Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

ERAUM GAROTO QUE COMO EU AMAVA O FALCÃO E O CALANGO ACESO

Era um garoto que como eu amava o Falcão e o Calango Aceso
Girava os campos sempre a cantar as coisas lindas do Ceará
Não era belo mas mesmo assim havia mil jeguinhas afim
Cantava Xamego e Ai Minha Mãe Oh Caboclinha e Isaltina
Cantava viva a liberdade mas uma carta sem esperar
Da sua viola o separou, fora chamado pra Sampa

Pare, Com o Calango Aceso
Pare, Como Falcão vesgo
Mandado foi à sampa, trampar na construção

Era um garoto que como eu amava o Falcão e o Calango Aceso
Levava a vida mas acabou numa favela do morumbi
Gibão de couro não usa mais não toca a sua viola e sim
Uma picareta que sempre dá a mesma nota papapa
Não tem amigos nem ver garotas só gente morta caida ao chão
Ao seu torrão não voltará, pois está preso em Sampa

Pare, com o Calango Aceso
Pare, com o Falcão vesgo
Mandado foi à Sampa ser mula e avião

Era um garoto que como eu amava o Falcão e o Calango Aceso
Vivia livre e agora está fugindo com medo de tombar
De sua família não lembra mais sem sabe como voltar
Pra sua terra que ficou distante do que foi o seu lugar
Foi-se os sonhos e a esperança de ver sua vida melhorar
Do seu mundo nada restou, pois está morto em Sampa

Pare, com o Calango Aceso
Pare, com o Falcão vesgo
No peito um coração não há mas dois balaços sim
Alberto Fenix
Enviado por Alberto Fenix em 21/10/2006
Código do texto: T269815
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Alberto Fenix
Euclides da Cunha - Bahia - Brasil
6 textos (213 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 11/12/16 04:16)