Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

MALDITO NOTICIÁRIO

Arrumar um caso de repente, uma amante de apenas um só dia, é uma coisa muito séria, talvez divertida, mas bem perigosa. Meu amigo Roberto, um mulherengo incorrigível, é um desses freqüentadores assíduos de salas de bate papo da internet. É um “az” na arte da paquera virtual e me garante que é capaz de arrumar muitas namoradas num dia só. Outro dia, resolveu sair do virtual e marcou um encontro com uma dessas namoradas, coisa rápida, uma tarde somente. Marcou com a mulher, no aeroporto de São Paulo. Ele sairia do Rio lá pelas 10 horas e ficariam até umas 4 da tarde, quando então, voltaria ainda no horário do trabalho, não despertando assim, nenhuma desconfiança da esposa (o garanhão é casado). A Rosa, mulher de Roberto, não perde um jornal da tv, seja pela manha, na hora do almoço, ou à noite. Pois muito bem, nesse dia, estavam embarcando para São Paulo, vários atletas recém chegados da Grécia, alguns, medalhistas e a imprensa estava toda lá para registrar a presença dos nossos heróis esportivos. O Roberto não sabia como se esconder dos repórteres com medo de ser flagrado no aeroporto por alguma câmera indiscreta. Pra mim, nada de mais, já que uma desculpa qualquer, como ter ido buscar um cliente ou coisa parecida, no meu entender, não despertaria desconfiança alguma, mas é aquela coisa, o cara estava armando mesmo e o tal do sentimento de culpa, não tem jeito..., pois é. Chegando em São Paulo, encontrou a tal mulher e foram para um motel próximo ao aeroporto, ficando lá a tarde toda, como combinado, voltando normalmente no horário previsto. A noite, vendo o noticiário com a mulher, não deu outra, lá estavam os atletas em diversas entrevistas, mas nem uma aparição fortuita do Roberto, ele chegou a suar frio. Mas pelo jeito meu amigo não foi pego não, pelo menos a mulher nada falara até aquele instante, aliás, acho que certamente, seria o que todos gostariam, que digam as esposas leitoras, entretanto, ao voltar para casa, vendo a TV ao lado da linda e “corneada” esposa, aparece no noticiário uma reportagem de tiroteio entre polícia e bandido, no morro do Vidigal, bairro do Rio de Janeiro com alguns motéis, e lá bem escondida, no canto da filmagem, aparece a bela e fogosa esposa com “um puta negão” agarrado em seu pescoço.
- Nossa mulher, como parece contigo?
- É verdade, parece tanto quanto um cara que vi na tv em são Paulo com uma mulher saindo do hotel, era a tua cara.
 
Jose Carlos Cavalcante
Enviado por Jose Carlos Cavalcante em 20/09/2005
Reeditado em 20/09/2005
Código do texto: T52107
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Jose Carlos Cavalcante
Rio de Janeiro - Rio de Janeiro - Brasil, 56 anos
730 textos (54067 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 05/12/16 17:01)
Jose Carlos Cavalcante