Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

EXEGESE

O ano de 79 representou, na década, o ponto alto da vida de D. Afonso. Sentia-se muito bem casado com D. Sandra, com quem já tinha uma filha e encontravam-se a caminho do segundo.  Profissionalmente, estava muito bem instalado numa Assessoria Parlamentar, além de ocupar a Editoria de Política do jornal Notícias da Capital e a direção de seu escritório de Advocacia.

Naquela época, Sandrosa se permitia, vez ou outra, comportar-se como uma esposa tradicional.  Não demonstrava envolvimento, mas preocupação com as múltiplas atividades do marido.  Era comum, naqueles dias de agito, ele sair do Senado por volta das 19:00h, ir direto para o escritório onde ficava até 21 ou 22h e ainda passar na sede do jornal para entregar a matéria a ser publicada no dia seguinte e curtir um papo com companheiros de redação, chegando à casa por volta da meia-noite.

Uma vez, porém, a rotativa do jornal pifou e havia o compromisso de colocá-lo nas bancas antes das 05:00h.  Enquanto uma equipe tratava de buscar quem pudesse consertá-la,  D. Afonso tentava viabilizar uma alternativa que consistia em conseguir rodá-lo nos equipamentos de algum concorrente, o que, felizmente, não foi preciso.  De qualquer forma muito tempo foi consumido, tanto em contatos telefônicos como na espera do reparo que já estava em andamento.  Restabelecida a normalidade, partiu para casa, onde chegou por volta das 03 da manhã.  Como de costume, tomou seu banho e preparou-se para dormir.

Ao deitar-se, Sandrosa vira-se e pergunta:  “Benhê, que horas são?”
- Uma hora.
- Como uma hora?  Às duas dei mamadeira para a Samantinha!
- Oh, Sandrosa, Sandrosa....  uma hora é uma hora qualquer.  É indeterminado!  Não me diga que não estudou Português!

E dormiu.
Dom AFONSO
Enviado por Dom AFONSO em 07/12/2007
Reeditado em 07/12/2007
Código do texto: T768183

Copyright © 2007. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Dom AFONSO
Rio de Janeiro - Rio de Janeiro - Brasil, 70 anos
20 textos (1426 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 21/08/17 06:04)
Dom AFONSO