Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Entre horta, borboletas e outras maluquices

- Horta na escola? Quem foi o maluco ou maluca que teve essa idéia?
- Isso não vai dar certo, tenho certeza!
- Imagine! Horta... Hummm... Aqui na escola?

Foi assim que começou a confusão, ou pelo menos, o que parecia que seria uma confusão.
Mas, apesar das reclamações, as primeiras sementes foram plantadas e o tempo ajudou a germinar rapidamente e, de repente, surpresa!
Nas folhas do agrião, algumas lagartas surgiram e com elas, novas discussões:

- Eu sabia! Falei que não daria certo. Até bicho está aparecendo!
- Bom, a lagarta vira borboleta, podemos estudar a metamorfose com as crianças...
- Será que dá certo? Até que seria legal!
- Ah não! Tenho certeza que esses bichos ai, vão acabar com a horta!

É... Parece que tudo ali na escola estava difícil, tudo era empecilho para se realizar algo.
Mas, algumas cabeças duras resolveram aderir à idéia e envolver as crianças.
Mexer com a terra, afofar os canteiros, plantar as sementes nos berçários, regar e de repente... Olhe! Borboletas surgindo!

Entre chicórias, alface, tomate, manjericão, orégano, e tantas outras hortaliças, as crianças descobriram uma “plantação de borboletas”, como eles diziam.

Uma das professoras pegou um pouco das mudas onde algumas lagartas estavam, colocou em uma garrafa pet cortada, cobrindo-a com gaze e ali começaram a observar o desenvolvimento delas, que eram alimentadas diariamente.

Que alegria! Observar como as danadas comiam, comiam e depois de alguns dias, passaram a dormir. As crianças diziam que elas pareciam pedaços de “fitas durex enroladas”, mas sabiam que o nome da fase em que se encontravam, era crisálida!

- Professora, eu acho lindo o nome Crisálida, mas não queria ser algo assim, como um pedaço de coisa dura enrolada.

A pequena garrafa passou pelas salas, conquistou admiradores. Alguns alunos pegavam lagartas na horta e levavam para casa, para fazerem suas experiências ali também.

Mais uns dias se passaram e então, as primeiras borboletas nasceram. Eram lindas, de um amarelo muito claro, com pequenas manchas escuras. Todas muito parecidas, afinal, eram irmãs, nasceram no mesmo dia, vieram da mesma horta!

As borboletas foram soltas na quadra da escola, sendo observadas por todos os alunos de um dos turnos, que aplaudiram e sorriam ao vê-las indo para o alto.

A horta continuou sua produção, não só de verduras, mas de outros bichos também, mas... Essas já são outras histórias, afinal, sobre uma horta tão maluca, tem muita coisa para se contar.

Lucia Vedovello
Enviado por Lucia Vedovello em 24/10/2007
Código do texto: T708490

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Lucia Vedovello). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Lucia Vedovello
São Paulo - São Paulo - Brasil, 51 anos
8 textos (804 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 20/10/17 21:10)
Lucia Vedovello