Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Dispense a Morte e Abrace a Vida

Quando sonhar já não mais significa nada; quando amar parece compromisso decorrente de obrigação; quando trabalhar parece um peso insuportável; quando os amigos enchem o saco; quando a família torna-se um peso desagradável; quando o dinheiro torna-se obsessão; quando o carro é mais importante do que pessoas; quando a roupa não cai bem; quando a alimentação faz mal; quando o sorriso não aflora facilmente; quando as crianças não representam poesia; quando as flores não atraem por seu perfume ou suas cores; quando a chuva é detestada; quando o calor incomoda; quando o tempo está exíguo; quando o lazer está extinto; quando a vida parece não mais ter sentido; quando todos são recebidos a coices; quando o negativismo impera; quando não há motivação; quando a esperança está se acabando; quando tudo parece estar escurecido; quando o corpo não mais responde aos estímulos da vontade, então está na hora de pedir a um parente mais próximo para encomendar um arranjo de flores, quatro velas com pedestal, uma cruz grande, de preferência com o Crucificado preso e saindo de seu corpo alguns raios, formando um circulo como o sol, um caixão ou ataúde, como queira, comprar ou emprestar um pedaço de terra no cemitério e marcar o dia para seu enterro. É verdade, você já está morto.

Agora, se lhe resta, pelo menos um item ainda intacto e positivo, dentro de você, então está na hora de recomeçar tudo outra vez. É para isso que estou lhe convidando a esta reflexão. Meu amigo, você não é o único dos mortais que se encontra deprimido devido a algum fato ou situação que envolve sua pessoa, seus bens, seus familiares e seu trabalho.

Respire fundo, encha os pulmões de ar puro, levante a cabeça e espire o ar como se estivesse jogando fora um turbilhão de coisas negativas e de péssima qualidade, que não servem para nada a você e nem a mim. Erga os ombros e tente ficar assim por alguns segundos, de peito estufado, cabeça levantada, olhos vivos e em movimentos rápidos para os quatro pontos polares da órbita ocular. Ponha as mãos entrelaçadas, com as palmas sobre o centro da cabeça, respire fundo, soltando o ar enquanto força a cabeça de modo a pressionar os quadris contra a cadeira em que esteja sentado. Deixe o peso das mãos cair naturalmente forçando a cabeça de modo a pressioná-la contra o pescoço, forçando a caixa torácica. Não olhe no relógio, deixe o tempo correr como se estivesse esperando a noite ou o dia que certamente vão demorar a aparecer. Não tenha rigor com o tempo, mas procure esticar o mínimo e encurtar o máximo. O espaço entre um e outro é você que define. O organismo dirá o quanto é necessário, basta escutá-lo. Nessa posição erga os ombros, estique o abdômen, estufe o peito. Respire quantas vezes achar necessário, pelo nariz e de boca fechada. Dois minutos são o tempo mínimo necessário, (você poderá ficar mais), para que o universo comece tomar conta de você e devolver-lhe o entusiasmo e a motivação, para viver e viver melhor. Em seguida estique bem as pernas, com os pés ligeiramente afastados, formando um pedaço de pizza. Abra bem os braços formando uma cruz e depois de abrir e fechar fortemente cada uma das mãos por seis vezes ou mais, dobre os braços em direção ao seu corpo, eleve as palmas das mãos em direção ao céu e diga com convicção a seguinte expressão: eu sou (seu nome) e sou feliz por isso.

Faça esse exercício, retome a vida, a saúde, os sonhos os empreendimentos, o animo, a coragem, dispense a morte prematura e abrace a vida. Você a merece, porque Deus o fez existir. Tenha um grande sucesso no trabalho e deixe o mundo correr como queira, pois cada um colherá aquilo que plantou.
Amani Spachinski
Enviado por Amani Spachinski em 30/07/2005
Reeditado em 30/07/2005
Código do texto: T38880

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Amani Spachinski
Campo Mourão - Paraná - Brasil, 64 anos
3 textos (164 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 03/12/16 10:10)
Amani Spachinski