Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Tempo

   Esta é a história de um garoto que deseja ser feliz. André tem 18 anos. Seu ideal de felicidade é bem simples como o de muitos dos garotos de sua idade. Entrar para a faculdade, "zoar" com os amigos e alguém especial para viver um grande amor. Hoje é sexta-feira, 15 de janeiro. Ele está diante do computador aguardando o resultado do vestibular. Enquanto isso, está na sala de bate-papo. Quem sabe a sorte não lhe sorri duplamente.

Namoro22: Oi, quer teclar?

Gustavo18: Claro. Tudo bem contigo?

Namoro22: Sim. E com você? Tecla de onde?

Gustavo18: Leblon e você?

Namoro22: Gávea. Procura o quê, leke?

Gustavo18: A princípio conversar, conhecer alguém pra ser amigo, tudo começa daí, né?

Namoro22: Até que enfim achei uma pessoa assim. Pessoal aqui só quer sexo. É bom, mas quero encontrar alguém querendo ir mais além.

Gustavo18: Você faz o que da vida?

Namoro22: Trabalho e você?

Gustavo18: Eu estou na expectativa. Está para sair o resultado do vestibular e estou aguardando a divulgação do resultado.

   André passou todo o ano estudando. Seus fins de semana eram diante dos livros, apostilas e cadernos. Sua rotina semanal era casa, pré-vestibular e casa. Por muitas vezes os amigos insistiam para divertir-se um pouco - boate, praia, cinema - mas ele estava obstinado e somente em raras ocasiões cedeu aos apelos. Seu afinco causou preocupação em seus pais que também o incentivavam a sair um pouco de casa, porém não havia quem ou o que mudasse seu ritmo de estudos.
   Quando exausto, André distraía-se na Internet. Conversava com os amigos no messenger e entrava em salas de bate-papo. Era aquele pedaço de felicidade que ele tentava ali encontrar. Teclou com algumas pessoas interessantes que gostaria de conhecer, mas nunca passou do contato virtual. Aos que insistiam em vê-lo pessoalmente, ele postergava, culpando os estudos até que todos acabavam por desistir e deletar-se de sua vida.
   Mas a prova passou e André agora estava sem a sua muleta. Não havia mais estudos e agora era só esperar. Não havia mais porque fugir das pessoas. Deparou-se então com a verdade. O medo de trombar com o mundo real dominava-o. E se os pais descobrissem? E se os amigos descobrissem?
O ócio dos últimos dias foi importante para o garoto. Ele concluía que não tinha mais como esconder seus verdadeiros sentimentos. Era hora de viver. O novo ano que se iniciava seria marcado pela mudança. O menino do colégio era agora o cara da faculdade. Assim ele acreditava, assim seria.

Gustavo18: Passei!

Namoro22: Parabéns, leke. Passar pra federal não é fácil não. Parabéns mesmo.

Gustavo18: Estou muito feliz. Você nem imagina o quanto. Caramba, vamos marcar de nos conhecermos. Pode ser até hoje ainda se você quiser.

Namoro22: Que empolgação hehe. Mas podemos sim.

   Conversaram mais um pouco e trocaram fotos também. André gostou muito do que viu e ficou ainda mais animado para encontrar o rapaz. Estava chegando a hora marcada e André estava pronto. Agora é sair de casa e ficar frente a frente com o cara da internet .
   Mas André caiu em prantos.
   Teve uma crise de choro, tirou a roupa que demorara a escolher, jogou-se na cama e lá ficou até adormecer. O rapaz foi ao encontro conforme o combinado. Esperou por uma meia hora e voltou para casa. Durante o caminho apagou o número do celular de André de sua agenda e ao chegar em casa fez o mesmo com seu nome na lista do messenger.

Eles nunca mais se falaram.


Esta foi a história de um garoto que ainda vai ser feliz...
Lipe Martins
Enviado por Lipe Martins em 19/07/2006
Código do texto: T197263
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Lipe Martins
Rio de Janeiro - Rio de Janeiro - Brasil, 35 anos
11 textos (566 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 07/12/16 20:47)