Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Outra vez Natal


Chegou uma vez mais o Natal eu estava aqui pensando, entre tentar dormir e pensar resolvi pensar, é muito cedo para dormir ainda. Pensar no que se tornou o Natal, e daí surgiram algumas idéias que resolvi registrar e quem sabe compartilhar com alguém.
  A verdade é que há tempos o verdadeiro significado do Natal perdeu-se, e o consumismo e a mídia tomou seu lugar.
A cidade está lindíssima, luzes e música invadem todos os cantos.
Nos shoppings encontramos vários Natais diferentes, Temos o Papai Noel, o Mickey, o Shrek, o Quebra Nozes, os personagens mais variados da Disney e da Pixar, e até um dinossauro roxo, que uma criança de 5 anos ao meu lado me comentou que era um tal de Barney (esse foi o mais bizarro). Tudo isso é Natal, será??
A imaginação das pessoas está cada vez melhor. Tudo isso traz mais cor, brilho e encanto ao Natal, há vários Natais um em cada parte da cidade, você escolhe o que prefere.
Mas fiquei imaginado, de onde vem tudo isso? Vamos do principio, Papai Noel. No século IV um arcebispo chamado Nicolau costumava ajudar, anonimamente, quem estivesse em dificuldades financeiras. Colocava o saco com moedas de ouro a ser ofertado na chaminé das casas. A lenda do velinho que viajava o mundo em um trenó mágico veio bem mais tarde em 1822, devido a um poema intitulado "Uma visita de São Nicolau". Depois disso várias coisas foram se juntando a ele de várias partes do mundo e Papai Noel é o que conhecemos hoje. O bom velinho faz a alegria de grandes comerciantes e a tristeza dos bolsos dos pais de todo o mundo. A boa intenção do Senhor Nicolau, tornou-se apenas uma desculpa comercial. Bem, esse ainda não é o significado do Natal.
A árvore de natal provavelmente surgiu em 1530, na Alemanha, com Martinho Lutero. Certa noite, enquanto caminhava pela floresta, Lutero ficou impressionado com a beleza dos pinheiros cobertos de neve. As estrelas do céu ajudaram a compor a imagem que Lutero reproduziu com galhos de árvore em sua casa. Além das estrelas, algodão e outros enfeites, ele utilizou velas acesas para mostrar aos seus familiares a bela cena que havia presenciado na floresta.
O Shrek, a Minnie, o restante dos personagens da Disney e da Pixar e esse tal de Barney, nunca tiveram nada a ver com o natal, mas estão aí para enfeitarem a cidade além de ajudarem a vender e a incentivar as crianças de todas as idades a deixarem os pais doidos tentando satisfazer aos pequenos consumistas.
Mas e aí, continua a dúvida, onde foi parar o Natal, aquele de verdade, alguém lembra??
Pois é, a cerca de 2000 anos atrás Deus se fez homem, e em uma noite gloriosa nasceu de uma mulher (favorecida entre todas as mulheres), um pequeno bebezinho. Esse era o Natal, Jesus Cristo, o Filho de Deus vinha ao mundo.
Naquela noite, um coro celestial apareceu aos pobres pastores para render Glórias e Louvores ao Filho de Deus.
Alguém já viu um anjo? Não aqueles de Michelangelo, mas um anjo de verdade, criatura celestial. Pois é, eu nunca vi, mas naquela noite vieram muitos e formaram um coro para saudar ao Rei dos reis que nascia numa estrebaria.
Além dos anjos, surgiu no Céu uma estrela de brilho singular, e parou no céu logo acima de onde estava Jesus, para mostrar onde nascera o Rei, essa estrela guiou Magos, que vieram do oriente oferecer presentes ao Rei dos reis:
- Ouro (tributo ofertado a um Rei)
- Incenso (o incenso é usado nos divinos ofícios, tributo a um Deus)
- Mirra (tributo a um homem, a Mirra era usada junto com óleos para ungir os mortos)
O presente simbólico dos Magos mostrava a natureza de Jesus, Rei supremo, Deus feito homem, para viver entre nós e morrer pelos nossos pecados, pagando o preço que a nós era devido, mas que por nós não poderia ser pago.
Os Magos, sábios do Oriente, vieram, prostraram-se perante Jesus e o Adoraram.
Isso é Natal!
Passei pela Av. Paulista essa semana, está espetacular, luzes e cores por todos os lados, tem até um prédio enfeitado com flores de Natal, não sei bem o que significa, mas ficou muito bonito. Tudo deslumbrante. Fiquei encantada com tamanha beleza, mas nada de Cristo, será que O esqueceram em meio aos enfeites antigos?
A cidade fica mais bonita no Natal, mais alegre, a música flui em todos os cantos. Nada de errado com isso. Mas quem se lembra ainda do Motivo do Natal?

”Porque um Menino nos nasceu, e um  Filho se nos deu; o governo está sobre os seus ombros; e o Seu nome  será: Maravilhoso Conselheiro, Deus  Forte, Pai  da Eternidade, Príncipe da Paz”. (Isaías 9:6)
Simone Pinheiro
Enviado por Simone Pinheiro em 06/12/2007
Reeditado em 07/12/2007
Código do texto: T766579

Copyright © 2007. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Simone Pinheiro
São Paulo - São Paulo - Brasil, 43 anos
1 textos (201 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 17/10/17 11:43)