Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

A prostituta e o amor verdadeiro.


Num tempo de trevas e de insensibilidade, o mundo vivia em profunda degradação moral  e em muitos casos a fome obrigava com que aqueles que eram bons se tornassem maus. Os hábitos de homem, desta época eram os mais vis e rudes que possamos imaginar, nenhuma mulher tinha o direito sobre seu próprio corpo, essa eram objetos de troca, moeda de negócio e até mesmo instrumento de prazeres a onde um homem  a tinha por algumas horas por poucas moedas e nenhum amor.
Neste tempo nasce mais uma bela menina de nome Maria, em um lar turbado pela violência familiar e o preconceito social, no decorrer destes anos esta menina crescerá e em sua adolescência fora tomada à força por um soldado e estuprada em seu corpo chorava num caminho escuro para sua casa, a onde ao chegar em seu lar vê mais uma vez sua mãe se vendo para ter o dinheiro da comida. Em um dia ela deitada no seu quarto escuta gritos, e corre para ver e ao chegar na sala vê a sua mãe sendo morta por um cliente que não gostou da relação que tivera com ela, este olha para esta menina que foi violentada por um soldado e se aproxima dela. Ela com muito medo se encolhe, fica tremula, e ele a esbofeteia na sua face molhada pela lágrima de um olho marcado pelos traumas em que a vida lhe dera.
Num ato de atrocidade este homem começa a tirar a roupa desta menina, e as imagens em sua cabeça se confundem de novo, passam imagem de tudo de ruim que já a tinha acontecido, da morte de sua mãe, da vez em que foi violentada pelo soldado  de sua dor enfim, uma dor mais profunda do que a dor da perca de um ente querido, era a dor da violação de seu corpo. Após aquele homem acabar de violenta-lá, veste sua calça e saí pela porta. A menina Maria abraça o corpo de sua mãe morta e sai para pedir ajuda.
No meio de uma praça todos evitam olhar para ela, pois era a filha de mais uma prostituta que morrera pela mão de um homem de bem, ela chega até a um homem que sorrir para ela e a leva daquele local, e aos treze anos de idade ela já sentia a dor de todo o mundo em sua alma. Este homem a leva para seu lar e a coloca para trabalhar servindo a sua esposa, mas durante a noite ele ia ter com ela, durante anos ele fez isto, a violentava com seu corpo, tomando a paga da benfeitoria que a tinha proporcionado, até que em um dia aos vinte anos de idade ela não quis mais ser penetrada por este homem e resistiu, e ao resistir ele a espanca, ela pensa em sua mãe e pega algo pontiagudo e enfia com toda raiva no pescoço daquele homem que a tinha pego não para ajuda-la mas para que ela fosse sua prostituta particular.
Neste momento ela foge com seu corpo marcado pelo sangue daquele homem, e ela aceita então a viver se prostituindo, pois se todos há viam desta maneira mesmo. E começa a sua carreira na profissão mas antiga do mundo e a mais dorida também. Uma prostituta e seus clientes, uma prostituta e seus amores de ilusão, uma prostitua e a sua vida de tristezas e lamentos, foi assim durante muito tempo de sua vida, uma vida sem planos e futuro apenas com amantes sem amor.
Nesta vida de dores e lamentos tudo acontecia para que mais lamento tivesse, até em que em um dia esta prostituta estava se prostituindo com mais um homem de família, mas desta vez eles apegaram pessoas sem compaixão que queria que uma lei fosse cumprida mesmo não sendo arrisca do que fora escrito. Arrastaram na pelas ruas, com gritos de fúria por ela ser uma prostituta pecadora, e deixam com que o homem que estava com ela fugisse, mas aqueles enraivecidos homens a levaram e a jogara no chão de terra e perguntaram a um homem que ensinava coisas a respeito do Reino de Deus - esta mulher pega em adultério deve ser apedrejada - .
Aquela menina hoje mulher, começa apensar em toda a sua vida, em toda as dores de seu coração, e ela julga que é o seu fim pois nenhuma dos homens que ela conheceu lhe mostrara compaixão, mas ante, dor e tristezas.
O mestre Religioso levanta e pega uma pedra e ela se desliga de tudo e espera apenas que as pedras atinjam o seu corpo violentado pelos homens, homens que nunca lhe amaram apenas a exploraram, mas em uma frase dita pelo Mestre aqueles homens largaram suas pedras um a um e foram embora e este homem de nome Jesus a levantou e falou – cadê aqueles que te condenaram – e ela reponde – que eles foram embora – e este Mestre aproxima dela e lhe dá em vez de condenação o verdadeiro amor para mudança de sua vida.
Em nossas vidas condenamos mais do que ajudamos, vamos seguir a este exemplo, ajudar e entender é melhor que condenar alguém.
Douglas Stemback
Enviado por Douglas Stemback em 03/09/2005
Código do texto: T47364
Classificação de conteúdo: seguro

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Douglas Stemback
Rio de Janeiro - Rio de Janeiro - Brasil, 39 anos
49 textos (30666 leituras)
2 e-livros (136 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 09/12/16 21:49)
Douglas Stemback