Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

" Ame, Deus deixa " 

Evaldo da Veiga




Quando menino reparava que todos deixavam todos os problemas nas mãos de Deus e Deus resolvia. Hoje a coisa está braba, mudou o Deus?
Nos comentários que o mundo ia acabar a vizinhança corria para a casa de Dona Rosalina, mãe de Lairzinha, e ela resolvia o problema. Foram vários os momentos de destruição iminente, e lá estava Dona Rosa para salvar, e salvava mesmo. Tanto que, o mundo não acabou, só está acabando agora.
Éramos felizes, em um bairro pobre, onde a única fortuna era a solidariedade e o amor. Um exemplo pessoal sou eu e Lairzinha, que começamos a nos amar desde que conseguimos engatinhar um na direção do outro, embora nossa compromisso mesmo só fosse oficializado, entre nós, em torno dos dois anos de idade. E até os adultos que não percebem grandes coisas, notavam o nosso amor.
Mas não abordei a questão para análise pessoal, quero refletir sobre o mundo de antes e o de agora. Deus mudou? É essa a tônica de reflexão: cadê o bom Deus do mundo de hoje? Em minha opinião está sendo boicotado pelos políticos e religiosos, em sua maioria, canalhas.
Uma criança é sequestrada e assassinada de forma cruel; uma mulher é esquartejada por motivo fútil; a colegial é assassinada dentro da escola e outra menina dentro do ônibus em destino ao colégio, no mesmo horário... E a culpa de tudo é da maioria dos políticos. Tudo de ruim, inclusive câncer e a generalização de doenças, fome e falta de ensino é culpa deles.
Bem, não vou generalizar a violência para outros paises, Iraque e etc. Vou me deter no Brasil porque dizem que Deus é Brasileiro. E ele é de fato é, dizer o contrário é mais uma sacanagem que se faz contra os verdadeiros ditames de Deus. E os políticos é que são capazes disso e de tudo, são os religiosos que dizem que precisam de dinheiro porque Deus disse houvesse generosa oferta, em favor das Igrejas. Os políticos violam as Leis e os religiosos as
palavras de Deus,
Quando menino, lembro, que uma mulher paria e ficava tranquila assessorada pelos vizinhos: ajudavam a tomar contas dos filhos, faziam canja de galinha, lavavam a roupa da família...
E se o resguardo era em torno de quarenta dias, se a mãe recente não podia fazer esforço, se molhar e um mundo de cuidados que sob a ótica atual é uma bobeira, mas no quesito solidariedade, verdadeiro interesse pelo próximo era um show, encanto de vida e amor.
Dona Rosa conseguia salvar o mundo porque falava de Deus com carinho e amor. Não se atribuía como interprete privilegiada e nem cobrava honorários. Nada de caras e bocas, fazer encenações dirigidas ao céu. Dona Rosa só falava que Deus era muito bom e um pai maravilhoso, e que todos podiam ficar tranqüilos que o mundo ia durar muito e que Deus não ia destruir a casa da gente, seus filhos. A Bíblia na mão, e às vezes ela nem abria, pra que? Se ela mesma dizia que Deus vê tudo e sabe de todas as nossas necessidades.
Mas é isso, Deus não mudou em nada, somente está é de saco cheio. Um mundo de pedidos e de desculpas de quem já tem muito e, ao contrário de verdadeiro trabalho e esforço, quer é se locupletar. E do outro lado, a banda verdadeiramente pobre, ordeira, decente, que cumpre os deveres porque não querem a vergonha de ser acusada de devedora. Enquanto isso, os políticos indiciados em várias fraudes, buscam a reeleição evocando o nome de Deus e dizendo-se contra a corrupção.
Moral da história: quando Jesus disse amai uns aos outros, não estava querendo que amássemos a maioria dos políticos brasileiros, não. Se Jesus soubesse da existência de tal praga em sua época, buscava expurga-los, assim como fez como os mercadores do templo.
Finalmente, a solução apresenta-se de forma bem cristalina: não vote em canalha, mesmo até, que ele seja um parente.

N -Concordando com o teor do texto,
repassem aos amigos.
Abraços,
Evaldo
.



evaldodaveiga@yahoo.com.br

Evaldo da Veiga
Enviado por Evaldo da Veiga em 01/09/2006
Reeditado em 04/01/2012
Código do texto: T230512

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Evaldo da Veiga
Niterói - Rio de Janeiro - Brasil, 73 anos
952 textos (313617 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 08/12/16 22:09)
Evaldo da Veiga