Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

PLANETA FEROZ

ÍNDICE

1- A viagem_ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _04
2- A busca_ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _06
3- O cientista Alberto_ _ _ _ _ _ _ _ 07
4- Insetos_ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _  09
5- A cidade_ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ 11
6- O meteoro_ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _  12
7- As pedras de tunazol_ _ _ _ _ _ _ 15
8- Experiências_ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ 17
9- O ataque_ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _  19
10- A morte_ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ 21
11- O achado_ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _  22
12- O retorno_ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _  25
13- Conclusão _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _  27

Prólogo

Tudo começa no futuro, no ano 4027.
O ser humano deu passos gigantescos em varias coisas e a Terra se tornou o planeta perfeito.
Foi quando um imenso meteoro se aproximou da Terra, os seres humanos possuíam vários sistemas de defesa, porem nenhum funcionou.
O meteoro era realmente imenso e eles nada puderam fazer para impedir que ele caísse na Terra.os cientistas pesquisaram aquele meteoro e ficaram sabendo que ele era radioativo e que se caísse na Terra iria provocar uma explosão tão forte que nada sobreviveria.
Então eles resolveram colocar o escudo em suas cidades, que era uma energia invisível que impedia de qualquer um entrar ou sair da cidade.
O alerta foi dado, todos correram para a sua cidade e se esconderam em suas casas.
Logo aquele meteoro caiu, algumas cidades não tiveram tempo de armar o escudo.
Com a forte explosão do meteoro, tudo o que tinha na Terra foi destruído, as cidades os prédios, nada restou.
Pág. 01



A maioria das pessoas, animais e plantas morreu na explosão, os oceanos foram contaminados pela radioatividade, as poucas pessoas que restaram começaram a morrer por varias doenças.
O ar não podia mais ser respirado e o pouco oxigênio que tinham na cidade estava acabando.
Então varias pessoas foram enviadas para procurarem alguma outra cidade em que pudessem viver.
A cidade sobrevivente se chama True, com o passar do tempo os estoques de comida e água que tinham foi se acabando, as pessoas enviadas nunca voltavam e  ninguém sabia por que.
A noite todos ouviam barulhos assustadores e viam coisas voando no céu, sem nunca saberem o que era.
As pessoas não tinham mais esperanças, logo foram mandados outros grupos para procurarem algum sinal de vida por ali.
Eles levavam consigo alguns mantimentos para comerem, beberem e algumas armas para se defenderem de qualquer ameaça que possa ter lá fora.
Junto eles levavam mascaras de oxigênio para poderem respirar lá fora, pois o ar estava contaminado pela radioatividade emitida pelo meteoro.


Pág.02

Logo um grupo foi formado, foram 10 pessoas selecionadas para irem, cada uma com um talento.
O líder do grupo era o cientista Alberto, ele foi selecionado graças a sua inteligência e para realizar algumas experiências lá fora.
Seu ajudante Oscar especialista em astronomia e comportamentos estranhos.
Bruno o encarregado de levar a comida e a água.
Tiago o caçador especialista em armamentos.
A lingüista Andréia, encarregada em traduzir línguas e escritas.
O repórter Sidney encarregado de documentar tudo o que acontecer.
O comunicador Augusto encarregado de levar as noticias a base com rádios transmissores.
A botânica Lucia encarregada de estudar as plantas.
A zoóloga Mariana especialista no comportamento dos animais.
E a doutora Camila dedicada e encarregada de cuidar de todos lá fora.
Eles irão em um veiculo de pesquisa que pode andar na terra, na água e no ar.
O veiculo é movido com pedras de tunazol encontradas no subsolo.
Eles tinham o prazo de um ano para andar pelo mundo e depois voltar com algo que possa lhes ajudar.
Pág.03

Nesse tempo eles poderiam sobreviver como que tinham ali e poderiam esperar a volta deles.
Depois de tudo preparado eles se despediram e foram lá pra fora com o veiculo chamado VX- 4000.

CAPITULO 1
A viagem

Eles tinham um mapa no veiculo que era totalmente computadorizado, por ali eles poderiam saber pra onde eles estavam indo.
O veiculo era todo equipado, tinha miceis, asas retrateis, rodas de blinde reforçadas, sonar, infravermelho, equipamento de radio, tudo o que se imagine, era como se fosse a casa deles.
Ele tinha uma sala na parte inferior onde ficavam as pedras de tunazol que é o combustível do veiculo.
O escudo da cidade abriu um pequeno buraco por onde o veiculo passaria.
Todos se despediram e logo o veiculo iniciou a sua jornada por aquele planeta estranho que já não era mais a Terra.
O cientista Alberto disse que daquele dia em diante aquele planeta se chamaria Planeta Feroz.

Pág.04

Cada um tomou o seu lugar no veiculo que estava no piloto automático indo em direção ao que havia sido programado.
O repórter Sidney documentava tudo em seus equipamentos de gravação.
Pelos aparelhos do veiculo podia-se ver que o ambiente lá fora era horrível e que nada poderia sobreviver àquela completa escuridão.
O caminho era repleto de pedras e cinzas do que havia restado dos seres do planeta que haviam sido atingidos pelo meteoro.
A viagem que iriam fazer iria demorar muito e todos eles iriam se conhecer melhor e descobrir estranhos segredos uns dos outros.
Todos testavam os seus equipamentos para terem certeza de que iria dar tudo certo nessa longínqua viagem que iriam fazer.
O veiculo VX-4000 andava por aquele local, o caminho estava todo cheio de pedras e o veiculo começou a se chacoalhar um pouco.
Todos lá dentro foram ver o que estava acontecendo pelo pára-brisa ou melhor pela janela.
Lá eles viram que o caminho estava cheio de buracos e pedras e resolveram mudar a rota do veiculo.


Pág.05

CAPITULO 2
A busca

Eles buscavam encontrar uma outra cidade ou algum lugar onde todos os outros sobreviventes da cidade deles True possam viver felizes e tranqüilos.
O planeta inteiro estava destruído e eles não sabiam se iriam encontrar alguma coisa, como comida ou água ou mesmo um lugar para viver e o oxigênio para se respirar.
O veiculo já estava em seu segundo dia de busca no Planeta Feroz, nada havia sido encontrado ainda, a visão de lá fora era totalmente escura pois com a força do impacto do meteoro na Terra foi lançada para a atmosfera varias partículas de poeira e pó não deixando os raios do Sol passarem e assim deixando o planeta totalmente escuro.
O único meio que eles tinham de ver o caminho era por radares e infravermelhos que o veiculo tinha.
Todos no veiculo já haviam se conhecido e se apresentado, todos ali eram muito empenhados em realizar a sua missão, cada um fazendo uma coisa diferente.

Pág.06

A cada três horas as pedras de tunazol gastavam toda a sua energia  e tinham que ser trocadas para que o veiculo VX-400 continue a sua busca no Planeta Feroz.
Cada um do dez tripulantes de veiculo tinham uma missão, sendo para pesquisar ou para levar mantimentos.

CAPITULO 3
O cientista Alberto

No veiculo VX-4000, tinha dez tripulantes cada um fazendo uma coisa diferente ali.
O líder do grupo era o cientista Alberto.
Alberto era o mais sábio de todos, ele tinha o conhecimento cientifico acumulado durante anos por vários outros cientistas do passado em sua mente.
Por isso ele foi selecionado para liderar esse grupo e para realizar suas experiências no que precisasse.
Desde água, terra, ar e comida, até os fragmentos daquele meteoro.
Alberto era justo e confiava em seu ajudante Oscar em todas as suas pesquisas e experiências e ele fazia por merecer.

Pág.07

Todos ali gostavam do cientista Alberto e o respeitavam pois ele era o mais velho de todos que estavam naquele veiculo.
Ele por sua vez também respeitava e tratava bem, todos que estavam no veiculo.
Seu posto no veiculo era na cadeira da frente onde se podia ver a janela e tudo lá fora incluindo os radares e tudo mais que fosse necessário.
O veiculo andava na terra mas se precisasse ele podia andar também no ar com suas asas retrateis ou no mar se tornando um submarino.
O cientista Alberto seguia com atenção o mapa que tinha para  que o veiculo siga a sua rota e não se desvie do curso.
Ninguém sabia quando eles iriam voltar para as suas casas ou mesmo se iriam conseguir sobreviver naquele estranho Planeta Feroz.
Todos se perguntavam o que havia acontecido com todos aqueles outros grupos que haviam sido mandados e que nunca voltaram.
Os outros grupos eram realmente menores do que esse e não tinham tantos equipamentos como eles, a missão também era de um possível resgate.



Pág.08

CAPITULO 4
Insetos

Às vezes todos que estavam no veiculo ouviam estranhos barulhos lá fora.
Ninguém sabia o que era aquilo, era um barulho muito forte e às vezes eles viam alguma coisa voando lá fora.
E não só voando mas também andando por terra de um lado para o outro.
O veiculo começava a tremer e todos ao olharem lá pra fora viam apenas sombras se movendo de um lado para o outro.
O comunicador Augusto às vezes mexendo em seus rádios transmissores pegava algumas freqüências estranhas que não conseguia identificar.
Era como se alguma coisa lá fora estivesse se comunicando.
Por mais que tentasse Augusto não conseguia identificar o que era aquilo, era um som estranho parecido com um zumbido.
Augusto contou para o cientista Alberto o que havia descoberto, ele perguntou o que era aquilo que fazia aquele barulho, porem Alberto não sabia identifica-lo.


Pág.09

Alberto pediu para Augusto pesquisar aquele estranho som que aparecia nos rádios transmissores.
Enquanto isso ele também iria pesquisar para saber o que eram aquelas coisas que andavam e voavam lá fora.
Pelo radar, o infravermelho, e vários outros equipamentos que tinha ali no veiculo, Alberto começou a pesquisar aquelas coisas.
Eles não entendiam pois pensaram que o meteoro que caiu do espaço havia destruído tudo na Terra, então o que eram aquelas coisas?
Alberto gravou uma daquelas imagens e começou a analisa-la com todos os equipamentos que tinha ali.
Depois de algum tempo eles descobrem o que era que fazia aquele barulho e ficava andando e voando lá fora.
Nada mais que insetos, gigantes.
Com o impacto do meteoro na Terra tudo foi destruído menos os insetos que eram seres pequenos.
Com a radioatividade do meteoro eles ficaram gigantes e é por isso que Augusto estava captando a sua comunicação um com o outro com seus rádios transmissores.
Agora eles descobriram que não estava sozinhos naquele Planeta Feroz.

Pág.10

CAPITULO 5
A cidade

True ao que se pensava era a ultima cidade da Terra pois ela era a única cidade que havia conseguido ligar e ativar o escudo que a protegia da destruição do meteoro.
Ninguém sabia ao certo se mais alguma cidade havia feito isso, os exploradores que foram mandados para descobrir isso nunca voltaram para contar.
Por isso foi enviado esse super grupo para tentar achar algum outro lugar para se viver pois a comida e o ar que tinham ali logo acabaria.
O líder da cidade buscava acalmar os habitantes dali sem deixa-los perceber que o oxigênio e o alimento que tinham logo acabaria.
Como os outros grupos não haviam voltado e eles não podiam sair daquela cidade por não saber o que havia lá fora, aquele grupo era a única esperança que eles tinham de sobreviver em outros lugares e não só naquela cidade isolada no Planeta Feroz.





Pág. 11
True não era apenas uma cidade ela era tão grande que podia ser comparada com um país inteiro.
O combustível que todos utilizavam ali era as pedras de tunazol, pois ela era limpa e não poluía o meio ambiente.
O escudo da cidade só funcionava com as pedras de tunazol e alem disse elas também estavam acabando e se o escudo abaixasse eles ficariam sem oxigênio e desprotegidos do que poderia ter lá fora que por sinal eles nem sabiam o que era.
Enquanto todos permanecerem ali, eles estariam protegidos a não ser que tenham equipamentos para ir lá fora eles morreriam.

CAPITULO 6
O meteoro

O veiculo andava por um lugar estranho onde não era mais escuro e sim ficava piscando uma luz laranja meio avermelhada ali.
Lá dentro eles observavam aquele estranho lugar e ficavam imaginando o que era aquilo.
O veiculo começou a se mover lentamente, pelo radar eles observaram que lá fora tinha alguma coisa, algo muito grande.

Pág. 12
Então eles resolveram ir lá fora com roupas e equipamentos especiais para verem o que era aquilo.
Foram então o cientista Alberto, seu ajudante Oscar, o caçador Tiago, a botânica Lucia, a zoóloga Mariana e o repórter Sidney.
Os outros ficaram no veiculo para esperar a volta deles ali e para pesquisar algumas coisas lá dentro.
Logo a câmera compressora do veiculo se fechou e a porta abriu.
Então eles saíram do veiculo e foram lá pra fora.
Com cuidado para não serem vistos pelos insetos eles andavam por aquele local.
Com o capacete que usavam eles alem de ter oxigênio e o que precisavam para sobreviver ali, eles também tinham a visão de infravermelho para que eles possam ver no escuro.
Logo eles chegaram onde queriam, tudo ali estava piscando e uma luz vermelha saia de dentro de uma enorme rocha que estava dentro de uma cratera gigante no chão.
O cientista Alberto com algumas ferramentas e equipamentos começou a pesquisar aquela rocha que logo percebeu ser um pedaço do meteoro que havia caído na Terra.



Pág. 13
Sidney documentava tudo, Tiago ficava alerta ao perigo, Lucia pesquisava as poucas plantas que havia ali, Oscar retirava amostras do meteoro e Mariana pesquisava o ambiente.
Alberto descobriu que aquela luz que ficava piscando dentro do meteoro era a radioatividade que era transmitida por ele a mesma que causou a mutação nos insetos que ficaram gigantes.
Como estavam protegidos pelas roupas eles não era afetados pela radiação.
No veiculo os outros os observavam lá fora mexendo naquela enorme pedra que piscava uma luz avermelhada no local.
Logo eles começaram a ouvir um barulho estranho por ali e suspeitando ser os insetos gigantes eles resolveram voltar para dentro do veiculo para continuar a pesquisa lá dentro.
Eles pegaram tudo o que iriam precisar e voltaram pra dentro, logo que entraram eles ligaram o escudo do veiculo e começaram a analisar o material que eles haviam levado.






Pág. 14
CAPITULO 7
As pedras de tunazol

Estava tudo tranqüilo no veiculo quando algo aconteceu ali.
De-repente o veiculo parou e todos estranharam.
Ninguém sabia o que havia acontecido, por que o veiculo havia parado?
Alberto começou a procurar por falhas no sistema de direção do veiculo, todos começaram a procurar descobrir o que havia acontecido com o veiculo e por que ele havia parado ali.
Logo descobriram por que ele parou, as pedras de tunazol haviam acabado e sendo assim o veiculo não funcionaria.
Eles tinham que pegar mais pedras de tunazol para continuarem a missão.
As pedras eram encontradas no subsolo e sem elas o veiculo não funcionaria.
Logo eles saíram lá pra fora com os equipamentos necessários para encontrar as pedras de tunazol.
Eles tinham um pequeno aparelho com o qual eles viam quando é que chegavam perto de um local em que estariam enterradas as pedras de tunazol, pois o aparelho tinha uma luz vermelha que piscava quando eles se aproximavam das pedras.
Pág. 15
Logo eles foram lá pra fora e ficaram andando por ali cada um com um daqueles aparelhos para acharem o combustível do veiculo.
Alberto andava por ali quando viu que seu aparelho começou a captar alguma coisa e a luz vermelha começou a piscar.
Então ele com uma pá começou a cavar ali, os outros então resolveram ajuda-lo, pegaram suas pás e também começaram a cavar ali.
Logo eles começaram a ouvir um barulho forte ali e perceberam que os insetos estavam chegando ali.
Sendo assim eles tinham que se apressar e achar logo as pedras de tunazol para reabastecerem o veiculo e para poderem ir embora logo dali.
Foi quando eles finalmente encontraram embaixo da terra, as pedras de tunazol.
Essas pedras eram como se fossem diamantes que se fabricavam no subsolo.
Então eles pegaram as pedras com os equipamentos e as levaram para dentro do veiculo.
Lá eles colocaram as pedras no compartimento e o veiculo voltou a funcionar, eles então o ligaram e foram embora para longe dali.




Pág. 16
CAPITULO 8
Experiências

Todos ali sabiam que o veiculo em que estavam não andava somente na terra mas também podia voar com asas retrateis que saiam de dentro dele e também podia nadar na água se tornando um submarino.
Eles ainda não haviam testado isso e resolveram fazer algumas experiências como veiculo para ver se ele funcionaria bem tanto no ar como no mar.
Vendo que na terra, eles não iriam achar nada eles resolveram ir por ar, logo eles ativaram as asas e elas se abriram dos lados do veiculo.
Então o veiculo começou a acelerar como um avião e com o vento batendo nas asas logo ele começou a levantar vôo.
Todos se espantaram com aquilo, Augusto o comunicador avisou a base na cidade True sobre o que faziam.
O repórter Sidney documentava tudo em vídeo.
O veiculo subia cada vez mais, o cientista Alberto pilotava o veiculo que voava entre as nuvens.
Logo pela primeira vez em muito tempo eles conseguiram ver os raios do Sol novamente.


Pág. 17
Logo eles viram vários insetos voando ali e resolveram segui-los, todos voavam juntos e com o escudo do veiculo os insetos não poderiam ataca-los.
Logo eles começaram a posar lá em baixo, o veiculo foi atrás deles e lá do alto eles viram algo espantoso.
Finalmente eles descobriram o que havia acontecido com todos aqueles outros grupos que haviam desaparecido.
Eles haviam sido capturados pelos insetos e os corpos e equipamentos deles estavam todos ali.
Então eles resolveram voltar a voar para não ver mais aquela cena.
Pelo radar eles procuravam alguma coisa por ali, algo que lhes possa ajudar em sua missão.
Não achando nada ali e vendo que o veiculo funcionava bem voando, eles resolveram ir para o fundo do mar para testarem a capacidade de mergulho do veiculo.
Então eles voltaram para a terra e foram próximos do mar, lá Alberto acionou o submarino e o veiculo começou a se transformar até entrar totalmente em baixo da água, lá eles começaram a pesquisar tudo o que tinha ali.



Pág. 18

CAPITULO 9
O ataque

Enquanto isso na cidade de True, as pedras começaram a gastar a sua energia e o escudo que protegia a cidade começou a enfraquecer.
Vendo que este logo iria acabar o líder da Cidade mandou que todos se escondam em suas casas e que coloquem as mascaras de oxigênio.
Pois logo o escudo iria abaixar e eles corriam um grande perigo.
Logo todos fizeram isso, eles se esconderam e colocaram suas mascaras e também se vestiram com roupas especiais para não serem afetados pela radioatividade do meteoro.
Aos poucos o escudo foi abaixando e todos ali começaram a içar com medo.
Logo a energia das pedras de tunazol foram se acabando e o escudo que protegia a cidade logo baixou completamente.
Então o ar dali se acabou restando apenas o ar que todos usavam no rosto.
Foi quando todos começaram a ouvir um forte barulho ali e logo tudo na cidade começou a ser destruído.

Pág. 19

Ninguém sabia o que estava acontecendo pois não podiam ver nada graças aquela escuridão.
Eles não sabiam mais os insetos gigantes estavam atacando tudo por ali.
O que eles ouviam era o barulho das asas deles batendo ali e com o vento destas tudo ali se destruía.
As pessoas da cidade estavam com muito medo, pois não sabiam o que era aquilo e ouvindo o barulho das casas e prédios sendo destruídos eles choravam, pois sabiam que varias pessoas dali estavam morrendo sem ter o que fazer para se defender.
Logo se ouviu um forte som soou ali, com isso o barulho foi se afastando e tudo ali ficou quieto novamente.
Todos então saíram de suas casas para ver o que havia acontecido com a cidade e com os outros que estavam nos prédios mais altos que foram derrubados por algo que fazia um barulho alto e assustador.
Eles não podiam ver muita coisa pois estava muito escuro ali, o que tinham eram poucas lanternas e os visores de infra vermelhos e assim eles podiam ver alguma coisa.




Pág. 20

CAPITULO 10
A morte

Logo eles viram que varias pessoas ali haviam morrido esmagadas pois as paredes das casas haviam caído sobre elas.
Todos ali choravam pois não sabiam se iriam sobreviver ou se o grupo mandado para buscar ajuda ainda estava vivo.
Logo eles viram caído no chão em baixo de uma parede, um besouro gigante morto.
Todos ali se assustaram com aquilo, um inseto gigante ali, então era isso que fazia o barulho e estava atacando a cidade.
O líder dali presumiu que com a radioatividade do meteoro os insetos sofreram uma mutação e ficaram gigantes.
Era isso que eles viam voando a noite e o que fazia aquele barulho estranho que ninguém nunca soube o que era.
Logo todos começaram a pegar os corpos que estavam soterrados ali e a enterra-los cada um em um lugar e os sobreviventes ficaram esperando o grupo voltar.


Pág. 21

CAPITULO 11
O achado

Quando todos estavam pesquisando no fundo do mar o veiculo nadava pelas profundezas do oceano.
Cada um dos passageiros que ali estavam fazia uma coisa diferente.
O cientista Alberto guiava o veiculo por ali, seu ajudante Oscar pesquisava aquele pedaço do meteoro com equipamentos especiais.
Tiago o caçador arrumava as suas armas.
Bruno arrumava algumas coisas.
Andréia traduzia algumas antigas linguagens.
Sidney documentava tudo em vídeo.
Augusto buscava se comunicar com a cidade.
Lucia analisava algumas plantas que havia recolhido.
Mariana tentava descobrir por que aquele insetos ficaram daquele jeito.
Camila mexia em alguns papeis dali.
O veiculo VX-4000 descia cada vez mais no fundo do oceano, suas lanternas estavam ligadas e com elas podia-se ver melhor o fundo do mar naquelas escuras e sombrias águas.
O veiculo descia com o escudo ligado para que nada ali possa ataca-los.

Pág. 22
As águas já eram escuras e com o Sol em cima da poeira que estava na atmosfera da Terra o que o impedia de iluminar ali, as águas ficavam completamente escuras impedindo qualquer coisa de ser enxergada ali.
O veiculo que agora era um submarino tinha lanternas muito fortes que eram ligadas ao circuito interno ligado diretamente nas pedras de tunazol.
E com elas todos podiam observar o que tinha em baixo das águas escuras do mar.
Logo eles acharam alguma coisa ali.
Todos ficaram olhando aquela imagem que não podia ser uma ilusão.
Era uma cidade submarina que tinha um escudo em volta de si.
Todos no veiculo observavam com atenção aquela imagem, logo eles desceram lá em baixo e então eles notaram que ali também tinha vida.
Logo eles dirigiram o veiculo até lá, varias luzes iluminaram o veiculo e uma porta começou a se abrir.
O veiculo então entrou por ela e sofreu uma descompressão, logo toda a água foi sugada e entraram ali alguns homens.
Alberto então abriu a porta do veiculo e todos eles saíram lá pra fora.

Pág. 23

Lá eles explicaram toda a historia para os habitantes dali que mandaram eles voltar para a cidade deles e pegar todos que lá estavam e traze-los para aquela cidade chamada Noods.
O líder dali explicou que quando o meteoro caiu eles pegaram varias coisas da superfície e levaram pra lá, e desde então eles vem vivendo ali.
Lá tinha uma vegetação verde, arvores e tudo o que tinha na Terra antes do meteoro cair, inclusive alguns animais.
Ali tinha varias pedras de tunazol que deixava tudo ali funcionando e aquela água recarregava a energia das pedras.
E assim elas nunca acabariam a sua energia.
Logo com tudo explicado, o veiculo carregado com mantimentos e com pedras de tunazol, eles resolveram voltar para buscar os outros sobreviventes que estavam na cidade True.
O lider dali disse que eles poderiam pegar um atalho por baixo das águas do mar.
Eles então foram lá, nadando entre os túneis submarinos que estavam abertos ali, eles seguindo o mapa, logo chegaram na cidade deles de novo.


Pág.24


CAPITULO 12
O retorno

Logo que chegaram na cidade o submarino emergiu de um rio que tinha ali e foi para a cidade True.
Todos se espantaram ao ver a cidade toda destruída e começaram a pensar que não havia mais sobreviventes por ali.
Porem logo, aos poucos foram aparecendo todos os sobreviventes daquela cidade, todos estavam muito felizes com a volta deles.
Eles trouxeram vários mantimentos e varias coisas que todos iriam precisar.
Após explicarem toda a historia eles resolveram retornar para a cidade Noods onde todos eles viveriam felizes e a salvo daqueles terríveis insetos que destruíram a cidade deles.
Porem alguns deles não queriam abandonar as suas casa e tudo o que tinham para irem para o fundo do mar morar em uma cidade que eles nem conheciam.
Mas o líder deles resolveu que esta era a melhor escolha e decidiu ir com eles para essa cidade no fundo do mar, eles entraram no veiculo e foram pra lá.


Pág.25

Todos admiravam o fundo do mar, foram quatro carros um atrás do outro seguindo o primeiro veiculo, indo em direção da nova cidade em que iriam morar.
Esses carros iriam ser usados mais no futuro para futuras viagens com novos grupos.
O fundo do oceano era realmente assustador e se não fosse pelas fortes lanternas do veiculo ninguém iria conseguir ver nada.
Faltando apenas um mês para que o prazo de um ano dado pelo líder da cidade True aos dez tripulantes daquele veiculo voltar para leva-los embora eles conseguiram voltar e pega-los.
Mesmo com tantas aventuras e os vários perigos que passaram no Planeta Feroz eles ainda conseguiram voltar para busca-los tendo um mês de sobra.
Eles precisavam voltar em um ano pois o oxigênio e os mantimentos que tinham só duraria esse tempo e se caso eles passem do prazo, todos morreriam na cidade True e mesmo se eles voltassem, nada mais poderia ser feito.







Pág. 26
CAPITULO 13
Conclusão

Logo eles todos começaram a chegar perto da cidade Noods que estava embaixo do mar.
Como o líder da cidade Noods havia dito, quando eles ficaram sabendo que o meteoro iria cair na Terra, eles resolveram se mudar para essa cidade submarina e levar tudo o que tinha lá para baixo naquela cidade submarina, como comida, roupas, água potável e tudo mais que precisassem lá em baixo.
Como a água daquele local recarregava as pedras de tunazol, elas que eram o combustível de tudo ali nunca se acabariam e nem gastariam a sua energia e assim o escudo da cidade a fabrica de oxigênio e tudo o que eles precisavam lá embaixo estaria sempre funcionando.
Foi quando os veículos que estavam transformados em submarinos, chegaram na cidade submarina.
Todos ali admiravam aquela imagem, era lindo um ambiente verde no meio daquela escuridão toda, no fundo do mar, sem duvida era a coisa mais bonita vista por eles.


Pág.27

Todos observavam aquela cidade lá em baixo, o pessoal do primeiro veiculo VX- 4000 guiava todos os outros para chegarem na cidade pelo caminho certo.
E os outros veículos os seguiam de longe indo logo atrás.
Logo todos foram chegando na cidade.
Lá em baixo todos os aguardavam e como estavam protegidos com o escudo ninguém era afetado pela imensa pressão que tinha lá em baixo.
A porta de descompressão foi aberta, todos os veículos entraram ali e esta logo foi fechada novamente.
Essa tecnologia espantosa seria inventada no futuro.
Logo que as águas baixaram um equipamento imediatamente vaporizou por um raio laser tudo o que tinha ali como vírus e bactérias.
Só então depois de tudo pronto é que foi permitida a saída de todos ali, e a mesma coisa aconteceu com os outros quando estiveram ali pela primeira vez.
Logo uma comporta foi aberta e entraram ali alguns homens.
As portas do veiculo foram abertas e todos saíram dali.
O líder da cidade Noods chegou ali e disse:
__Cidadãos de True, sejam bem vindos a Noods, eu sou o líder da cidade e me chamo Henrique.
Espero que todos possam viver felizes aqui como viviam em sua cidade.

Pág. 28
Então o líder de True disse:
__Eu sou o líder de True e me chamo Rubens, esta cidade é a nossa ultima esperança e pedimos obrigado por nos acolherem.
Logo eles entraram na cidade, lá dentro Henrique mostrou a nova casa de todos ali, cada um então foi para a sua casa, Rubens agradeceu ao cientista Alberto e a todos os outros membros do grupo pois sem eles, eles nunca iriam encontrar aquela cidade e com certeza seriam destruídos por aqueles terríveis insetos, alguns dias depois Rubens foi eleito o vice líder daquela cidade e um imenso monumento foi erguido ali em homenagem ao grupo que os guiou até aquela cidade que foi a salvação deles pois ali eles estariam livres dos insetos.
Em baixo do monumento foi escrita toda a historia deles desde a queda do meteoro até a descoberta daquela cidade submarina.
Logo tudo terminou bem, cada um foi para o seu novo lar e ficam sempre na esperança das águas ficarem claras de novo o que indicaria que o Sol voltou a brilhar e que na superfície do planeta tudo recomeçaria, e que o Planeta Feroz voltasse novamente a se chamar Planeta Terra.

FIM                                                        Pág. 29
CAJU
Enviado por CAJU em 30/08/2006
Código do texto: T228868
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
CAJU
Franco da Rocha - São Paulo - Brasil
5 textos (11709 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 07/12/16 09:01)