Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto




No fim do Verão, a borboleta amarela, depositou cuidadosamente os seus ovos num ninho de seda.
Extenuada, fechou as lindas asas e adormeceu.
Nem sentiu aproximar-se o frio. 
Ficou muito quieta, mesmo quando as manhãs surgiram vestidas de branco e um raio fininho de sol, seu amigo, lhe tocava no ombro avisando:
- Cuidado!
... Ela nem sentiu.
Estava muito cansada, por uma estação inteira de luta, ora doce, ora amarga, buliçosa e ligeira, voando de flor em flor, multiplicando a vida.
Imobilizou-se. 
O seu sangue deslizava mansamente... parecia uma borboleta de âmbar, esquecida pelo tempo, sem sentir o vento, as gotas de chuva, o aroma da terra...
No ninho, as larvas acordaram, famintas de vida. 
Roeram o caule da planta onde a mãe adormecera... a planta caiu, e nem assim a borboleta acordou.
Saciadas e prontas, por sua vez, imobilizaram-se as filhas: cada uma num sarcófago perfeito de seda.
Aparentemente, nada existia... mas quanta coisa acontecia!
Entretanto, o sol voltou, e novas flores encheram de perfume o campo.
As crisálidas moveram-se um nadinha: abriram os olhos no lusco fusco e estavam de novo esfomeadas... a pouco e pouco, começaram a roer o casulo, com pouca força mas muita persistência.
E uma porta se abriu... e uma ânsia cresceu!
Saíram húmidas, tenras, indefesas, exauridas.
Pararam um pouco, sentindo que já não eram as mesmas... à medida que a brisa as beijava, as escamas endureciam, o sangue pulsava pelas finíssimas veias.
Agitaram a medo as asas e sentiam o vento levantá-las... encantadas!
Imitavam as estrelas.
Fulgiam e riam, riam, lá no alto!
Mas no chão, a borboleta mãe não mais acordou.
Multiplicara-se em fulgor, em energia, em luz iridescente!
E muitas borboletas amarelas rodopiam no campo, semeiam pólen, multiplicam de novo o ciclo da vida.
Maria Petronilho
Enviado por Maria Petronilho em 11/01/2006
Reeditado em 22/06/2011
Código do texto: T97180
Classificação de conteúdo: seguro

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Maria Petronilho (registo www.igac- ref 2276/DRCAC - Ministério da Cultura, Portugal)). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Livros à venda

Sobre a autora
Maria Petronilho
Almada - Setúbal - Portugal, 64 anos
1238 textos (130517 leituras)
60 áudios (14347 audições)
9 e-livros (5147 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 03/12/16 12:01)
Maria Petronilho

Site do Escritor