Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Vivendo após um eclipse

Vivendo Após Um Eclipse
Escrito por Lucas Barbosa



Vivendo Após Um Eclipse
Os desencontros ocorridos entre Igor e Camila


Guanambi, 02 de setembro de 2005
1º Edição.



Vivendo Após Um Eclipse, conta a historia de um amor moderno, que surgiu meio que por acaso.Descreve a trajetória de dois jovens – Igor e Camila – que se  encontraram de forma surpreendente e que viveram momentos inesquecíveis, sendo posteriormente remetidos ao irremediável vazio de um adeus.
Uma historia que tinha todos os pré-requisitos para dá certo, porem, não passou de mais um engano.
Durante a leitura, nota-se que mesmo sendo dito tantas coisas, com o fim, perde-se também um pedaço do coração que acaba por ser enterrado com os sonhos que foram feitos para um futuro que não teve chance de acontecer.
Fica evidente também, momentos – em sua maioria – felizes que durante a trama, toma um rumo surpreendente, capaz de emocionar a todos.
Uma leitura leve, escrita de forma clara, com linguagem simples, que nos mostra que mesmo um relacionamento tendo chegado ao fim, se o sentimento foi verdadeiro, muitas coisas restam para serem guardadas numa caixinha de recordações felizes. Tornando-se assim, num passaporte capaz de nos remeter àqueles momentos inesquecíveis, os mesmo vividos por Igor e Camila.




Este livro não teria sido possível sem o apoio e a amizade de Jeane Salles. Agradeço também a Indira Brito pela leitura do primeiro manuscrito e pelos valiosos comentários que me incentivam por demais. Devo agradecer a colaboração de Adriany, que tem participação direta em diversos textos. Os meus agradecimentos, enfim, a Ariomar Rodrigues e a Maria de Lourdes pelas observações bem-humoradas, pelas duvidas sanadas e pelo seu sólido suporte técnico durante todos esse meses.



Enfim...
um dia descobrimos que apesar
de viver quase um  século
esse tempo todo não é suficiente
para realizarmos todos os nossos sonhos,
para beijarmos todas as bocas que nos atraem,
para dizermos tudo o que tem que ser dito...

O jeito é:
Ou nos conformamos
com a falta de algumas
coisas na nossa vida,
ou lutamos para realizar
todas as nossas loucuras...
Quem não compreende um olhar,
tampouco compreenderá uma longa explicação.
 
                                                    Mário Quintana.




ÍNDICE


Como ganhar uma Lua;
* A vida é palco de encontro, embora haja tantos desencontros nessa nossa trajetória..................................................................... 07
Identidades reveladas;
* Corre Anjo! Pegue seu instrumento e vamos, Bruxa e Sonho, entoar ao universo-pai os nossos desejos de felicidade............................13
Aproximação Lunar;
* ei Igor, você não viu a Lua ontem à noite não?..........................15
Um ultimato precoce;
* no momento em que eu estava com ele lembrei de você, eu queria estar com você. E saiba que tudo o quero eu consigo. E com você não será diferente ................................................................ 00




                                Como ganhar uma Lua.

            ... A vida é palco de encontro, embora haja tantos
                     desencontros nessa nossa trajetória


quanto calor para uma única tarde de março.
- Onde estaria aquela que tanto procuro?
Complicado responder à tal questionamento quando Igor, na maioria das vezes,mal sabia onde se encontrava, vivia a vagar em pensamentos. Achar um outro ser, seria duas vezes mais difícil.
Por onde começar a procurar? Nem mesmo isso ele sabia ao certo... geralmente encontra-se pessoas especiais dentre grupos de amigos que tenham alguma coisa em comum. Seria ótima a idéia, caso ele tivesse um grupo assim. Não que ele fosse um do tipo anti-social, porem, a timidez atuava como uma espécie de barreira capaz de isolá-lo.
Na atualidade com o avanço tecnológico, a chamada era virtual veio amenizar o real quadro de solidão vivida por Igor naquela terra distante.
Utilizava a Internet para trocar correspondência com amigos agora longínquos e com familiares também distantes. Os canais de comunicação instantâneas eram os seus preferidos. Onde ele expunha todos os seus dramas e aflições para os quais ele achava que merecedor de tal confiança.
Igor destinava as suas tardes à procura de textos, leituras agradáveis e ate mesmo amigos virtuais. Tinha em mente que “bater papo” via computador era algo característico de quem se encontrava na mesma situação que ele; Sozinho! Embora ele fosse apreciador da forma convencional de trocar idéias, tipo, olho no olho.
Em mais uma tarde de sol forte, do mesmo mês de março, diante da mesmice que se tornará a sua vida, recorreu novamente às vias da Internet, na esperança de encontrar alguém com quem pudesse desabafar. Contar suas angustias e frustrações.
Então alguém chamou sua atenção. Este alguém denominava-se “Menina da Lua”.
- Olá, posso saber o porquê de “Menina da Lua”?
- Oi, é porque tenho fases como a Lua e faces diversas... sou meio bruxa entende?
Rindo em seguida, ela confundiu a cabeça de Igor. Ele quis saber mais sobre a misteriosa “bruxa”.
- E a “bruxa” tem nome? Tecla de qual cidade?
- o nome da “bruxa” é Camila e como já disse, moro na Lua.
Aquilo por algum motivo lhe encantou. Talvez a solidão que a tempos andava presente, resolveu mostrar a Igor a esperança de uma simples amizade virtual, confiável acima de tudo. Como era seu objetivo Igor tratou logo de expor sua realidade. Mostrou-se como vitima desse cruel monstro chamado “vida”. Tudo corria bem quando de repente ela se foi.
A dura realidade que, momentos antes, tinha sido esquecida, fez-se presente novamente levando Igor a uma tristeza ainda maior q antes. Ele sentia como se tivesse perdido algo que acabara de conquistar. Milhares de hipóteses surgiram na tentativa de explicar a partida de Camila sem ao menos um adeus.
Mas para Igor que, acabara de viver momentos tão significativos no campo afetivo, algo teria que ser feito para recuperar a atenção da tão doce Lunática. Depois de um tempo pensando surgiu a duvida... teria Camila, sido verdadeira? O que realmente havia acontecido?
A única certeza que Igor tinha era que aqueles momentos preciosos poderiam se repetir, caso ela tivesse conhecimento do estado real em que ele vivia. Por se descrever como o mais infeliz entre os terráqueos ele sabia que despertava nos outros o desejo de ajuda-lo.
Ainda na Net, a sua única arma era escrever um texto capaz de comover Camila ou ate mesmo, reforçar algumas das afirmações feitas anteriormente, caso ela ainda tivesse duvida. Partindo desse pré-suposto, deixou o coração controlar a razão, expondo tudo o que sentia num e-mail enviado a Camila onde mostrava o desejo de manter, ao menos, um contato mais freqüente com a garota da Lua.

Você não pode ir embora sem antes ouvir o que eu tenho pra te dizer,
se não posso dizer por MSN direi por e-mail:

Na verdade o que aconteceu foi que você não me levou a serio,
desde o nosso primeiro contato em que eu te abri meu coração.

Sou nada mais, nada menos que um ser que perdeu tudo o que tinha,
(amizades, paixões, amores quem sabe...), me tornei alguém carente,
solitário e acima de tudo e de todos  apaixonado pela vida, pois
esta é a melhor forma de enfrentarmos os problemas por mais difícil
que possam parecer. Na busca de um sonho, sai de Salvador e vim morar
em Guanambi.

Mas sei que "As folhas caem para que outras possam
ter a possibilidade de nascer".

Espero do fundo do meu coração que este mero envolvimento que temos aqui
(na NET) possa evoluir e que você se torne, não uma mera "folha" na
minha vida e sim uma bela flor tão brilhante quanto a LUA

Um forte abraço de quem aprendeu a te adorar de verdade,

                                                                                          Igor Macedo.

Após ditas estas verdades, Igor se deparou com uma situação nova e igualmente desconfortável; Nada poderia fazer nada a não ser esperar por noticias de Camila. Viveu com a incerteza durante alguns dias. Incerteza perecida com a das estrelas – Sendo que o que se vê da Terra, aquele brilho no céu, não passa de um reflexo do que existiu a anos atrás. Das estrelas só sabemos isso, que existiram... caso uma delas se apaguem hoje, só saberemos em media dois à três anos depois, quando o sua luz deixar de ser refletida aqui na terra. Diante de tal incerteza, fazia varias idéias de como estaria Camila interpretando suas palavras. Todas as suposições de Igor não possuíam um base firme, mesmo porque ele nada sabia a respeito de Camila. Nada a mais que seu nome e sua morada... na Lua.
Dois dias depois, após muita angustia e ansiedade por uma resposta incerta, o esperado aconteceu; Uma resposta de Camila surgiu como um presente. Como uma gratificação por Igor ter acreditado numa mera semente de amizade plantada meio que por acaso. Ele mal pode acreditar no que estava a sua frente. Era a materialização da retribuição  de um carinho que foi assegurado pelo esforço aplicado por Igor, no momento em que ele sentiu que não poderia deixar Camila ir, como se tudo não passasse de uma brisa leve num fim de tarde de domingo.

Olha eu de novo, Igor!
 
Bem, como tô numa tarde de sol, mas sem calor nenhum aqui, também  estou me sentindo ainda mais desterrada do que nunca..É muito triste se achar assim sem raízes, sem ligação com a terra em que vivemos.
Sempre fui lua. Mas ando cansada de ter apenas a noite escura como companhia... É bom de vez em quando encontrar quem entenda das mesmas tristezas que eu. E eu levei você a serio sim, porque tenho uma insuportável mania de crer nas pessoas. Posso te contar uma história? lá vai...
"Eu era uma menina sonhadora que morava na lua. Ali cabia todas as minhas faces e muitas coisas que faziam do espaço um lugar um tanto bagunçado.Tinha também um raio de sol pra me fazer companhia e clarear as páginas do livro que eu tinha escolhido para ler. Algumas vezes o passar da estrela apagava a vela que iluminava as folhas onde minhas palavras tinham adormecido. Servia para lembrar que eu devia seguir a mesma orientação. Num dia triste era mais fácil assistir ao filme preferido. A música ganhava um novo arranjo com o som de outros orbitais. Quando tudo parecia sufocante e a solidão tomar conta de todo o espaço, fugia por ela e ia dar um tempo passeando na primeira luz que ali passaria. Logo descobria um marcianinho assustado, e que eu já não era assim tão sozinha. Minha Lua as vezes era do tamanho do mundo e outras vezes parecia tanto com meu quarto..."
 
                                                                  Camila Vieira de Melo.

Interessante como a maioria das demonstrações de carinho têm a capacidade de transformar a vida das pessoas. Veja o caso do Igor; É bem verdade que o tal texto é capaz de dá uma calibrada de animo em qualquer que seja o destinatário. E no caso especifico dele, mais ainda, devido o estado de abandono em que Igor se encontrava.
Daquele dia em diante o contato foi se firmando e a amizade se fortalecendo. Toda tarde eles tinham um encontro marcado. Muito foi descoberto... descobriram que molecagem não era exclusividade de crianças, mas também de “jovens ajuizados” com idade  elevada. Assim como Camila confidenciou a Igor, ter deixado a embalagem de iogurte vazia – e tampada – na geladeira afim de decepcionar algumas de suas irmãs. E como Igor, igualmente confidenciou, não ter estudado durante as duas únicas semanas que tinha antes da prova de Legislação de transito. Igor descobriu que Camila adorava as tardes de sábado em que seus pais estavam fora e que ela se sentia mais livre estando junta a sua irmã. Assim como Camila descobriu que Igor dividia seus dias com uma meia dúzia de cães, seus amigos para todas as horas. Descobriram ainda que enquanto um detestava doces, alem de não poder comê-los por motivos de hipotensão arterial – pressão baixa -, o outro adorava salgados, principalmente aqueles que levavam em seu receio frango, independentemente da massa. Poderia ser pastel, coxinha, pizza... E aprenderam também a apreciar o mesmo luar, ainda que tendo cada um, uma visão diferente da Lua. E que ao fazer isso, sentiam-se ainda mais próximos um do outro.
Passados poucos dias de um convívio virtual, já era evidente uma extrema cumplicidade entre eles. Já tinham sido feitas confidencias de decepções amorosas de ambas as partes. De um lado um namoro de pouco mais de dois anos e do outro um relacionamento mais serio, um noivado e cerca de cinco anos que se passaram até um desencontro final. Dois corações feridos tentando mostrarem-se inabaláveis. Os dois refugiados num mesmo céu. Um como ANJO e outro como LUA.
Dentre rotinas diferentes, surgia um desejo em comum. Enquanto Igor passava os dias em companhia de seus amiguinhos – os seus cães – Camila se desdobrava em meio a uma turma infantil durante o preparo de uma salada de frutas. No final os dois queriam mesmo elevar tal amizade alem das fronteiras da Net, e concretizar este sentimento com um forte e longo abraço.
Numa dessas tardes, durante uma conversa – assim como todas as outras – agradabilíssima, Camila chamou a atenção de Igor para o termino de seu tempo, pois estava numa dessas casas de acesso a Internet pago por hora. Afirmava ela que ainda tinha cerca de três minutos. As idéias que antes eram calculadas antes de serem ditas, agora por falta de tempo, eram expostas sem nenhum tipo de censura. Quanto mais se aproximava do fim mais as coisas eram ditas no calor do momento e na eminência de mais um fim. De repente, sabendo que ela dentro de poucos instantes perderia o contato e que certamente levaria alguns dias para um posterior encontro, Igor durante um impulso inexplicável, deu o seu telefone a Camila. Como retribuição, Camila passou o telefone dela também, num instante final. Apenas isso:
- O meu é 237 3914, me liga meu Anjo! Tchau.
Depois dessa ultima conversa, as coisas tomaram um ar diferente. Foi a primeira vez em que eles pareceram descer dos céus e de pés no chão, terem dito o que realmente pensavam – isso sem censura – sem medo de se arrependerem.
Algumas palavras mais fortes foram ditas ali. Elas bastaram para que brotassem no coração vazio de Igor as flores de uma nova paixão. Nada de seguro ainda, apenas uma inspiração a mais juntamente com uma enorme vontade de ter a Lua.
Após terem trocado telefones, os contatos deixaram de ter a freqüência que normalmente tinha. Igor jamais teria a atitude de ligar para Camila pois lhe faltava coragem. Camila por sua vez, mantinha a compostura feminina de esperar que o homem ligue. Em meio a essa duvida muito tempo se passou. Camila então tentou encorajá-lo sempre lhe mandando textos que tinham como lição a atitude;

                                             Faça Acontecer
 
Se você está insatisfeito com alguma coisa - mesmo que seja uma coisa boa que gostaria de realizar  e não está conseguindo - pare agora. Se as coisas não andam, só existem duas explicações:
Ou sua perseverança está sendo testada ou você precisa mudar de rumo.
Para descobrir qual das opções é correta, já que são atitudes opostas,  use o silêncio. Aos poucos as coisas vão ficando misteriosamente claras, até que você tenha força suficiente para escolher. Uma vez tomada à decisão, esqueça por completo a outra possibilidade. E siga adiante.Disse Domingos Sabino: “Tudo sempre acaba bem no final. Se as coisas não estão bem, é por que você ainda não chegou no final”.
                                                                                   Camila Vieira de Melo.

Igor resolveu então recorrer a Net novamente, na tentativa de demonstrar a Camila que o que sentia agora era algo diferente do que sentia outrora. Como se aquela admiração e carinho tivesse evoluído pra algo mais belo, mais sublime. Mas como explicar tal “evolução”? Começou de maneira simples com palavras leves pra não assustá-la. Como os horários não ajudavam mais, o contato passou a ser por e-mail, onde a cada mensagem enviada, crescia de forma assustadora a expectativa de um retorno. A angustia de ter que esperar para saber qual a opinião do outro fazia com que as horas se arrastassem lentamente, torturando cada vez mais aquele que esperava por respostas. Era um castigo ter que esperar dias pra saber o que o outro achou da idéia, do texto. Se concordava ou descordava deles. Se o outro era capaz de se identificar no texto... e longos foram os dias de angustias entre textos trocados, sempre na expectativa do outro tomar uma iniciativa mais objetiva.
Igor então começou a usar um tom de sentimentalismo a mais em seus textos. Mas ainda assim, de forma bem sutil, com muito pouca objetividade;

Será verdade, ou apenas mais uma ilusão?
Noite passada momentos antes de ir dormir, me deparei pensando nela. “Teria eu, sido capaz de dizer tudo o que disse? Ou estaria sendo influenciado por uma força oculta, por uma espécie de hipnose?” (rsrsrsrs, seria AMOR:HIPNOSE?)
 
A explicação ela mesmo tem:
“As vezes falamos o que não deveríamos falar, choramos por quem não deveríamos chorar. Sabe porque? Porque amamos quem não deveríamos amar”.Estaria eu falando o que não deveria falar, ou pior, estaria amando quem não deveria amar... Novamente? (Calma, eu explico direitinho o que quero dizer com esse “NOVAMENTE”).
Já senti algo perecido anos antes, (pra ser mais preciso, teve inicio no dia 04/12/1997, quando voltava do colégio...) Mais creio que naquela ocasião, acabei confundindo CARINHO com promessa de PAIXÃO. Mais como a amizade era forte o suficiente, ela resiste ate hoje... e se fortalece cada vez mais. Na verdade eu creio que não estou cometendo o mesmo erro do passado (Outrora não vejo como erro tudo o que fiz – no passado - e o que estou fazendo agora) mais se infelizmente a vida resolver me provar o contrário – que voltei a me enganar – espero que tenhamos maturidade suficiente para superar tudo da melhor forma possível, mantendo a amizade em seu curso natural.
                                                                                                 Igor Macedo
Dicas para vivermos felizes
“Expresse seus sentimentos, não conferindo exagerada importância ao fato de os outros corresponderem ou não a eles...”
(Do livro “Quebre o Ídolo, de Anthony de Mello)

Camila por sua vez não deixou por menos. Ainda defendendo uma postura tipicamente feminina, esperava que Igor tivesse a iniciativa de lhe procurar. Ele já tinha o seu telefone bastava criar coragem pra fazer o contato. Por diversas vezes Camila pensou em dar o primeiro passo. Mas mostrava-se tão insegura quanto Igor.
E muito tempo foi gasto durante este impasse entre eles. Seguiam-se textos que funcionavam como uma espécie de alicerces que sustentaria um relacionamento afetivo mais tarde. Era uma espécie de conhecimento do outro, pois a cada dia que passava, tais textos falavam muito do intimo de cada um.

Oie Igor... tudo bem?
Espero que sim...
Tenho milhões de coisas pra te dizer, por ora dá uma olhadinha nos textos abaixo:

“Ultimamente eu ando...
pensando em você
pensando em nunca mais
pensar em te esquecer
pois quando penso em você
é quando não me sinto só
com minhas letras e canções
com o perfume das manhãs
com a chuva dos verões
com o desenho das maçãs
com você me sinto bem
eu estou pensando em você
pensando em nunca mais
te esquecer”

Recomeçar
“Não importa onde você parou... em que momento da vida você cansou.
O que importa é que sempre é possível e necessário recomeçar.
Recomeçar é dar uma nova chance a si mesmo...
É renovar as esperanças na vida e, o mais importante... acreditar em você de novo.
Sofreu muito nesse período? Foi aprendizado...
Chorou muito? Foi limpeza da alma...
Ficou com raiva das pessoas? Foi para perdoá-las um dia...
Sentiu-se só por diversas vezes? É porque fechaste a porta até para os anjos...
Acreditou em tudo que tava perdido? Era o inicio de tua melhora...
Onde você quer chegar? Ir alto?
Sonhe alto...
Queira o melhor do melhor...
Se pensamos pequeno... coisas pequenas teremos...
Mas se desejarmos fortemente o melhor  e principalmente
lutarmos pelo melhor... o melhor vai se instalar em nossa vida.
Porque sou do tamanho daquilo que vejo, e não do tamanho da minha altura.
(Caros Drummond de Andrade)

Um beijinho e bom feriado... ah? se a coragem chegar, estarei em casa, ok? Pode me ligar. Eu estou esperando por isso a dias.
(pode ficar tranqüilo que isso não é pedido de casamento rsrsrs)
                                                                                 
 Camila Vieira de Melo.

Com o passar do tempo, quando os dois já se conheciam um pouco mais, sabendo da essência de cada um, foi que Igor resolveu abrir seu coração para a Lua. Isso foi feito de maneira muito discreta, como era marca registrada dele. Ainda no ambiente virtual, começou a lutar contra o “cartão de visita” que ela fazia questão de mostrar desde o inicio.
- Não quero um namorado virtual, ando cansada de ser Lua e ter apenas a escuridão como companhia. Esse não é o meu objetivo.
De inicio a idéia surgiu como um ato emotivo originado por uma atmosfera completamente desfavorável. Dias e dias sem companhia, que foram alimentando uma carência sem precedentes.
Igor andava mergulhado num passado de boas recordações e só aceitaria sair de lá por um motivo igualmente valioso como um novo amor, uma nova razão de viver. Evidencias claras de que algo a mais ele sentia, eram mostradas à Lua com maior freqüência;

Já temos a receita, faremos ou não?

O nascimento, a ternura, a alegria.
A infância querida, os amigos, pontos de encontro no desconhecido...
Desencontros da juventude, a primeira namorada, ansiedades ditadas pela intolerância, momentos maravilhosos...mágicos...de rara beleza...
 
Primeiro encontro...primeiro beijo...estrelas brilhando no céu e nas veias, fluindo o sangue de um coração acelerado...apaixonado.
Amor à flor da pele...carinhos, carícias...promessas de um amor eterno...
Perspectiva de felicidade, gratificante, brilho nos olhos, rosto cintilante...
 
Realidade evidente...espírito carente...realizações vazias...
Mudança radical, destinos diferentes, separação...
Um ligeiro adeus...um até logo...um até breve...
De repente a realidade...a velhice...a verdade...
As reflexões constantes, ditadas pela saudade...
 
Saudades do passado não muito distante...um pranto...uma vontade de voltar, corrigir erros, redirecionar rumos, amar, pedir perdão e deixar o coração fazer o que deveria ter sido feito.
 
O ciclo está terminando, vagas lembranças...
Saudades apenas...Apenas saudades...
 
Devemos refletir sobre cada momento de forma que nossa história não tenha este desastroso desfecho.
                                                                                       
  Igor Macedo.


Identidades reveladas.

... Corre Anjo! Pegue seu instrumento e vamos, Bruxa e Sonho,
entoar ao universo-pai os nossos desejos de felicidade...


Teria sido apenas mais um texto dentre todos aqueles que eram trocados, caso não fosse utilizadas na resposta da Lua, palavras tão sutis e com uma enorme capacidade de enfeitiçar. Não... Este foi muito mais que um mero texto. Foi como uma espécie de portal tridimensional que acabou remetendo Igor a uma atmosfera ao mesmo tempo que,  longínqua e inesperada, agradável e reconhecida de tempos e tempos atrás. Era como se ele estivesse retornado à seu habitat natural de onde tinha partido a muito tempo, sem planos de voltar. Como o retorno de um filho pródigo.

Eu acredito que muito além do que nossos olhos mortais podem ver, ultrapassando os limites da atmosfera do planeta que chamamos de casa, lá no alto dos céus e em todas as outras dimensões supra-reais que existe além dele, após tudo o que conhecemos existe algo (que muitos chamam de cosmos, de energia universal, ou de Deus) capaz de ordenar todos os micro-seres subjugados a sua vontade imutável.

Quem vive na lua como eu sempre se surpreende com a inocência dos terráqueos. Quase nunca compreendem essas coisas do céu. Muitas vezes dizem simplesmente: "foi culpa / obra do acaso" e vão seguindo adiante responsabilizando o destino por aquilo que ele nem viu...

Emoções assim ocorrem todo o dia. Quem dirá que acredita na insonora força do invisível sem parecer ridículo, infantil ou lunático? Disso eu entendo. Isso eu sei. Isso eu vejo sempre... Mas continuo me surpreendendo com a forma magnífica com que encontros como o nosso se processam assim tão harmonicamente. É a orquestra da vida ministrando o mais puro espetáculo.

Corre, Anjo! Pegue seu instrumento e vamos, Bruxa e Sonho,
entoar ao universo-pai os nossos desejos de felicidade...

Camila Vieira de Melo

Aquelas tão belas palavras soaram como a mais fenomenal das Orquestras de Chopin. Penetraram no coração de Igor fazendo ele reviver uma magia que a tempos andava esquecida. Ele voltou a sentir-se querido, a sentir-se ANJO.

Titulo: Mais uma jóia para o meu tesouro.

...Acabei de lê o comentário de Camila, espera um pouquinho que preciso de fôlego. Não muito, só uma pausa pra respirar fundo.
Pra quem não a conhece, vos apresento CAMILA VIEIRA DE MELO, chique o nome não acham... Pura fachada, é uma pessoa de simplicidade absurda e de uma modéstia tremenda (costuma denominar-se “Bruxa Lunática”) mesmo eu tendo certeza que se trata de  mais um “Anjo da Guarda”.
Tudo começou quando, num momento de desabafo, provocado pela insistente companhia da solidão – que não me deixa em paz – procurei alguém que estivesse disposto a dividir tal fardo comigo.
O que mais me impressiona são as coisas que ela diz: São sempre tão bem colocadas que acabam por me tranqüilizar e renovar as minhas esperanças por dias melhores... Ela diz que faz Pedagogia, mais acho que é Psicologia. O simples fato de trocarmos idéias, faz com que eu me anime, da mesma forma que, quando ficamos sem contato, me sinto incompleto... Como se pudesse ser melhor...
Adoro o tom “espacial” que ela usa... afirma fervorosamente ser “Menina da Lua”, e outrora diz que -pelo meu modo de pensar- sou de outro planeta. Não sei se é elogio, ou não. Mas aceito como tal. (rsrsrs) A opinião que temos acerca do “Divino Mestre” parece ser a mesma... vejam

Creio que lá no alto dos céus e em todas as outras dimensões supra-reais que existe além dele, após tudo o que conhecemos existe algo (que muitos chamam de cosmos, de energia universal, ou de Deus) capaz de ordenar todos os micro-seres subjugados a sua vontade imutável.
Outra coisa que me arrepia é: “Quem vive na lua como eu sempre se surpreende com a inocência dos terráqueos”.
* Estará ela fazendo tal colocação, tomando como referencial a minha pessoa? Será isso, uma virtude ou um defeito?
Por fim não posso deixar de expor a minha opinião sobre o que ela afirma sobre nosso encontro: ”Mas continuo me surpreendendo com a forma magnífica com que encontros como o nosso se processam assim tão harmonicamente. é a orquestra da vida ministrando o mais puro espetáculo. corre, Anjo! pegue seu instrumento e vamos, Bruxa e Sonho, entoar ao universo-pai os nossos desejos de felicidade...”
* Harmonicamente é realmente espetacular... (rsrsrs) sem contar o tom “espacial, místico, esotérico” – essa união entre anjo, bruxa, sonho e Lua – que ela tanto faz questão de enfatizar. Diria que aí estão palavras fortes, equilibradas com uma alta dose de carinho, que sendo administradas da forma correta, terão como frutos momentos de intensa felicidade, os quais só uma verdadeira amizade, podem propiciar.

Em relação a um contato mais “próximo”, se é que esta é a palavra... falo do telefonema sugerido por ela (o qual eu deveria criar coragem) eu acho melhor amadurecer esta idéia aos poucos. Para que no dia certo, eu possa ter confiança suficiente para ligar e saber o que falar, já que na maioria das vezes, em situações parecidas, me fogem as palavras...

Sinto que esta faltando algo, porem, mesmo depois de diversas tentativas, não consegui expor com palavras... Sei que ela deve saber do que se trata. Essas coisas sentimentais são realmente muito complicadas. Queria ter aprendido com Falabella, o qual sabe de forma excelente usar palavras com tal propósito.


 
Aproximação Lunar.

... ei Igor, você não viu a Lua ontem a noite não? ...


Muitos dias havia se passado após o ultimo “contato” entre Igor e Camila. Ate mesmo Igor que era o mais esperançoso, andava meio que desanimado com o atual curso da historia. Era como se ele começasse a se conformar com a idéia de uma relação especificamente virtual. Já Camila, parecia ser um pouco mais decidida, resolvida, conhecedora de seus objetivos, no entanto... nada havia feito.
Mais uma manha de sábado. Igor acabara de chegar em casa quando ouviu o telefone tocar.
- Ei, atende ai.
- Igor, é pra você.
Ele se perguntava quem poderia ser? Certamente alguém de sua família afim de matar a saudade... talvez sua mãe, seria o mais provável.
- Sim!!!
- Oi Igor, tudo bem contigo?
A primeira impressão foi de que se tratava de mais uma daquelas tele-vendedoras. . voz firme e segura. Característica daquelas que tentam a todo custo provar que é melhor você aceitar a sua oferta. Igor estava desapontado. Ainda tinha que aturar mais essa?
- Sim... estou ótimo, obrigado?!! Posso ajudá-la?
  - Pode me dizer seu nome?
- Ei Igor, você não viu a Lua ontem à noite não?
Um breve silencio, uma lembrança repentina e a confirmação do inesperado... Era Camila, a “Garota Lunática”.
- eu não acredito que seja você.
- Pois pode apostar. Esperei você ligar, mas como você não teve coragem... alguém tinha que fazer o “serviço sujo”, néh mesmo?
- Eu nem sei o que dizer, você realmente me surpreendeu.
- Pena que o cartão telefônico que roubei do meu pai só tinham três unidades e a ligação pode cair a qualquer momento.
- Só queria dizer que adorei a surpresa e que foi muito bom falar contigo. Posso te ligar depois?
- Pode não... deve (risos).
Logo em seguida a ligação caiu. Caiu também sobre Igor uma enorme duvida quanto a veracidade daquele telefonema.

E se você dormisse?
E se você sonhasse?
E se nesse sonho você fosse a um jardim?
E se lá você colhesse uma flor bela e estranha?
E se ao acordar, você tivesse esta flor entra as mãos?

Era em sua essência um questionamento como esse que atormentava Igor. Ele tinha nas mãos, ao invés da bela e estranha flor, o telefone. Objeto o qual a poucos instantes tinha conectado-o a Camila, fortalecendo ainda mais a  relação de carinho entre os dois.
Igor mal podia esperar o final da tarde, momento o qual ele prometeu ligar de volta para Camila. Mas algo o angustiava;
Como era possível aquele minúsculo condicional proporcionar a Igor tamanha insegurança? O “SE” era no momento, muito menos que uma “Partícula Apassivadora”. Longe disso. “Índice de Indeterminação do Sujeito”? Também não. Na verdade seu único papel era indeterminar, nada mais que isso.
Mais vencida a duvida, ele ligou. Ainda meio que inseguro. Logo ligeiramente acalmado por aquela voz harmoniosa que tanto bem fazia a seu coração. E como criança que necessita de platéia pra fazer valer seu choro, Igor fez de Camila expectadora para o seu “show da vida”. Contou-lhe tudo o que podia ser contado com exceção da senha de sua conta bancária. E não há duvida de que se ela perguntasse,  ele diria.
Mesmo após terem sido trocados textos, muitos textos... Muitas outras coisas puderam ser esclarecidas durante aquela conversa de sábado à tarde. Gargalhadas diversas, dentre tantas outras expectativas em comum.
Igor muito nervoso, inseguro. Camila descontraída, leve e solta. Durante a maior parte do tempo, Igor se comportou como o sexo frágil da relação enquanto Camila norteava a conversa. Ela se sentia mais a vontade, e com isso encurralava Igor com perguntas que quase sempre inesperadas.
Tenho pra mim que a fala e a escrita são capazes de demonstrar grande parte do intimo de uma pessoa. Partindo desse pré-suposto, diria que tanto Igor quanto Camila eram conhecedores em potencial do coração um do outro. Mesmo que por horas Camila insistisse em afirmar ser da Lua. Morar nas alturas  e ser inabalável, inatingível, intocável.
Neste final de noite de sábado, unidos por uma ligação telefônica... tanto já havia sido dito e muito ainda havia por falar. O desejo de continuar era evidente. Mas, fora aquele momento intimo entre os dois, mesmo que não parecesse, a vida continuava. A idéia de que o mundo havia parado só se fazia existente na cabeça deles dois, no momento em que estavam maravilhados com o poder de algumas palavrinhas mágicas.
De repente um chamado para a realidade. Uma breve despedida com ar de até logo. Tinham a certeza de que depois de terem encontrado o caminho das pedras, tantas pedras no caminho não seriam mais tão ruim quanto antes. Quanto mais agora que a distancia entre eles tinha sido resumida à uma seqüência de sete dígitos.
Momentos depois de ter sido obrigado a retornar para “o mundo real”, o então Anjo Igor, quis retornar “ao planeta dos sonhos”. Diante da cabine de tele-transporte, conhecida vulgarmente como telefone, usou a senha secreta. Não funcionou. O que estaria acontecendo? Repetiu o processo novamente... sem sucesso.   (continua na próxima postagem... caso contrário, não terei compradores para o meu livro, hsuahsuha)

P.S; O editor de texto do Recanto das letras / Escrivaninha não nos permite uma melhor formatação, daí a perceptível desorganização nessa postagem.
Caso queiram apreciar a versão original, revisada para impressão com suas respectivas formatações, favor deixar solicitações acompanhadas do e-mail para qual devo encaminhar...

Lucas Barbosa
Enviado por Lucas Barbosa em 05/09/2007
Código do texto: T640161

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Lucas Barbosa). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Lucas Barbosa
Salvador - Bahia - Brasil, 33 anos
6 textos (1161 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 16/10/17 20:36)
Lucas Barbosa