Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Tentativa

 Tentativa



 Tentei de tudo pra te dar o meu amor e te mostrar o quanto eras importante pra mim. Te dei amizade, carinho, amor e compreensão. Mas você não entendeu nada do que eu queria dizer e mostrar. Você se afastou de mim e entre tudo eu te procurei. Muitas vezes queria te fazer acreditar em mim, ofereci tudo de bom e simples, sem interesse algum, sem te pedir nada em troca.
 Passei dias e noites esquecendo de mim completamente, neste momento pensei então que fosse enlouquecer sem você, ai então te perdi mesmo? Não, pois não se perde o que não se ganha e não se ganha o que não se tem, portanto não te perdi, você que me perdeu, perdeu meu amor, amor que vocè não quis amar, amor esse que você não soube dar valor. Tenho vontade de te procurar mais uma vez e te dizer "eu te amo", só que não direi nunca, nunca mais pra você. Eu escutei várias vezes você dizer que me amava, mas será que era verdade ou seria só pra me enganar? Mas eu ainda continuo te amando, só que em silêncio. O tempo vai passar e as lembranças de você ficarão guardadas em meu coração. Apesar de tudo que passei não me arrependo, pois toda tentativa é válida e hoje eu poderia olhar pra trás e dizer sem vergonha ou remorso que te amei, te perdi, mas eu tentei.
 O mundo dá muitas voltas e quem sabe numa dessas voltas a gente não bate por aí???

 O tempo passou, você sumiu da minha cabeça, da minha vida, casou e vivendo aparentemente feliz te reencontro numa sorveteria. Nossa, como você está diferente. Ontem com pinta de garotão, hoje com olhar cansado, cabelos grissalhos, barba pra fazer. Um olhar, um franzir de testa e uma pergunta: É você mesmo ou estou vendo uma miragem? Não é miragem, sou eu mesma, mais crescida, mais madura, mais mulher. Chegas perto de mim e perguntas se podes sentar-se ao meu lado, claro que sim eu respondo. Sinto meu coração bater mais forte, não de paixão, mas de medo. Puxas assunto e eu monossílaba digo que tenho que ir, recebo um telefonema da minha mãe, finjo ser de um paquera, ela pede que eu vá para casa e eu fico falando outras coisas, ela sem entender nada desliga. Me pedes meu número, falo que pra você ele sempre estará desligado. E dalí saio com um sorriso de orelha. Hoje o único sentimento que carrego ti é a "INDIFERENÇA". Fica querendo saber das minhas amigas meu novo número, querendo saber se estou com alguém. Eu heim, você já era, agora é uma página virada.



Momentos vivido em meados de junho de 1998.
Estrelinha Sempre sua
Enviado por Estrelinha Sempre sua em 11/11/2007
Reeditado em 12/11/2007
Código do texto: T733447
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Estrelinha Sempre sua
Rio de Janeiro - Rio de Janeiro - Brasil, 33 anos
5 textos (10367 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 17/08/17 16:33)