Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Natalia

Meu anjinho não sabe
Mas o que devo dizer?
Se há no que pensar
Se há o que fazer
Talvez o errado seja eu
Talvez seja dor aqui
Que me impede de esperar
Inconseqüente para ser feliz
Da forma que pensa ser mais livre
Presa na vontade alheia
Tão fútil ó decadência
E qualquer um será tão melhor que eu

Não fui eu quem quis assim
Eu nunca quis assim
Ainda sei que vou estar mal
Hoje eu quero o fim

Gosto tanto de você...

Mas, já ouviu falar de amor próprio?
Eu ainda tenho o meu
Tão podres os seus sentimentos
Um infinito como adeus
E ainda quer batalhas?
Pode mesmo resistir?
Agüentaria estar sozinha
Enquanto estou só aqui?
Pede me dizer
Algo que faça bem?
Traga-me uma esperança
Mas tenha também


Não fui eu quem quis assim
Eu nunca quis assim
Ainda sei que vou estar mal
Hoje eu quero o fim

Gosto tanto de você...

Me desculpe a sinceridade
Ela sempre dói
Eu não conheço lindas palavras
Para dizer por nós
Mas o mundo se compõe
De trágicos hinos de decadência
Os versos de morte hoje me vêm
Para explicar minha demência
Eu ainda acredito em raros finais felizes
Aqueles que nem sei se um dia eu vou ter
Nessa vida de expressões tristes
Queria agora ter algo feliz para lhe dizer

Antes que o sol maltrate nossas faces
Doendo em calor com sólido adeus
E suas mãos poderiam me puxar
Juro, eu sairia desse adeus
Tão meu

E você pode dizer tudo
Mas, Natalia, não me diga que eu menti.
Que não gostei de você
Você não sabe o quanto sofri....

Heart Necrose
Enviado por Heart Necrose em 03/10/2006
Código do texto: T255340
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Heart Necrose
Rio Claro - São Paulo - Brasil, 29 anos
76 textos (3098 leituras)
2 áudios (279 audições)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 05/12/16 19:00)
Heart Necrose