Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

António Ramos Rosa: sensualidade

Erotismo e sensualidade! Há uma tentativa de actualizar (em sentido linguístico) uma e outra vez estes dois temas ou formas de abordar um tema.
Há muita "poesia" má, muita coisa vulgar em nome do erotismo e da sensualidade. Depois, há muita coisa absolutamente sublime!
Li, como sempre, o Jornal de Letras, e encontrei dois bons textos. Um do escritor José Luís Peixoto, que escreve sobre aquelas duas ou três pessoas adormecidas que há sempre numa qualquer conferência ou palestra. De facto, é fatal. Há sempre umas alminhas que sucumbem ao sono, enquanto alguém debita pérolas de sabedoria.
Li depois um texto sobre um dos maiores poetas portugueses, ANTÓNIO RAMOS ROSA,  escrito - e muito bem - por Maria Teresa Horta. Desde logo, a fechar o artigo, pode ler-se uma citação de Rimbaud, que diz assim:
«" A poesia é a eternidade. É o mar indo com o sol"».
Mas o objectivo do referido artigo é dar a conhecer o último livro de Ramos Rosa, "Rosa Intacta", salientando a sua carga erótica. A ilustrá-lo, transcrevem-se alguns poemas. Deixo aqui um deles:

Com um cerrado ímpeto
abraçou-me.
Senti a tensão eléctrica do seu corpo,
a luxuriante suavidade de uma lua,
a verde plenitude da folhagem,
um frenesim sedento,
a lisa e longa voracidade de uma cobra
a vertigem de uma estrela.

(JL,  21 Novembro, 2007, p. 23)

Excelente!
Helena Santa Bárbara
Enviado por Helena Santa Bárbara em 27/11/2007
Código do texto: T755280

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Helena Santa Bárbara
Portugal, 47 anos
8 textos (579 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 22/08/17 12:26)
Helena Santa Bárbara