Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Renato Russo(Mensagem poetica)

Pode deixar, vou cuidar de você até a noite chegar,
e quando amanhecer o sol vai bater na janela do teu quarto,
e quase sem querer você vai perceber que não foi tempo perdido,
Há tempos que não me sinto tão sozinho comigo mesmo,
mas só por hoje eu não vou mais chorar e nem sentir pena de mim,
eu sei que depois do começo o que vier vai começar a ser o fim,
parece que estou em mil pedaços, é sempre mais do mesmo,
e lá fora minha família está esperando por mim,
de Brasília para o descobrimento do Brasil, tantos momentos,
o mundo anda tão complicado, queria estar em Angra dos Reis,
mais deixa pla lá, vou pensar na ordem dos templários,
e orar em cima da minha montanha mágica,
dizer que as drogas já não fazem parte, que estou limpo,
para espantar esse teatro dos vampiros, que quer me causar medo,
eu não entendo terrorismo, falavamos em amizade,
onde foi que deixamos a nossa coragem, me dá um giz pra mim escrever,
“Vamos fazer um filme”, a saga de João de Santo Cristo,
me lembra de Daniel na cova dos leões ou Baader-Meinhof Blues,
pode ser só teorema sem ter demostração, mas por enquanto,
é a minha única solução, e como soldados vamos pedindo esmolas,
deixando as plantas embaixo do aquário, enquanto a Carmem;
me parece sereníssima, me deixo levar pelo vento do litoral,
lembranças de um amor “perfeito”,
quanto a isso tive que morrer vinte nove vezes,
perdi vinte em vinte nove amizades,
consegui meu equilíbrio cortejando a insanidade,
tudo está perdido mais existem possibilidades,
 e vinte e nove anjos me saudaram, quando pintei você em acrilic on canvas,
Eduardo e Monica mandam lembranças, de um dia perfeito,
é a própria fé que destrói, estes são dias desleais,
se o mundo é mesmo parecido com que vejo,
prefiro acreditar no mundo do meu jeito,
já não sei dizer se ainda sei sentir,
o meu coração já não me pertence,
preciso de oxigênio, preciso ter amigos,
preciso ter dinheiro, preciso de carinho,
preciso das tuas letras que me fazem ter certeza;
que não estamos sozinhos, mas tua lembrança,
vem como melodia de esperança, um grito de liberdade,
que faz unir pais e filhos e meninos e meninas,
enquanto os marcianos invadem a terra,
você quer o meu dinheiro e as minhas opiniões,
ora, se você quizer se divertir invente as suas próprias canções,
mas o que vale é a emoção, e a verdadeira legião são vocês,
você já amou? Como é que se diz “eu ti amo”,
se fiquei esperando meu amor passar,
já me basta que então eu não sabia amar,
mas encontrei você e meu mundo se perdeu,
pois para me encontrar tive que achar você,
já me acustumei com a tua voz,
com teu corpo e teu olhar,
me partiram em dois,
e procuro agora o que é minha metade...
no mais, deixo a saudade...de legionários...
que ficaram...com letras e músicas...sonhos...
realidades...sei que às vezes uso palavras repetidas...
mas quais são as palavras que nunca são ditas? “Força sempre”.
Ricardo di Paula, 05/12/07.  http://www.recantodasletras.com.br/autores/ricardodipaula






Ricardo di Paula
Enviado por Ricardo di Paula em 06/12/2007
Reeditado em 06/12/2007
Código do texto: T766917

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Ricardo di Paula.(ricardo.mync@ig.com.br)). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Ricardo di Paula
Rio de Janeiro - Rio de Janeiro - Brasil, 49 anos
327 textos (71783 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 21/08/17 17:17)
Ricardo di Paula