Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Eu vi só Eu vi...

Eu vi só eu vi...
Vi quando o policial passou a pernaberta
no aleijado convulsivo e roubou suas muletas.
Quando um sorriso de uma criança alvoreceu num belo jardim florido e calmo
e os pais espancaram a criança ate a morte na noite passada.
A vida sonolenta da forma mais bizarra
sofremos desesperos e despejos em nossos rostos...
Fomos despejados...

O sabor de uma fruta madura no pe
O sabor de uma puta madura no pau
de um negro que foi surrado ate entender quem manda aqui...
Recuperou sua maleta e foi direto pra reunião
não sei porque todos os dias morrem vagabundos
imundos nas sarjetas das igrejas e lojas.Saindo das igrejas e indo pras lojas
da cabeça que se deita numa cama limpa engomada.
Caras que gozam que gozam quando morrem 111 humanos animalesco que gozam amontoada e sangue jorra
que corre pelas escadas, sacadas e puteiros...Esporra

tudo isso a mando de um cara atrás de uma mesa
com mais sete chupadores de pica com umas gravatas e sapatos todos presos
surpresos quando recebem um telefonema que seu filho foi seqüestrado...Espasmo.
POETA MALDITO
Enviado por POETA MALDITO em 11/01/2006
Reeditado em 02/04/2007
Código do texto: T97416
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
POETA MALDITO
São Paulo - São Paulo - Brasil, 32 anos
23 textos (1491 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 04/12/16 06:39)