Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

MENSAGEM PARA UM GRANDE AMOR (02)

Ainda trago sobre mim,
o instante em que flagrei o teu olhar entre o meu,
como se quisesse compreender,
os mistérios que sonda essa irresistível atração.
Havia nele serenidade
e ao mesmo tempo,
um ar de preocupação...
Talvez, por não aceitares tamanhas sentimentalidades,
concentradas na tua alma
e em aberto, no teu coração.

Como resistência,
subjugastes as aparências,
transformando em influentes,
as nossas possíveis diferenças.
E destes respaldo as dúvidas,
na covardia de possíveis movimentos,
o que poderia permanecer livre e intenso,
desculpou-se no espaço e no tempo,
sorrindo consolado,
acreditando que tudo não passaria,
de um desejo sensibilizado ao imenso.

Porém,
é certo que te enganastes,
por limitar
e não dar crédito ao que estais a sentir no interior.
Não há como evitar, como resisti-lo ou ocultá-lo,
os caminhos progressivos
de um grande e verdadeiro amor.
Nunca conseguirás contê-lo entre distâncias e silêncios,
porque é algo para ser sentido,
além de nossos desejos e vontades.
E na beleza do infinito,
todo o prazer do amor,
sempre almejará uma profunda eternidade.

Ah! Como me lembro da expressão de teu olhar,
olhavas-me aflito,
colocando bloqueios em teus pensamentos,
negando aos sentidos,
todo aquele arrebatamento...
Mas, havia transparência e clareza em tua essência,
e eu pude ver, como é difícil para você,
assumir o oceano de tais sentimentalidades,
diante da minha presença.

Mas não podes negar,
a compatibilidade de espíritos existente entre nós dois,
nem a correspondência de pensamentos, na sintonia da alma.
Pois é visível a força da emoção,
no campo da dedicação
e na poesia convincente de nossas palavras.
Não resolvi te amar,
nem o escolhi para ser a base de tamanha estima.
Mas fui conduzida serenamente até você,
por uma luz envolvente,
por essa força divina!
As coisas não acontecem segundo a nossa intenção,
há algo por trás...
Algo, que não compreendemos através dos cincos sentidos,
que não se importa com a realidade,
nem com a condição,
mas, que vai além da razão,
para associar satisfação, plenitude e fascínio.

Portanto,
tudo o que tens a fazer,
é aceitar as tuas sementes de amor,
como produto referente da nossa relação.
Na filosofia da vida,
eu e você somos artes bendita,
tocados de ternura,
pela melodia eterna da perfeição!

Fim desta, Cristina Maria O. S. S. - Akeza.
Akeza
Enviado por Akeza em 04/11/2006
Reeditado em 17/03/2015
Código do texto: T282030
Classificação de conteúdo: seguro
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Akeza
Canavieiras - Bahia - Brasil, 55 anos
2367 textos (403108 leituras)
59 áudios (107990 audições)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 04/12/16 00:15)
Akeza