Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

MAIS UM DIA

É MAIS UM DIA SE PASSA, EXATAMENTE 02:39 DA MADRUGADA E EU NÃO CONSIGO PARA DE PENSAR, NO QUE ? NÃO SEI !!!

UM DIA TIVE UM SONHO

HA ALGUNS MESES PASSEI POR UMA EXPERIENCIA NOVA E EMPOLGANTE NA MINHA VIDA, TIVE UM SONHO QUE PARECIA REALIDADE, MAS UMA REALIDADE DE SENTIR DOR, PARECIA QUE ACONTECIA EXTAMENTE AQUILO COMIGO NAQUELE MOMENTO, NAQUELA HORA.
__

A PRIMEIRO MOMENTO ME ENXERGUEI DE BOTAS, PARECIAM ELAS MUITO VELHAS E DESGASTADAS E O TAMANHO NÃO CONDIZIA COM O MEU PE E A VOLTA DO MEU PE ENXERGAVA NEVE; QUANDO LEVANTEI OS OLHOS COMECEI A OLHAR A MINHA ROUPA, VI QUE ESTAVA DE SUSPENSORIO CALÇAS JEANS E CAMISA QUADRICULADA BEM VELHAS E DESBOTADAS.

PERCEBI QUE ESTAVA NUMA FILA E A MINHA APARENCIA ESTAVA DIFERENTE, AS VEZES EU PAIRAVA SOBRE A CENA E OUTRAS ME SENTIA PARTICIPANDO DELA.

NESSA FILA TINHAM PESSOAS VESTIDAS QUASE IGUAL A MIM.
A PARTIR DESSE MOMENTO COMECEI A SENTIR FRIO, MAS UM FRIO QUE NUNCA TINHA SENTIDO ANTES, O LUGAR AO MEU ENTORNO ERA UMA ESTRADA E AO LADO DELA UMA FLORESTA.

A FILA COMEÇOU A ANDAR E EU A ACOMPANHAR, QUANDO DERREPENTE PAREI PARA OBSERVAR UMA ARVORE, FOI AI QUE SENTI UMA DOR TERRIVEL, LEVEI UMA APUNHALADA NAS PERNAS, QUANDO ME VIREI PARA OBSERVAR VI QUE ERA UM SOLDADO, MEU DEUS ONDE ESTOU, O QUE ACONTECEU, ELE FALOU DUAS PALAVRAS QUE NÃO ENTENDI MAS LOGO PERCEBI QUE NÃO ERA PARA PARAR.

DERREPENTE COMO UM LAPSO EU JA ME VI COM UMA FERRAMENTA NA MÃO A ABRIR UMA VALA NO CAMINHO DA ESTRADA, MAS O QUE ME ENCOMODAVA ERA O FRIO, EU OLHAVA AS PESSOAS QUE ESTAVAM IGUAIS A MIM E NINGUEM FALAVA TINHAM TODOS CARAS TRISTES E TRABALHAVAM SEM PARAR, NÃO ENTENDIA, PORQUE ESTAVA ALI; E O FRIO A CADA VEZ FAZER SE SENTIR MAIS, A OSSOS DOIAM COMO SE TIVESSEM SE PARTIDO, PAREI NÃO AGUENTEI.

ABAIXEI ME; RESPIRAVA OFEGANTE PARA TENTAR ACHAR UM EQUILIBRIO, O MUNDO AO MEU REDOR GIRAVA SEM PARAR, MAS FOI AI QUE DERREPENTE SENTI OUTRA PANCADA.

DESSA VEZ TINHA SIDO NAS COSTAS, CAI NO CHÃO E OS SOLDADOS A RIR E A FALAREM PALAVRAS QUE NÃO ENTENDIA, COMECEI A LEVAR PANCADAS SEM PARAR DE TODOS ELES, ME CHUTAVM, GOSPIAM EM CIMA DE MIM E ME TRATAVAM COMO UM ANIMAL QUANDO DERREPENTE PARARAM.

UM DELES QUE ESTAVA AFASTADO SE APROXIMOU E DISSE MAIS ALGUMAS PALAVRAS QUE NÃO TINHAM SENTIDO PARA MIM, OS OUTROS SE AFASTARAM E ELE SORRIU PARA MIM, MAS ENQUANTO SORRIA, PUXAVA A ARMA DELE E DERREPENTE TUDO APAGOU, NÃO SENTIA MAIS FRIO, APENAS RAIVA E RAPIDAMENTE COMECEI A VER A CENA FORA DA MINHA PERSPECTIVA. ACORDEI !!!
____

EU SEMPRE SENTI UMA DOR QUANDO LIA OU VIA FILMES SOBRE A II GUERRA, TENTO ACHAR UMA RESPOSTA DO PORQUE DAQUILO, ACHO QUE A MINHA RESPOSTA A DOR FOI DADA DE UMA FORMA DE ME SENTIR PARTICIPATIVO DELA DE UMA FORMA QUE POSSO ATE PENSAR EM TER ESTADO LÁ CONFORME O SONHO, NÃO PODERIA TER SIDO EU NUMA VIDA PASSADA ?

FERNANDO NEVES

FERNANDO NEVES
Enviado por FERNANDO NEVES em 29/07/2006
Código do texto: T204985
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
FERNANDO NEVES
Portugal, 34 anos
5 textos (5572 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 05/12/16 00:52)
FERNANDO NEVES