
mais esse dia,
sem demonstrar
em sua mais alta potência!...
mais límpida transparência!..
em seu mais elevado brilho!..
e nesse grau profundo de inocência...
o  quanto eu amo e respeito você!
Tenho certeza
de que esteja você onde esteja
nessa hora está sorrindo,
recebendo esta vibração benfazeja
que transmite o pensamento
de uma grande parte de todo o povo
que me lê
e que, como eu
se curva agora ante você
e com extremado carinho lhe beija!
Zel, querida,
que saudade de você!!
 
Eme Paiva
28.08.07
 
*****>>>>3<<<<<****
 
POETISA ZELISA CAMARGO
IN MEMORIAM
 
Zel, amada amiga
se há uma vaga dor na madrugada de minha navegação,
é essa mania que os poetas têm de ter saudade,
pois sua voz ficou muitodistante...
numa dimensão que meus ouvidos nãosabem ouvir!...
O resto, querida, é somente certeza:
certeza do esvoaçar de suas asas espirituais,
às etéreas e iluminadas paragens, onde agora você habita!!
É tão livre!...tão manso!...tão breve!...
você é essa luz de agora,
dentro da qual vislumbramos o seu sorriso!
Jamais a esqueceremos!
Eme Paiva
10.03.07
 
***>>4<<***
 
Voa Águia Dourada! Asas não mais acorrentadas,
plana serena pela imensidão. Salpica o céu com suas
poesias, iluminando a escuridão. Estrelas, abram passagem
pois nesta nova paisagem, vai faceira a Loba do Cerrado
com seus versos encantados!
SAUDADES!!...
Ana Peralva
 
***>>5<<**
 
Zelisa Camargo
Águia Dourada
Mainha linda do meu coração
voa livre teu pouso maior em direção a Jesus
Deus conceda-te a expressão
da transformação espiritual
 captado com ouvido da alma.
Concentração do espírito no laço eterno da paz
iluminando tua caminhada para libertação
seguindo tua escala espiritual
Eu te amo!!!
saudade Mainha
Lucia Trigueiro
 
****>>>6<<<****
 
Zelisa, linda loba do cerrado,
Estás cercada de gente que te ama...
Loba do bem, só espalhas felicidade,
Irradiando sempre a beleza de tua alma...
Sempre terás o carinho de todos os
Amigos que te ama por serres essa

Loba sempre forte, e de espírito
Ousado e brigador...
Beleza interior é que lhe sobra...
Amiga querida, receba meus mais carinhosos

Beijos poéticos,
Marcial
 
****>>>7<<<****
 
ROSE AROUCK

Z eladora atenta e destemida
E  mpunhando a esperança comovida
L abutastes entre a paz e a verdade
I  nduzindo-nos com o clamor da liberdade
S oergueste a bandeira do oprimido
A  brigando-os com o afeto prometido

 
C aminhastes nas veredas da emoção
A bduzida pelo que acreditav
M ovestes as asas de uma águia em prontidão
A celerando sempre a loba que atiçavas
R eclamando  justiça te lançavas
G anhando sempre pelo espólio da razão
O s teus poemas de promessa que mostravas
 
****>>>8<<<****
 
Adeus Zel!

Adeus, querida poeta Zel,
hoje teu vôo é sublime,
teus versos chegam ao céu
e o nosso coração se comprime.

Cantavas a terra, o amor, a união...
Ofertava-nos sempre flores
e guerreira em tuas dores
nunca ficavas no chão.

Teu lugar era o espaço, já o sabias
e foste alçando teu vôo lentamente,
voaremos contigo em tuas poesias,
legado que de ti ficará eternamente.

Namastê!
Marise Ribeiro
15/02/07
 
***>>>9<<<***
 
Zel
Estrela maior
Luzindo na vida com espledor
Iluminando agora o céu, com amor.
Saudades deixou
A estrela-poeta que na terra brilhou.

Marilda Conceição
02/09/07

****>>>10<<<****
 
Nossa guerreira

Candy Saad

 Guerreira
Mãe de todas nós
Nossa mestra querida
Mulher forte...
Agora fazes poesia aos anjos
Encanta o paraíso
com teus versos
Lembro -me de ti como eras aqui
Eras uma festa para nós
Nossa poeta querida
Nem a cegueira te afastou da poesia
Nem dores insuportáveis
 desanimou-te
Os versos estavam em teu sangue
Animando teu viver
Deixaste para nós o exemplo
Da guerreira que fostes
Do teu caminhar altaneiro
Sempre vencendo as batalhas
Aguia dourada justiceira pedia passagem para nos defender
Loba do cerrado defensora da natureza
Fostes Para o pai
Ele te reservou morada
Em um lugar de conforto
Sem dores e dissabores
Um mundo de poesia e amor
Saudades?
Teus versos perpetuarão
de geração á geração
Sempre que lermos
sentiremos saudades
E amor no coração
Que Deus a tenha em Seus braços

***>>>11<<<***
 
E A ÀGUIA LEVANTOU VÔO
( ROSE AROUCK )

foi-se seguindo a luz que cruzava no horizonte
a destemida guerreira.
Partiu de nós
deixando um vazio na poesia costumeira.
Alçou o mais longo dos vôos, calou sua voz?
ficou sua marca nas nossas almas saudosas,
o eco fortuíto das  suas últimas prosas,
o clamor de tantas obras intimadas
e a nobresa impar, que lhe fazia
dizer com coragem
das diferenças socialmente regeitadas.
Zelisa Camargo era assim, sutil e irreverente.
Quando loba pedia passagem,
como águia via-se livre e independente,
na vez de Xamã impunha uma força
capaz de mover céu e montanha,
com uma certeza tamanha,
para emitir seu grito mais além.
 Ainda que incompreendida nos fez tanto bem.
Nos mostrou naquele seu jeito descontraido de ser,
como as palavras dançavam em sua companhia,
enfileirando a beleza que sentia.
Sorrindo ou chorando acarinhava ao dizer:
-Gracias minha rosa!
- Está  tão chicosa!
Que linda a simétrica descompassada,
seguindo a imdomável Zel,
que retirava,
por todo caminho por onde passou,
um pouquinho do seu véu.
Aqui nesse mundo virtual,
nos fins de Goiania, sua cidade natal,
por toda a amizade que feliz conquistou,
todo o seu amor...
Hoje te homenageamos aqui
amada poeta!
e sabemos que aonde estiveres,
estarás livre, serena e com a alma em festa.

****>>>12<<<****
 
Águia dourada
Sandra Ravanini
Para Zelisa Camargo
 
Águia em descanso astral, luz amanhecendo em desponte,
deixa escoar de tua leveza a iluminação em gestos e canto
de uma ave de ouro soprando à aurora o sublime levântico
e dá-nos os ventos das bênçãos de tua cadente esvoaçante.
 
Ave complacente goteja o acalanto de um repouso ourado,
do lumaréu animante desfila ao mundo a voz em ascensão,
no ritual do vôo chovendo das asas o eletuário de aspersão
tal o libertário espírito deitando o elixir no trino santificado.
 
Águia das cores anônimas, vista hoje o enigma das preces.
Estrela sorridente, reluz aqui dentro um bramido do ventre
tão teu, onde pranteio esta saudade e um suave até sempre,
acenando à loba e à águia, toco a alma na glória da messe.
 
Feliz aniversário Zel
 
26/06/2007
 
****>>>13<<<****
 
Saudosa Zelisa...

Você me ensinou muitas coisas!
Dentre elas, a que sempre me lembro:
- Não ter medo de voar!
Nem sempre chegamos num consenso,
e no entanto, diferentemente de muitos
você soube, mais do que ninguém
respeitar-me, como eu a respeitei!
Você é daquelas pessoas que não se esquece jamais
grande poeta, grande ser humano, grande mulher!
Incontestavelmente, imortal!
Que tenha encontrado, nas planícies do plano superior
um repouso para a guerreira que foi, aqui na terra,
à sombra de inspirações tão ricas quanto a sua,
e algum dia, certamente nos reencontraremos.
Até lá, poeta querida!

Carinhos da Tere Penhabe

***>>>14<<<****
 
ÁGUIA REAL
És agora uma águia real
No mais alto vôo
Nesse vôo imortal
Podes ver tudo
O quanto foste amada
O quanto foste injustiçada
Guerreira lutaste até o fim
E quando o fim chegou
A guerreira numa águia real se transformou
E agora soberana sobrevoas sobre esse simples mortais
 
Marly Caldas
 
****>>>15<<<****
 
ATÉ BREVE ZEL!

Reverenciando o poeta
num novo alvorecer,
sons de violinos,
anjos em cortejos
na Terra do não anoitecer.
Livre navega a poesia
em sua total essência,
alma flutua em alvedrio
numa nascente de magia.
Não mais amarras do tempo
nem verso calado...
Corre sem pedras o rio,
finda dor no corpo cansado,
passeia em belos e cantantes prados
a loba uivante...
Busca sua totalidade
onde alma em aprendizagem,
trabalha paz e tranqüilidade.
Mística e reconfortante viagem...
Do Cerrado, Águia irreverente
pede passagem...
Manastê, até um dia!...
Anna Peralva
03/09/2007
 
****>>>16<<<****
 
A ZELISA CAMARGO

Lamento profundamente tu pronta partida.
Sé que continuarás escribiendo tus bellos poemas,
en un firmamento despejado, lleno de estrellas
y tú formarás parte de ellas, con una luz radiante
que descenderá sobre nosotros para acompañarnos.

SKORPIONA®

****>>>17<<<****
 
DESCANSE ZELISA
Margaret Pelicano

Zelisa, tanta falta você faz,,
o espaço vazio não preenche mais,
fico a imaginar você caminhando, linda
ao lado de um lobo azulado
que em seus braços se aninha...

Fizeste seu nome na net,
tatuaste seu sorriso nos corações,
rompestes barreiras de preconceitos,
contra a saúde lutaste
como leoa em alçapões!

Imagino-te flutando no espaço sideral
levando energia vital
a quem precisa de amor...
Seu belo lobo sempre a seu lado
seja para onde você for...

Abraços amiga querida,
lutadora incansável de letras,
defensora dos animais e do planeta,
continue banhando-se nas águas calmas do Pai,
ouvindo as músicas do sossego e não dos ais!

Descanse Zelisa!

Brasília - 05/09/2007
 
****>>>>19<<<<****
 
ZELIZA
Nadir A D’Onofrio

Saudade que ficou
Da Águia Dourada que voou
Foste a Loba que o Cerrado embelezou
Nas noites que a lua se mostrava nua.

Guerreira do bem
Mesmo ferida não se deixava abater!
Foste exemplo de viver
Indicando a direção ao ser.

Querida Zeliza
Lembra-te que, a chamei de Zínia?
Hoje és luz, de uma grande estrela!
Que feliz...no firmamento cintila...

11/09/2007 10:25 hs
Serra Negra SP

***>>>20<<<***
 
Um Olhar, Um Recuerdo

De brilho intenso,
o olhar.
Tão forte e radiante
que invejava estrelas
de uma noite de verão.
Nele se encontrava
a energia mais pura
que simboliza a vida.
Esse mesmo olhar
fomentava os lábios
a sorrir
e o coração
a palpitar
com mais felicidade.
Transformava desertos
em jardins
e jardins em flores coloridas.
Mas,
bateu as asas
qual um anjo iluminado
para distante
e no entanto
permanece entre nós,
o mesmo brilho do olhar
em forma de recuerdo
que jamais vai se apagar...

Para Zelisa Camargo ...
Nossa amiga ,irmã ...que
sempre tinha uma palavra para
nos confortar ...
Saudades

Ruben Alves Vieira e Sol Lua©

****>>>21<<<****
 
HIERÁTICA SENHORA MINHA
                       (para Zelisa Camargo)
 
Hierática senhora, teus braços são velas,
Acalmando tempestades,
Com teus versos sublimes.
 
Tuas coxas são como cisnes, num lago qualquer
E esperas ávida o fruto divino,
Para derramares a tinta, em teu colo macio.
 
Em tudo o que fazias punhas alma,
Que só ao poeta é concedida,
E desfolhavas, uma por uma, pétalas de uma flor cega.
 
Partiste cedo demais, empunhando tua espada,
Contra a vida degenerada,
Que te quiseram impor, não sabendo que tu eras uma fada.
 
Mas, ah, ó excelsa poeta, não estás sozinha,
Pois a lembrança será de todos a herança,
Que guardarão até ao fim de seus tempos.
 
Jorge Humberto
11/09/07

***>>><<<***

 
Guida Linhares
Enviado por Guida Linhares em 16/09/2007
Reeditado em 16/09/2007
Código do texto: T655502
Classificação de conteúdo: seguro
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Guida Linhares
Santos - São Paulo - Brasil, 70 anos
1957 textos (162952 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 19/10/17 06:54)
Guida Linhares

Site do Escritor