Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

ABOLIÇÃO

ABOLIÇÃO


Fujo dessa vida sem amor,
com o corpo e sem alma, onde estou?
Mulheres sem rumo e homens como flor.
sou poeta, sou escravo do amor,
sou malandro, odiado por quem sou.
Fuja dessa vida, por favor!
Canta comigo, até rouco, lá do fundo,
canta com ódio, até com amor.
Arrebenta essa corrente que estropia e causa dor,
que me leva ao espaço, na mente onde estou.
Sou escravo desse mundo,
mas tenho sentimentos mais profundos,
tenho fé na minha mão,
salve a nossa abolição.






Esta letra de música foi feita no início dos anos 1970, quando eu tinha cerca de 20 anos.
Época de muitos festivais estudantis.
Mario Rezende
Enviado por Mario Rezende em 21/09/2006
Código do texto: T245710

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Mario Rebelo de Rezende). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Mario Rezende
Rio de Janeiro - Rio de Janeiro - Brasil
689 textos (50928 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 08/12/16 08:10)
Mario Rezende