Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

EFEITO BORBOLETA (uma tentativa de versão infantil)

EFEITO BORBOLETA

(uma tentativa de versão infantil)
Co-autoria de Teodora Munerato- 7 anos




Era uma vez uma borboleta.
Como todos nós, ela nasceu pequenininha, pequenininha...
No seu casulo enrolada e esperando a hora de sair,
Ela pensava o tempo todo em como seriam as suas asas.
Qual cor?
Que tamanho?

Aí um dia aconteceu:
As asas apareceram como mágica e a borboleta,
Que tanto esperou por isso,
Não sabia o que achar delas.
Mas logo dessa cor?
Desse tamanho?

É que a borboleta de tão preocupada que era com as suas asas,
Ficou, logo ela, com umas asinhas transparentes
E tão pequenas que quase não se notava.
As outras borboletas falaram logo:
E agora?
O que ela vai fazer?

A borboleta ficou tão triste, mas tão triste
Que voltou para o casulo e apertadinha lá dentro,
Suas asas foram ficando cada dia que passava
Mais transparentes e menores.
E agora?
O que vai acontecer na história?

O casulo, que já não aguentava mais tanta tristeza, rasgou
E a borboleta ficou solta no ar.
Para não cair daquela árvore tão alta,
Ela bateu com muita força suas asinhas pequeninas e sem cor.
E não é que deu certo?
Não é que era até fácil voar?

A borboleta foi voando, voando
E pela primeira vez na vida deixou de se preocupar com suas asas.
Passou a olhar o mundo todo lá embaixo:
Viu flores, viu pessoas, viu roupas penduradas no varal.
Tudo isso já estava aí?
Onde eu estava que não via nada?

No casulo, borboleta, no casulo...Psiu! Não vamos atrapalhar a borboleta...
Ela está tão feliz voando que nem percebeu
Que quanto mais voava, mais suas asas aumentavam
Quanto mais via cores, mais coloridas ficavam
Sério?
Sério mesmo?

É que na verdade eram asas mágicas!
Por onde passava a borboleta, as asas mudavam
Cada coisinha que existia emprestava sua cor para a borboleta
E cada cor nova que aparecia nas asas, mudava a cor da próxima coisa que ela via.
Como assim?
Tudo foi ficando colorido?

Isso! Se a borboleta voava em cima de um prédio cinza
Ele ficava parecendo um arco-íris e as pessoas que moravam lá
Ficavam sorrindo, achando tudo lindo demais
E começaram também a colorir dentro dos apartamentos.
De todas as cores?
Rosa, azul, vermelho?

Aos poucos, as outras borboletas foram percebendo que também podiam fazer mágica
Dependia só da forma de bater as asas
E, todas juntas, foram deixando a cada dia que passava
A cidade mais colorida e feliz.
Verdade?
Isso aconteceu mesmo?

Pode acontecer, borboletinha.
Você que está aí agora toda encolhida na cama também tem suas asas mágicas.
Todos nós temos esse poder de transformar as coisas e as pessoas
Tudo depende do jeito que batemos as nossas asas.
Vamos dormir agora?
Hum?
Renata Munerato
Enviado por Renata Munerato em 07/10/2007
Código do texto: T684655

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Renata Munerato
Aracaju - Sergipe - Brasil, 44 anos
3 textos (219 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 21/08/17 11:46)