Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

HOMENAGEM AO HOMEM DO CAMPO

HOMENAGEM AO HOMEM DO CAMPO
 
Bem perto da gente, vivem pessoas que podiam ter conhecido todas as fases
que já atravessamos: dos bancos escolares, 'as diversões da juventude,
os passeios pelos pontos turísticos mais concorridos,
as mutações constantes da moda,
a dependência cada vez maior dos carros para nos transportar para todos os lugares.
E vivendo tão perto de nós, poderiam usufruir de todo conforto
da vida moderna,
discutir  os problemas variados que nos afligem,
da política monetária aos grandes temas universais.
E podiam exigir tudo que vivemos exigindo,
alicerçados em tantos direitos, em tantas conquistas.
No entanto, essas pessoas que vivem tão perto de nós,
enfrentam o dia-a-dia sempre com muita esperança,
pedindo apenas que o sol não seja tão forte e que as chuvas não sejam tão inconstantes.
Trabalho para eles tem uma definição bastante clara,
é dar duro mesmo na lida diária com a terra.
É acordar muito cedo e garrar na enxada,
na sela de um cavalo amigo
ou mesmo manobrar com firmeza o volante duro do trator,
enfrentando a terra para torná-la produtiva.
Sem cartão de ponto, o trabalho só acaba mesmo quando termina o serviço,
porque a natureza ao contrário dos homens não pode esperar.
Convivendo tão permanentemente com a terra,
empregam amor e fé em seus esforços,
para que eles gerem os alimentos que vão servir a mesa de todos nós.
E quando chega a colheita, com a terra devolvendo com amor
todo carinho que recebeu,
a vida dessa gente se enche de alegria,
porque mais uma vez eles conseguiram vencer
o desafio de saciar a nossa fome!
 
                                                         GLÁCIA DAIBERT
GLÁCIA DAIBERT
Enviado por GLÁCIA DAIBERT em 19/06/2005
Código do texto: T25926
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
GLÁCIA DAIBERT
Uberlândia - Minas Gerais - Brasil, 61 anos
108 textos (22683 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 27/11/14 18:43)
GLÁCIA DAIBERT



Rádio Poética