Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Paternalismo e passividade

Cantado (estilo Chico Buarque):-
Quando faz a obra
aparta o seu sagrado
Quando vai ao povo
faz o seu agrado
Quando da eleição
investe o "seu" pesado
E o povo como sempre
se faz de enganado...

Maria-sem-vergonha
dá em qualquer canto
por isso não me espanto
de ver tudo assim...
Quem toma no seu
já está acostumado
reclama que ardeu
mas só vira pro lado
troca seis por meia dúzia
é enrolado, enfim...

Bem feito! quem manda
ver a Globo e outros
pau-mandado
Esquece a Cultura
- não lhe é do agrado
vai reclamar pra quem?
se não sobra ninguém
nem mesmo delegado...

Declamado (estilo Zé Ramalho):
Por falar nisso,
Delegou poder...
agora tá ferrado!

Cantado:-
É isso aí, quem viver verá
que nada mudará
que será sempre assim!

Declamado:-
Êta vida besta essa nossa:
brasileiro acomodado,
acovardado,
acostumado ao cabresto.

Cantado:-
Enfim...
vá sê manso assim
no quinto dos impostos...
até quando Deus quiser!

(São Paulo, 01/12/2006 01:00h)
 
Lourenço Oliveira
Enviado por Lourenço Oliveira em 01/12/2006
Reeditado em 20/04/2010
Código do texto: T306571
Classificação de conteúdo: seguro

Copyright © 2006. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Lourenço Oliveira
Salesópolis - São Paulo - Brasil
1277 textos (109603 leituras)
23 e-livros (1394 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 06/12/16 16:19)
Lourenço Oliveira