Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

O Absurdo do Poeta

Eu tomei um banho gelado
Com meu chuveiro ligado
Ligado no grau mais quente.
Um banho bem apressado
Eu saí todo suado
Com um cheiro diferente.

Passeei numa canoa
Numa famosa lagoa
Sofri uma queda feia.
Famosa e bastante bela
Mas não tinha água nela
Entupida de areia.

Eu pedi para caçar
Com meu belo caçuá
A mamãe implorei: Deixe!
Respondeu-me ao se coçar
Depois de me caçoar
O mar não tava pra peixe!





Tiago Duarte
Enviado por Tiago Duarte em 11/01/2017
Reeditado em 12/01/2017
Código do texto: T5879175
Classificação de conteúdo: seguro

Copyright © 2017. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Tiago Duarte
Campina Grande - Paraíba - Brasil, 54 anos
748 textos (28036 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 23/09/17 02:57)
Tiago Duarte