Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

O CAUSO DO PÊNIS EMPALHADO...

O Causo do Pênis Empalhado.
Uma senhora já meio idosa e muito das fogosas, daquelas que pegava “fogo” até no polo norte e tinha mais horas na horizontal do que qualquer defunto em cemitério e mais horas de cama do que urubu de vôo... enfim, gostava mesmo de ver a jurupoca piar... O marido era outro que não ficava atrás. Então, durante toda a vida de casados era somente amor...
Porém, um belo dia o marido sentiu aquela dor no peito. Enfarto fulminante...! E, bem na hora do dever de casa... Morreu, coitado, com a barraca armada.
Que sufoco! - pensou a viúva fresquinha - Como ficar sem fazer sexo! Era muito respeitada, jamais iria sair pelo mundo em busca de homem!
Então, antes que chegassem as pessoas para o velório, ela cortou o “danado” do pobre defunto. Depois de alguns dias mandou empalhar a preciosa recordação do marido. Todos os dias ela se fechava no quarto, retirava a “relíquia” de um oratório de vidro e ficava horas e horas recordando do marido:
- Ô, João... que saudade!!! Minha vida acabou!!! - dizia ela, acariciando o que restava do finado esposo.
A empregada, muito curiosa, ficava encabulada com aquele ritual. Todos os dias a patroa se fechava no quarto e era a mesma ladainha...
Aí, né, na ausência da patroa, a empregada apanhou as escondidas a chave do quarto e nele entrou. Ao ver aquele “troço” no oratório tomou-o para si. O “troço” escorregou-lhe das mãos e foi ao chão! Partiu-se ao meio. Apavorada, arquitetou uma maneira de não ser descoberta sua intromissão no quarto da patroa. Apanhou uma mola em espiral de um velho guarda-chuva e delicadamente foi enroscando a mola por dentro do “troço” até unir as duas partes.
A patroa chegou da rua. Como sempre... direto para o quarto. Abriu o oratório... mas ao apanhar seu objeto de desejo ele caiu pelo chão e começou a “quicar” pelo quarto por causa da mola. Poim!Poim!Poim!!!
Ela, então, levantou a saia, tirou a calcinha, abriu as pernas e correndo atrás do objeto, gritava:
- Vem, João! Aqui, João! Aqui, querido! Vem, João! Vem João! Aqui João!!!

Lucas Durand
Enviado por Lucas Durand em 20/10/2006
Código do texto: T269471

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Lucas Durand
Belo Horizonte - Minas Gerais - Brasil
491 textos (377096 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 06/12/16 10:11)
Lucas Durand