Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

ADOLESCENTE



Romualdo ou Aldo simplesmente era um bom garoto, com seus um metro setenta e poucos de altura, aparentava bem mais que os seus 16 anos. Era tímido e guardava dentro de si, toda sensualidade e sexualidade de um jovem adolescente, não namorava e muito pouco saia. O Rapaz vivia a ler no banheiro, provavelmente sonhando e abusando das mãos com a ajuda dessas revistas de mulheres nuas. Morava com a mãe, separada do pai quando ele ainda tinha dois anos de idade. No natal daquele ano, a mãe recebeu para a ceia o mais recente namorado acompanhado da filha, também de 16 anos, assim como Aldo. O rapaz nunca tivera problemas com os antigos namorados da mãe que foram muitos, mas dessa vez era diferente. Esse tinha uma filha e muito bonita, além de expansiva e desinibida. Já passava das vinte horas e a moça resolveu convidar Aldo para um passeio na praia, que ficava há uns cem metros de distância. Aldo ficou sem jeito, não estava acostumado a passear com garotas, mas foi incentivado pela mãe, já que se tratava da filha do namorado e até por educação e gentileza, não custaria nada demais um passeio na areia. Já bem distantes da casa, sozinhos e com pouca iluminação, a moça pediu para descansar um pouco, deitando-se na areia e puxando Aldo para perto dela. Sem nenhuma explicação, enfiou a mão por dentro da bermuda do rapaz e começou a massagear seu pênis, deixando Aldo completamente desorientado. Ele ainda tentou resistir, mas a moça foi rápida e tirando a própria bermuda, sentou-se rapidamente sobre ele, iniciando uma cavalgada alucinante. Ele jamais sentira algo semelhante, nem durante as muitas masturbações diárias. E a moça não se cansava, agitava-se, pulava entre gemidos e palavras inaudíveis e inexplicáveis. O rapaz já não agüentava mais, e gozou como nunca, uma explosão inigualável de prazer. Ainda respirando com dificuldade, só conseguia ouvir a voz da jovem:
- ALDO! ALDO! ALLLLLLLLDOOOOOOOOOOOOOOOOO!!!!!!!!!!!!!!!
Aldo acorda, olha só o que você fez, molhou a cama toda..., Que vergonha e eu com a casa repleta de visitas.....
Jose Carlos Cavalcante
Enviado por Jose Carlos Cavalcante em 27/07/2005
Código do texto: T38202
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Jose Carlos Cavalcante
Rio de Janeiro - Rio de Janeiro - Brasil, 56 anos
730 textos (54065 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 04/12/16 06:11)
Jose Carlos Cavalcante