Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Visita da bruxa malvada



Minha fada madrinha contava uma história de terror para mim e para os bichinhos do jardim, ela preparava uma deliciosa comida no seu castelo de guloseimas. Todos estávamos na sala atentos à história de terror que a fada boa contava enquanto na cozinha estava sendo preparada a nossa janta brilhante!

Ao som do assovio da panela de pressão, ouvíamos à noite os horrores da história  de bruxas malvadas e suas bruxarias pesadas!!

Quando de repente, CABUM!!! A panela numa grande explosão se transformou num vulcão que cuspia fogo preto, foi uma correria e gritaria divertida. A panela se transformou no caldeirão sujo e feiticeiro da bruxa malvada que com raiva da fada por contar histórias e de  mim que lia, ouvia e entendia as histórias dos  livros resolveu entrar no fogão e comer a gente, matar a nossa fada amiga e destruir todos os bichos .

Foi um corre-corre louco!  A fada nos protegeu com seu manto e foi correndo apagar o fogo mas a bruxa malvada fez uma bruxaria e a fada tropeçou no seu lindo vestido caindo, desmanchando-se  no chão, bateu com a cabeça e desmaiou, ficou feito caramanchão.

Nós fomos acudir a fada, eu e os bichinhos, mas a bruxa ainda dentro do fogão tinha forças para fazer bruxarias malvadas e explodia ainda mais pelos ares seu sangue preto fervendo de bruxa porca!

-Socorro!! Socorro!! Socorro!!
A gente gritava até ficar rouco!!

De repente, a bruxa transformou os bichinhos em monstros voadores que davam cascudos tristes de pensamentos  na minha cabeça.

Aos poucos eu comecei a ficar presa , foi uma mágica que a bruxa lançou, era o feitiço do medo, eu fiquei igual estátua agarrada no chão, paralisada, quase me pára o coração.

Ainda conseguia gritar  e com toda força eu esbravejei : - Socorro! Socorro! Socorro!
 
O príncipe que dormia acordou com meu pedido de ajuda e veio no seu sapato de ouro com asas de coragem, entrou na cozinha e arrancou com suas mãos fortes a bruxa de dentro do fogão, jogou água da vida em cima dela que murchou e se desmanchou em fumaça fedorenta escorrendo pela pia do esquecimento de aflição.

E todos nós voltamos ao normal, os bichinhos, a fada, e eu.
Ninguém morreu e a bruxa não me comeu.

Ah...o castelo encantado das guloseimas ficou um mar de sujeira, então, todos nós fizemos um grande mutirão e limpamos os estragos da explosão que a bruxa causou de dentro do fogão!

Todos nós nos abraçamos felizes e beijamos o príncipe pelo seu feito, ele foi nosso herói do coração, foi forte, corajoso e guerreiro sem precisar ter uma arma na mão!
Perereca
Enviado por Perereca em 02/07/2005
Código do texto: T30332
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Perereca
Recife - Pernambuco - Brasil
68 textos (14176 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 03/12/16 13:53)