Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

TRIBUTO A UM CÃO DESCONHECIDO - HISTÓRIA VERÍDICA

Era um boxer tamanho médio. Pertencia a uma senhora, umas casas antes da minha, num Condominio Fechado, onde carros com motoristas irresponsáveis, corriam além do permitido.
Dizem que os cães têm o dom de ver o que nós, sem preparo, não conseguimos ver, ou sentir,,,raro as pessoas que têm esse dom ,normalmente, é necessário um desenvolvimento espiritual, em alinhamento com a energia cósmica. No entanto, para os cães, é um dom nato. A inteligência dos mesmos, é como dos seres humanos, diferem entre si.
Falava do Boxeer, o cão da vizinha. Sabia que ele vivia naquela casa com gatos e três outros cães miúdos, e que os protegia dos perigos. Jamais tinha visto esse boxer antes.
Certo dia, ao passar com o carro pela porta dessa vizinha, e sempre dirijo devagar, por causa dos gatinhos..., vi que os cães pequeninos estavam do lado de fora do portão, este estava bem encostado e eles não estavam conseguindo entrar. Fiquei preocupada e chamei o porteiro, para que chamasse a senhora e avisasse dos cães...O porteiro tinha medo do boxer... a dona da casa havia saído e esqueceu de trancar o portão...e foi aí que vim a conhecer esse cão tão especial.
Fiquei, alí parada, e já ia sair do carro para chamar  alguém da casa, quando ao pressentir minha presença do lado de fora, o boxer colocou a cabeça para fora do portão e ficou olhando para mim, enquanto colocava os cães pequenos para dentro da casa. Então falei diretamente para ele...  "...tome conta dos pequeninos, você, que eu saiba, é o responsável por eles e pelos gatinhos..."
Foi quando ele aproximou-se do carro, levantou-se nas quatro patas, pois estava sentado...fitou-me bem dentro dos meus olhos e aconteceu uma das situações mais incríveis que já passei em contato com  os animais  e  tenho muitos em casa.
Houve entre nossos olhares uma comunicação intensa, em que eu sentia que ele falava comigo, sem articular um único som. Senti como se dissesse..." nós nos conhecemos..você já foi minha dona e minha amiga...já vivemos na mesma casa..." e não tive nenhum medo dele. Saí do carro, apesar dos avisos do porteiro e falei para o cão, abrindo o portão da casa mais do que estava.."..entre, aqui fora passa carro veloz..fique aí dentro...e cuide dos seus..." Ele entrou e novamente colocou a cabeça para fora do portão, enquanto eu dizia "adeus, lindinho", e fui dirigindo devagar. Vi que ficou me olhando e finalmente entrou...acelerei e fui para minha casa.
Passaram-se dias, ou talvez um mês, não lembro bem, e senti que nunca mais o vira e resolvi perguntar ao porteiro pelo boxer tão bravo, segundo ele. Tive uma das mais tristes noticias naquela manhã de domingo. O boxer estava com câncer e por estar sofrendo demais, teve que ser sacrificado, por acaso, a senhora tratava dos seus bichinhos na mesma clínica que eu trato dos meus...
Minha familia não entendeu porque chorei o dia todo, não conseguia parar, e lembrava daquele olhar amigo e carinhoso, profundo, que trocamos naquele dia...
Quando lembro dele, fico muito triste, e então resolvi escrever para contar sua história..
Sei que jamais o esquecerei, como não esquecerei minhas cockers que perdi também com essa doença terrível, talvez ele já tenha mesmo sido meu um dia...nem sei seu nome, mas não importa, sua lembrança ficará para sempre guardada na minha memória e no meu coração. Era apenas um cão ...costumam dizer...mas não...não era apenas um cão..Era um cão muito especial, que com um único e profundo olhar se fez entender e ficar para sempre meu amigo e quem sabe, ainda nos encontraremos um dia...assim como espero encontrar os meus outros que também já partiram...
Esta é minha homenagem a um  cão desconhecido, sem saber seu nome, mas que tive um intenso momento de interação de amizade. Uma das mais puras e sinceras amizades que há na Terra, a dos animais, se não for a única amizade verdaderia e desinteressada que podemos ter nessa vida..
                   
                           NAJA
naja
Enviado por naja em 14/10/2007
Reeditado em 29/10/2007
Código do texto: T694177
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
naja
Rio de Janeiro - Rio de Janeiro - Brasil
1207 textos (236370 leituras)
147 áudios (33088 audições)
525 e-livros (50966 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 23/10/17 21:04)
naja