Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

COMBOIO DE SONHOS

Quase lá, sempre,
Adormecer o amanhã
No agora que corre
Nos hiatos dos trilhos
Passam paisagens
Cores, tardes distantes,
Comboio de sonhos
Anseios de outono
O doce gosto das
Vindimas tardias
Derrama nas adegas
No dia de São Martinho

Quase lá, sempre,
No comboio a noite passa
Na escuridão dos retornos
Rasga a pele, as faixas de vida,
Fere, sangra, cicatriza,
Cria novas raízes
Nas estações da lembrança...

Quase lá, sempre,
O amanhã descansa
Nos tonéis dos secos tintos
Tempo dormente
Passa em procissão
nos lentos ponteiros
Mais uma estação,
Antônio, Maria, João,
Escorre o embebido silêncio
No discreto pranto
Lágrima de saudade,
Sangue de raízes
Choro das videiras...

Quase...
Helena Sut
Enviado por Helena Sut em 30/11/2006
Reeditado em 30/11/2006
Código do texto: T305513
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Helena Sut
Curitiba - Paraná - Brasil, 47 anos
614 textos (790164 leituras)
2 áudios (1258 audições)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 09/12/16 02:24)
Helena Sut

Site do Escritor