Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

CIDADE MENINA

Cruzeiro, cidade menina,
Cruzeiro, cidade planície.
Cruzeiro, cidade minha.
Cidade que me viu sorrir,
Cidade, que me viu chorar.
Viu nascer meus amores, nascerem e se acabarem.
Cruzeiro, onde meus filhos nasceram.
Aqui vivi aqui chorei, aqui amei.
Tu cidade menina, tu cidade planície és bela é gloriosa.
Quanta historia e estórias, têm a contar sobre ti.
Amor que nasceu por ti quando nem te conhecia.
Foi como que se estivesse escrito que aqui criaria raízes.
Há cidade, quando falo de ti, fico a imaginar eu com cinco anos, falando ao meu pai:
__ Quero morar em Cruzeiro.
Amor infantil, que cresceu por ti cidade.
Cidade como tu Cruzeiro não há, com a bela Serra Mantiqueira a te coroar.
Os lindos traçados do Rio Paraíba do Sul a Cortar.
Sim és bela como nenhuma outro. Foi aqui que antes de nascer Deus colocou em mim que aqui, meus filhos nasceriam meus amores enfim Cruzeiro tu és linda.
Como a minha cidade menina, por onde quer que eu vá  sempre irei falara com orgulho. SOU DE CRUZEIRO  CIDADE MENINA. E vou parafrasear o poeta Sebastião Pinto e dele vou pegar o que ele como ninguém escreveu a Cruzeiro e suas estórias (um dia ainda vou falar sobre o Galã de Cruzeiro).
Voltar em plena Primavera
 Sebastião Pinto
 
> música de Euzébio Lico
> letra de Sebastião Pinto
>
> As flores perfumando a primavera,
> lembro-me ainda, quando eu parti.
> Havia sombras do luar no teu semblante
> e uma lágrima rolou naquele instante.
> Olhei o céu, o azul, a Serra Mantiqueira
> e a paisagem ficou presa na retina.
> O longo adeus naquela esquina, que saudade.
> Primavera, traz de volta meu amor, minha cidade.
>
> Quero voltar - e rever a sonhar.
> Beijar a cruz do teu Santo Cruzeiro
> Rever o meu amor, amor primeiro.
> Minh'alma espera numa tarde azul
> Voltar para Cruzeiro, ai, quem me dera
> Voltar em plena Primavera.
>
> Declamando:
>
> Quero sentir tuas ruas, Cruzeiro,
> beijar tuas vilas endomingadas
> E pela noite adentro quero vagar,
> vagar sozinho, a esmo,
> como uma sombra a procura de mim mesmo...
>
>


jota abreu
Enviado por jota abreu em 20/10/2007
Código do texto: T702039

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (cite o nome do autor e o link para a obra original). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
jota abreu
Cruzeiro - São Paulo - Brasil
4 textos (261 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 22/10/17 16:03)
jota abreu