Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

A SARANDONGA


Muita gente fala que a sarandonga é um bicho muito feio. Só porque ela tem a pele verde, grossa e seca, seus olhos são grandões e os dentes afiados e pontudos é que falam isso dela.
Ela não tem pernas e quando quer ir em algum lugar encaixa a cabeça no corpo, que nem tartaruga, e vai rolando até lá.
Baixinha e gorducha - a sarandonga só tem alguns centímetros - ela parece uma laranja grandona de casca verde. Quem acha a sarandonga feia é porque não olha o próprio coração. Ela pode ser até esquisita, mas o coração dela é muito mais bonito do que o de toda essa gente.
Todo bicho da mata gosta dela e diz pra ela que não precisa se esconder que bicho não faz maldade. Por isso quando não tem gente lá ela passeia, rolando de lá pra cá, muito feliz. Ela também gosta dos bichos e passa o tempo todo brincando com eles, mas quando aparece gente lá na mata ela e os bichos saem correndo.
O tatu, a paca, o veado e muitos outros bichos se escondem de medo do caçador. Os passarinhos voam pra longe porque sabem que querem por eles na gaiola e que tem até moleque com estilingue que joga pedra neles só de maldade.
As vezes a sarandonga tem vontade de aparecer pra gente, mas pensa bem e acha que é melhor continuar se escondendo de quem, mata os seus amigos e tira a liberdade dos passarinhos da mata.


CARLOS CUNHA o Poeta sem limites
Enviado por CARLOS CUNHA o Poeta sem limites em 06/11/2007
Código do texto: T725269

Copyright © 2007. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
CARLOS CUNHA o Poeta sem limites
Japão, 63 anos
369 textos (437930 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 21/08/17 19:15)
CARLOS CUNHA o Poeta sem limites