Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

AOS PROSADORES E POETAS

AOS PROSADORES E POETAS
Marcial Salaverry

Um tema interessante.  Existirá alguma diferença entre prosa e poesia?
Na realidade posso afirmar que todo prosador é um poeta em potencial e vice-versa. O fundamental é que se tenha alma de escritor.
Antigamente essa diferença era bem acentuada, pois a prosa sempre teve um estilo livre para ser escrita, ao passo que, para escrever-se uma poesia, era necessária a observância de certas regras de rima e métrica, que tornavam a poesia quase que um exercício de matemática.  Basta que se considere a quantidade de prosadores e de poetas de antigamente (d’antanho fica mais adequado...).
Por essa razão, os poetas eram exclusivamente poetas, e os prosadores mais ainda, dedicavam-se à prosa.
Os grandes autores do passado, sempre seguiram seus estilos. Por vezes fizeram algumas incursões em seara alheia, mas não conseguiram desenvolver-se fora de sua especialidade.
As poesias sempre foram consideradas leitura de elite.  O vocabulário dos poetas sempre foi considerado pernóstico pelos leitores não iniciados. As regras poéticas sempre exigiram o uso de palavras consideradas “difíceis”.  Para ler-se uma poesia, por vezes exigia-se um dicionário ao lado.  Por essa razão, apenas uma minoria mais intelectualizada apreciava o gênero poético. Muitas vezes, sem entender o que o poeta quisera dizer.
Com o correr do tempo, alguns autores começaram a popularizar mais a poesia, trazendo-a ao alcance do público em geral.  E assim, as antigas regras poéticas foram completamente desprezadas, chegando-se à rima livre.  Para escrever-se uma poesia, há que se ter sentimento.  Sequer a famosa rima é exigível.
Fica bem melhor assim, os poetas procuram em seu interior os temas a serem desenvolvidos. E como tem surgido poetas. E como tem surgido lindas poesias.
Atualmente, pode-se considerar uma poesia como uma mini prosa. Assim sendo, pode-se mesmo dizer que para um prosador escrever uma poesia, basta saber sintetizar sua prosa, e dar-lhe um certo ritmo poético.  E, para um poeta escrever uma prosa, basta “inchar” sua poesia, desenvolvendo um pouco mais o tema.
Portanto, prosa e poesia podem perfeitamente ser escritas por um só autor, desde que tenha a sensibilidade necessária para saber “sentir” as pequenas diferenças existentes entre ambos os estilos.
Poesias sempre dão um enlevo maior.  Puxam mais para o romantismo.  São de leitura mais leve.  Falam de amores, de desejos.  Também contam histórias breves, com um certo ritmo. São mini prosas. Sempre divididas em versos curtos, e nem sempre rimados. Na poesia livre, não mais é necessário observar-se número de estrofes. Os versos podem ser simplesmente soltos.
Prosas são crônicas. São histórias. São estórias. São temas mais desenvolvidos.
Falam de amores, de desejos.  São maxi poesias.
Hoje praticamente pode-se dizer que não há diferença nenhuma entre  escrever-se uma prosa e uma poesia.  Basta que se tenha a alma de escritor, a que me referi acima.
O que se pode apontar como diferença, é apenas uma certa preguiça poetal. Nem sempre um poeta se dispõe a desenvolver seu tema e escrever uma prosa. Nem sempre um prosador se dispõe a procurar sentir em seu espírito a poesia que está dentro dele.
Um convite aos amigos escritores.  Aos poetas, que experimentem descobrir seu lado prosador, e aos prosadores que descubram seu lado poético.
O importante é saber explorar o talento de escritor que existe dentro de você.
Dentro da poesia, existem algumas, digamos “especialidades” que observam até hoje regras específicas, como as trovas, sonetos, poetrix (este bem mais recente), alguns temas regionais, como desafio e repentes.
As trovas são como que minipoesias com 4 versos, formando uma estrofe. Os versos devem  obedecer rima alternada, devendo-se obedecer uma contagem silábica não totalmente definida, entre 6 a 8 sílabas. Claro que uma trova deve ter um sentido lógico, contido nesses quatro versos.
Os sonetos já são um tanto mais complexos. Devem ser formados por 14 versos, distribuídos em dois quartetos e dois tercetos, com os versos sempre rimando alternadamente.
Versos, são as sentenças que compõe uma poesia, e estrofes, são os conjuntos de versos.
Poetrix, são poesias com apenas três versos, formando um sentido lógico. Não é exigível apresentar rima, mas sempre ficará mais artística uma rima. Podem ser concisas a ponto de apenas 3 palavras formarem um poetrix, desde que contenham um sentido lógico.
Repente, é uma poesia popular,  composta de momento, sob um tema apresentado ao repentista, que deve ter muita rapidez de raciocínio, para desenvolver um tema assim, de surpresa, e de repente, fazer um repente.
Desafio, é uma espécie de duelo entre dois repentistas.  Vence aquele que disser uma quadrinha que não encontre resposta de seu “adversário”.
Dito isto, desejo a todos boa sorte em suas prosas e poesias, e UM LINDO DIA.

 

 

 
Marcial Salaverry
Enviado por Marcial Salaverry em 05/05/2005
Código do texto: T14859
Classificação de conteúdo: seguro
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Marcial Salaverry
Santos - São Paulo - Brasil, 77 anos
19843 textos (1961714 leituras)
3 áudios (855 audições)
6 e-livros (2134 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 05/12/16 00:31)
Marcial Salaverry